Resenha #421 - A Mediadora - A Terra das Sombras - Meg Cabot


Título: A Mediadora
A Terra das Sombras
Autor(a): Meg Cabot
Editora: Galera
Páginas: 288
Nota: 4/5
Eu sou a mediadora.
Olá pessoas, tudo bem??

Um dos meus projetos deste ano é reler alguns livros. Sim, porque foram livros que me preencheram em algum momento e outros que são de séries, que preciso terminar, mas como fiquei muito tempo sem ler as continuações, prefiro voltar do inicio. 

Com a série A Mediadora, eu li em PDF há muitos anos. E meu sonho era ter os livros, quando os comprei, quis lê-los, quase que imediatamente, mas só depois que saiu o sétimo livro em 2016 que resolvi realmente pegar a série, demorou um pouco, mas estou aqui.

Suzannah, está de mudança, ela saiu de Nova York, para morar no sul da Califórnia junto com sua mãe e sua nova família. Agora ela tinha um padrasto e irmãos. Ela iria começar em uma nova escola. Mas, ela não era uma garota comum. Suzannah era uma mediadora, ou seja, ela fala com mortos. Seus fantasmas. Isso não é spoiler, porque já tem na sinopse.
Suponho que posso ser maluca para algumas pessoas.
Ser mediadora para ela nunca foi fácil, ainda mais quando era criança. Ela falava com qualquer morto. Independente de como morreu. Suzannah é uma adolescente  com seu casaco de couro, botas de combate e um humor caustico. Ela não dava mole, e apesar de ser uma mediadora, fora do comum, ela atingia seu objetivo que era ajudar as almas penadas a encontrar seu caminho de luz. 

Neste primeiro livro: A Terra das Sombras, a vida de Suzannah nos é apresentada, desde a sua mudança. Ela não gosta de prédios antigos, pois quanto mais antigo são os prédios, a possibilidade de alguém ter morrido neles é das grandes.

Quando Suzannah está a caminho de sua nova casa, descobre que ela é centenária e isso a deixa enjoada. Ela está assombrada, mas de um jeito positivo, se é que isso existe, pois o fantasma que habita aquela casa, é um bonitão que nada faz para assustá-la e sim o contrário, tenta se aproximar. Tenta conversar, mas ela não está receptiva, na verdade Suzannah o expulsa de lá sem nenhuma delicadeza, mas não deixa de perceber as feições do moço.
Não era justo, não era mesmo. Os mortos não deviam ter aquela pinta do Jesse, recostado ali na minha cama com o sol entrando de lado e ressaltando suas feições perfeitas...
Os problemas de Suzannah não está somente em sua nova casa, mas na escola também. Lá, o espírito de uma garota problemática paira e deixa não só ela, como o Padre Dominic em apuros.Esta garota ameaça a segurança de todos na escola e cabe a Suzannah com suas habilidades para salvar seus amigos e professores da fúria terrível desta assombração com grandes poderes.

Nossa reler este livro foi uma excelente aventura, pois Suzannah é uma Girl Power. Ela é desbocada e não é fresca. Ela é corajosa e insegura também. Ela sabe o que é e não foge da raia, vai encarando as coisas sem medo. Ela é poderosa e não deixa se abater com os obstáculos, ela vai lá e os enfrenta. Eu amo esta personagem, a Meg conseguiu me conquistar demais neste livro com ela.

Falar de Jesse, sem dizer que ele é um dos meus primeiros crushes da vida, seria o mesmo que guardar este comentário somente pra mim haha. Mas ele, não é um simples fantasma. Ele está naquela casa há bastante tempo e nunca imaginou encontrar uma garota com a personalidade de Suzannah, ela o deixava intrigado e seu instinto de proteção era grande demais e isso deixava Suzannah irritada, porque ela era completamente independente. 

O livro foi bem desenvolvido, mesmo com suas poucas páginas. A história não é parada em nenhum momento e sempre tem um acontecimento para nos surpreender e nos prender. Eu recomendo demais este livro. E não vejo a hora de relembrar a próxima leitura.


A diagramação deste edição é bem simples. Se não me engano é a 17º  e ela tem folhas brancas que pela primeira vez, não me incomodaram tanto, pois a leitura foi rápida e fluiu muito bem. Encontrei alguns erros de revisão, que não atrapalham a leitura. A fonte é de tamanho médio e confortável aos olhos. 
Não é sempre que eu dou de cara com um fantasma que também é uma graça, mas aquele cara...caramba, ele deve ter sido uma coisa quando vivo, pois ali estava ele morto e eu já queria adivinhar como eram as coisas por baixo da camisa branca que usava, bem aberta, mostrando um bocado do peito, e até um pouco do abdômen. Será que fantasma também faz abdominal? Era o tipo da coisa que eu nunca tivera oportunidade - ou vontade - de explorar até então.
Este livro faz parte do #Desafio12mesesliterários do mês de Fevereiro - Aniversariantes do mês. A minha escolha foi a linda Meg Cabot.

Um xero!!!

2 comentários

  1. Oiii Diana

    Apesar dos livros da Meg serem bem juvenis é sempre uma delicia acompanhar as histórias dela, pois são cheias de reviravoltas e novidades e os personagens são divertidos. Quero ler A Mediadora quando der

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Oie
    Sempre tive curiosidade em ler esta série, mas ainda não tive oportunidade. Adoro os livros da autora.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!