Resenha #458 - A Mulher na Janela - A.J Finn


Título: A Mulher na Janela
Autor(a): A.J Finn
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Nota: 4/5  

Olá tudo bem com vocês?

Desde que eu li a sinopse deste livro, fiquei extremamente instigada por essa leitura, pelo fato de termos como protagonista uma mulher problemática e nada perfeitinha, que se vê como única testemunha de um crime que tinha tudo para ser perfeito.

Mas como acreditar em uma mulher mentalmente desequilibrada e alcoólatra, sendo que até ela duvida de si própria?

Anna Fox é uma psicóloga, especializada em crianças. Tem trinta e oito anos, é separada e mãe de uma filha pequena que mora com o pai, e todos os dias ela luta sozinha contra seu pior inimigo: si mesma.
Como médica, digo que o paciente precisa estar em um ambiente que ele seja capaz de controlar. Essa é a minha avaliação clinica. Como paciente, digo que a agorafobia não veio para destruir a minha vida: ela agora é a minha vida.
Diagnostica com uma severa agorafobia, não consegue sair de dentro de casa, e se diverte jogando xadrez online, entrando em salas de bate papo com pessoas que possuem a mesma patologia e stalkeando a vida de seus vizinhos, pela internet ou de preferência pela janela.
Giro a câmera para o lado oeste, Na calçada, dois pedestres olham para as casas geminianas, um deles apontando para as janelas. "Belo imóvel", deve estar dizendo.
Meu Deus. Agora estou inventando conversas.
É claro que Anna não poderia deixar de se interessar pelos seus novos vizinhos - Os Russels, um casal com um filho adolescente, e o mais intrigante é que Jane e seu filho Ethan, também se interessam por ela.

Tudo começa com Ethan, que vai até a casa de Anna, a pedido de sua mãe para lhe dar um presente. Ethan é um garoto introvertido, porém extremamente simpático, e o lado profissional de Anna fala mais alto quando está perto dele, pois ela sente que tem algo errado.

Logo em seguida Jane resolve visitar Anna, e elas se tornam em uma noite regada a muito vinho e jogos de xadrez grandes amigas. Alterada pela bebida, Jane conta segredos a Anna, e revela o quanto seu marido - Alistair é um homem temperamental.

Até que um dia, sozinha assistindo sua maratona de filmes de Hitchtcock, embriagada de vinho e com umas doses acima do recomendado de seus remédios, Anna escuta um grito e vai até a janela de sua casa e acaba presenciando Jane sendo apunhalada fatalmente.

Confusa e desorientada, ela tenta explicar aos policiais o que presenciou, certa de que Jane foi assassinada por Alistair. Todos a olham com pena, e ela não entende porque todos estão tão calmos, até que ela recebe a visita de Ethan, Alistair ... e Jane, mas esta não é mesma mulher que ela conheceu como a Sra Russel.

E agora? Até que ponto Anna pode acreditar no que viu?
Ás vezes tenho a impressão de que estou afundando no meu próprio cérebro.
Eu gostei muito desse livro, e me prendeu muito a teia confusa que a Anna precisa entender para resolver suas dúvidas sobre o que é ou não real. Eu vi algumas criticas negativas sobre esse livro, sobre a estória ser um pouco enrolada, e que é fácil de entender o mistério que está por de trás do passado e dos motivos que deixaram a Anna no estado em que ela está, e realmente houveram momentos que tive vontade de entrar dentro do livro e dar umas sacudidas nela e dizer (após umas goladas de vinho, é claro) ANNA MINHA FILHA, É ISSO, ISSO E ISSO QUE ESTÁ ACONTECENDO MINHA FILHA, A VERDADE ESTÁ NA SUA CARA, mas como poderia ser tudo tão simples sendo que lemos esse livro pela visão de uma mulher mentalmente debilitada, e que mistura remédios fortíssimos com vinho? Não dá, né gente! E essa é a graça dessa estória!

A revelação final do livro, foi uma surpresa para mim, e eu gostei bastante do desfecho, e recomendo a leitura para os amantes do gênero, assim como eu!

Em relação à diagramação, não posso dizer que esse livro me chamou a atenção pela capa, ela não é a das bonitas, mas a edição do livro está simples, porém muito bem feita, as páginas são amareladas as letras são de um tamanho normal e não localizei erros de revisão.



A Mulher na Janela, se tornou um dos best-sellers mais bem falados este ano nos Estados Unidos, e seus direitos foram comprados para uma adaptação para o cinema, que provavelmente ganhará vida ano que vem. E já estou bem ansiosa para conferir o filme.

Espero que gostem e até a próxima.
Um caso especial aos olhos dos médicos. Um caso perdido aos olhos do terapeuta. Uma encarcerada. Longe de ser uma heroína de cinema. Longe de ser uma detetive.
Encarcerada em casa. Afastada da vida.


3 comentários

  1. Oi, Verônica
    Decidi que vou comprar o livro, principalmente porque quero conhecer o autor, mas ainda não sei se lerei ele. Não gosto de suspense e se tem um começo arrastado, me dá preguiça de ler, mesmo assim vou tentar.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Eu favoritei este livro e as reviravoltas dele são muito boas e que final né? Eu adorei o livro. Estou curiosa pelo filme.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Verônica e Di, suas lindas, tudo bem com vocês?
    Saudades de vir aqui!! Esse livro lembra um pouco aquela história da garota do trem. Também acho que o interessante é justamente termos uma testemunha não confiável, mas que no fundo sabemos que é verdade o que ela viu. O problema é como provar. Eu fiquei sem saber o que pensar desse garotinho, afinal, se não é a mãe dele, ele vai ficar calado? Será que faz parte do plano ou está sendo ameaçado? Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!