Resenha #389 - O Desafio de Ferro - Holly Black & Cassandra Clare


Título: O Desafio de Ferro
Autor(a): Holly Black e Cassandra Clare
Editora: #irado
Páginas: 384
Nota: 4/5

O Inimigo era um grande mago. Talvez fosse até mesmo o melhor deles. Só que enlouqueceu. Ele queria viver para sempre e acordar os mortos.
Oie, tudo bem com vocês?

A resenha que trago hoje foi uma leitura que posso dizer que foi uma montanha russsa de sensações positivas e negativas.

Eu comecei esse livro com uma expectativa nas alturas, por ser um livro de duas autoras com o qual eu já tive leituras felizes, principalmente se tratando da Cassandra.

A estória começa muito bem com o término de uma guerra, onde um mago desesperado tenta encontrar sua esposa e seu filho recém nascido dentro de uma caverna com dezenas de mortos. Infelizmente sua esposa está morta e seu bebê chora compulsivamente por estar com uma das perninhas quebradas. 

E o que deixa o mago mais intrigado, é o recado que sua esposa deixou.
MATE A CRIANÇA!
Os anos se passam e o bebê - Callum Hunt é um garoto que vive arrumando encrencas na escola, ele sofre constante bulling por mancar devido a perna que machucou quando pequeno, sofreu diversas e diversas cirurgias, mas mesmo assim tem grandes sequelas. Ele foi criado pelo seu pai como humano e foi condicionado a ficar afastado da magia, pois a magia é destrutiva, a magia é mortal.
O pai de Call não aprovava roubos.
Segundo ele, isso era tão ruim quanto magia.
Acontece que por mais que Callum tenha sido criado sem nenhum contato com a magia, por ela estar em seu sangue ele é obrigado a passar para as provas para entrar no Magisterium, para o primeiro ano da escola que é chamado de Desafio de Ferro. Ele tenta ao máximo não passar nos testes, pois se for reprovado pode voltar a sua vida normal, e realmente o garoto tem as piores notas, mas mesmo assim... ele é selecionado.

Dentro da escola, Call se torna amigo de seus dois parceiros de turma Tamara e Aaron, e eles passam por aulas monótonas (que se resumem a fazer levitação com grãos de areia) por mais um mês e foi ai que eu quase desisti desse livro.

Parando um pouco de falar sobre a história para explicar o que quis dizer com "montanha russa de sentimentos positivos e negativos". Vejamos bem: Estamos falando de um livro de magos que são selecionados para ir para uma escola de magia para desenvolver suas habilidades... o que vem na mente de vocês? Obviamente: Harry Potter. Não é segredo para ninguém que a Cassandra é uma grande fã dos livros do HP e começou a escrever fazendo fanfics exatamente sobre o Harry. E foi impossível para mim ler esse livro sem fazer comparações - eu sinceramente achei muito arriscado por parte das autoras se aventurar neste mundo. Por mais que as estórias sejam totalmente diferentes, a base é a mesma. 

Ocorre alguns acontecimentos no livro mais adiante que voltou a prender minha atenção, que foi a insistência do pai do Call de tirá-lo da escola, mandando cartas ao professor responsável, implorando até mesmo para que interditassem a magia dele, e isso acabou me deixando um pouco mais curiosa. O que achei mais interessante é que o Call é o protagonista, mas não é digamos que o "mocinho salvador da pátria". Isso é cena para outro personagem do livro. 

O que sentimos a todo o momento sobre o Call é: Qual é o real sentido dele no livro?
Se algum dia você já confiou em mim, se já sentiu alguma lealdade (...) você precisa interditar a magia de Callum até o fim do ano.
E legal citar que os alunos são ensinados a mexer com os elementos fogo, água, ar e terra. Existe também o elemento do caos, mas este é raro entre os bruxos e eles não utilizam de objetos para mexer com a magia, ela é feita com o desenvolvimento mental deles.

Tudo está indo muito bem, Call que no começo tinha uma vontade enorme de fugir acaba gostando da escola e entra em conflito devido a todos os conselhos que recebeu do pai, e isso acaba de novo sendo monótomo porque não acontece nada de muito interessante no livro, fora alguém que se machuca ali, um animal estranho que aparece aqui, um aluno implicante ali, um shipizinho sem graça, e por ai vai.
Call começou a temer o fim do ano, quando o pai queria que ele voltasse para casa em definitivo. Ele tinha amigos pela primeira vez na vida, amigos que não o achavam muito estranho nem o consideram um ser de outro mundo por causa de sua perna. E ele tinha a magia.
Ao final do livro aproximadamente nas últimas 100 paginas o livro esquenta (e eu acabei terminando em um dia), pois o mau que em outrora fez tantas vitimas dá indicio que quer voltar, e os magos que viviam em um longo período de paz veem que as coisas não serão mais fáceis.

O final teve uma reviravolta bastante interessante, e eu gostei muito da forma que a vida do Call foi conduzida. Ele termina com um gostinho de quero mais e nos deixa cheio de questionamentos, mas enfim eu dei uma nota 4 já que não tem como colocar uma nota quebrada no Skoob pensando em 3,5.

Talvez eu dê continuidade a leitura (é uma saga de cinco livros), mas se eu não curtir o segundo irei desistir dos próximos.
"Tem alguma coisa errada comigo?"
"Existe algo de perigoso em mim?"
Em relação a diagramação a capa é bem infanto-juvenil, mas é bem condizente com a história, as páginas são amareladas e a letras grandes, deixando o livro bem grosso, porém ele não é pesado. E não notei nenhum erro de revisão.


Espero que gostem e até a próxima resenha.
O fogo quer queimar. A água quer fluir. O ar quer se erguer. A terra quer unir. O caos quer devorar.

6 comentários

  1. Oi, Verônica!
    Menina, no app do Skoob rola colocar nota quebrada. Então quando vou dar uma nota quebrada (o que raramente acontece) eu vou por lá.
    Eu tenho algumas amigas que são loucas por essa série, mas eu não tenho muita vontade de ler.. na sua resenha eu vi algumas semelhanças com HP e acho que só iria focar nisso.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Lu

      Valeu pela dica, eu tinha desinstalado o aplicativo, mas vou colocar novamente. No começo eu me apeguei também a essas semelhanças, mas logo vi que o livro ia para outro caminho, mas sem sombra de dúvidas Hp é melhor querendo ou não compararar.

      Bjos

      Excluir
  2. Oi Veronica, tudo bem? Nunca li nada da Cassandra e nem da Holly, mas são autoras mega famosas e então bate uma curiosidade. Torcendo para que vc goste mais do segundo livro, é sempre triste abandonar uma série rs

    Bjs, Mi


    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Mi

      Eu amo os livros da Cass e gostei do livro que li da Holly. Espero que os próximos sejam melhores.

      Bjoss

      Excluir
  3. Oie
    Já li um livro da Holly e curti bastante, mas nunca li nada da Cassandra e morro de curiosidade.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Nessa

      Espero que possa ler futuramente, eu particularmente amo os livros da Cass.

      Bjoss

      Excluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!