Novela Literária - Recomeço - Capitulo 3


Recomeço - Capitulo 3 - Classificação +15
Demais capítulos estão na aba Novela Literária.

No outro dia Nayra sentiu uma luz forte em seus olhos e os abriu, sentiu uma dor da luminosidade e quando olhou pro lado viu no relógio que já era 10:00 horas da manhã e deu um pulo da cama, pois estava com muita fome, foi até sua frasqueira escovou os dentes  e lavou o rosto, daí vestiu um short da Camila que até era bonitinho e uma regata, ainda bem que o short era até o joelho assim ela pensou, depois ela voltou ao banheiro penteou seus cabelos ondulados e pretos, fez um rabo de cavalo e passou um corretivo facial seguido de uma base, sabia que estava horrível, mas deu pra dar uma boa disfarçada. Então ela saiu e desceu e pensou “onde raio deve ficar a cozinha, acho que vou me perder nesse casarão” ela sorriu consigo mesma, então depois de tanto andar e se perder sentiu um cheiro bom e o seguiu, enfim achou a cozinha e deu de cara com uma senhorinha baixa e gordinha, tinha cabelo preto misturado em branco feito um coque, tinha um olhar dócil e falou com Nayra com muita doçura...
Madalayne: Bom dia minha criança, eu sou Madalayne, está com fome?
Nayra: Oi Madalayne, estou faminta, dormi cedo ontem, pois estava muito cansada.
Madalayne: Sei disso minha lindinha, também andou chorando esses olhinhos não me enganam.
Nayra: Bom bem que eu tentei disfarçar com um corretivo, mas você é observadora ein?
Madalayne: Olha minha querida tudo está muito novo pra você e não precisa ter medo e nem ficar na defensiva, tudo vai entrar nos seus devidos lugares dê tempo ao tempo e o seu pai era um homem maravilhoso.
Nayra: Então você conheceu meu pai?
Madalayne: Sim, seu pai era um homem muito especial, você melhor que ninguém deve saber disso, venha sente – se aqui vou te servir o café.
Nayra: Não obrigada, pode deixar que eu me sirvo.
Madalayne: Até nisso você se parece com ele, mas pode deixar é o meu trabalho eu faço isso com prazer.
Nayra: Madalayne, você acha que devo confiar na Camila?
Madalayne: Claro minha querida a Camila é um doce de menina e assim como você se sente solitária, vocês duas vão ser boas amigas.
Nayra: Obrigada Madalayne.
Madalayne: Aqui está querida torradas com mel e chá que é que você  mais gosta.
Nayra: Como você sabe disso?
Madalayne: Não é difícil decifrar esse rostinho lindo.
Nayra: Madalayne eu sinto muita falta de meu pai sabe, ele era tudo pra mim e sim chorei muito ontem, quase a noite inteira ainda não consigo me conformar com a perda dele e também nessa clausula da herança que ele me deixou, você estar sabendo disso né?
Madalayne: Sim estou sabendo a Stefanny me falou o que pra ela foi uma grande surpresa, mas saiba que tudo isso vai passar e vai se tornar em uma saudade gostosa e sem dor.
Nayra: Tomara, mas não sei se vou conseguir suportar tudo isso sozinha.
Madalayne: Aqui você jamais estará sozinha.
Nayra: Desculpe – me Madalayne, mas eu já me sinto só.
Madalayne: É a sensação de dor que faz com que sentimos isso, mas conforme o tempo vai passando ela vai diminuindo e a sensação de solidão também, você logo vai notar.
Nayra: Obrigada.

Enquanto ela comia ficou pensando de como Madalayne era simpática e legal, gostou dela de cara, mas não só porque ela disse que seu pai era maravilhoso, mas pela forma sincera que as palavras deram expressaram, Nayra viu no olhar de Madalayne que ela estava sendo sincera e cuidadosa com ela e seu sexto sentido dizia que nela ela poderia confiar. Então Camila apareceu na cozinha...
Camila: Olá Nayra, dormiu bem?
Nayra: É deu para dormir.
Camila: O que quer fazer?
Nayra: Nada..

Camila ficou olhando pra Nayra e pensou “vou ajudar essa garota nem que seja a ultima coisa que eu faça, poxa vida ela minha irmã” e disse...

Camila: Olha Nayra, você tem que reagir, eu pensei que não fosse conseguir viver sem minha mãe e hoje aqui eu tenho boas lembranças sinto saudades, sei que ela está feliz por me ver bem.
Nayra: Obrigada por querer me animar sabe, mas é que é muito difícil pra mim tudo isso de repente eu tinha uma vida e agora tive que mudar tudo da água pro vinho.
Camila: Não vou dizer pra você que perder um ente querido é fácil antes de minha mãe morrer ela sofreu bastante com a doença, eu quase perdi um ano na faculdade e depois que ela se foi, achei que essa dor nunca fosse passar, era algo que sufocava que faltava até o ar, por isso eu sei o que você sente, todo mundo querendo te confortar, dizer que tudo vai passar e a dor ali mais dolorida do que nunca e te dá uma sensação de solidão tão grande uma vontade de sumir, mas eu posso te garantir que vai passar, você vai ter recordações maravilhosas de todo o tempo em que passaram juntos e isso vai te aliviar e vai ajudar a cicatriz sarar tenha certeza disso, agora com o tempo também você vai perceber o quanto a Stefanny é maravilhosa, ela me acolheu e me deu a maior força e fez ainda melhor me adotou como filha e já faz 1 ano. Por isso é que eu te falo se você não tentar se animar se não partir de você vai ficar difícil de alguém se aproximar.

Nayra ficou perplexa com o que Camila disse menos na parte da Stefanny, até parecia que ela estava dentro dela e viu que o que ela falava era realmente uma verdade, mas é que naquele momento aquelas palavras ainda pareciam vazias e nem anestesiaram aquela imensidão de dor que ela sentia, mas também viu que ficar pelos cantos com um orgulho imenso e só chorando durante um ano todo iria ser tempo perdido e ela terminaria enlouquecendo, então ela disse...

Nayra: O que você quer fazer?
Camila: Bom do que você gosta, além de fadas?
Nayra: Eu gosto de nadar e dançar...
Camila: Sobre nadar hum aqui tem uma piscina maravilhosa você já viu né?
Nayra: Sim...
Camila: Agora sobre dançar você conheceu a pessoa certa, eu também amo dançar, está no meu sangue, inclusive eu faço faculdade de dança e termino no ano que vem.
Nayra: Lá na Bahia também tem faculdade de dança, mas nunca pensei em tornar isso uma profissão sabe, meu pai sempre me ensinou várias coisas e eu tenho noção de muita coisa não passo vergonha dançando.
Camila: E quais são os ritmos que você mais gosta?
Nayra: Gosto de Salsa, simplesmente amo, e curto muito Raga também.
Camila: Aqui perto tem uma balada que só toca Raga e salsa você iria gostar e muito.
Nayra: Eu só tenho um problema, sou meio tímida pra dançar, Salsa acho que consigo, mas Raga é bem sensual e eu tenho certo problemas quanto a isso.
Camila: Hum uma menina tímida com os rapazes, não me pareceu quando discutiu com o Eduardo.
Nayra: Com ele foi diferente, ele se meteu na minha vida sem me conhecer e ainda quis manchar a imagem do meu pai e isso eu jamais vou permitir.
Camila: Calma, aposto que ele se arrependeu.
Nayra: Duvido.
Camila: Você vai ver, ele é meio marrento como eu te disse, mas é um doce.
Nayra: Bem amargo né? Me diz, além de ser presidente, o que a Stefanny faz??
Camila: Nossa ser presidente da federação inclui várias coisas, ela simplesmente não para.
Nayra: Que bom, quer dizer ela não tem férias?
Camila: Tem sim, mas quase não tira, ela gosta do que faz.
Nayra: Sei... isso é ótimo...
Camila: Vamos cair na piscina?
Nayra: Esqueceu que eu não tenho roupa?
Camila: Não, por isso deixei um biquíni novinho lá no banheiro pra você.
Nayra: Obrigada, mas eu não uso biquíni Camila e outra estou muito cansada quero ficar no meu quarto, mas obrigada por tudo ok...
Camila: Por nada...

Camila ficou observando Nayra sair e viu que ela estava sofrendo muito e queria fazer alguma coisa para ajuda – la. Eduardo estava passando por ali viu a Camila e se aproximou...
Eduardo: Oi Camila...
Camila: Oi Dú senta aqui.
Eduardo: Nossa eu esperava ser um dos sorteados, assim fica difícil mostrar meu trabalho desde que começamos só fui sorteado uma vez é muita falta de sorte.
Camila: Ah para de reclamar Eduardo, você tirou nota máxima na verdade você só precisa da graduação, pois você nasceu pra isso.
Eduardo: Bom se você acha... é que você sabe que sou muito certinho nessas coisas e pra mim é encarado como desafio.
Camila: É por isso que anda chateado?
Eduardo: Também isso me incomoda bastante você sabe, mas queria muito ajudar uma garota a entrar na academia meu trabalho teria mais credibilidade e eu teria uma boa oportunidade.
Camila: Sei que você vai encontrar...
Eduardo: Você sabe que eu levo a dança muito a sério e espero que alguma garota que deseja fazer a audição resolva me procurar.
Camila: Com certeza vai aparecer alguém fique tranqüilo, quando que sai a inscrição?
Eduardo: Não sei talvez a senhora Stefanny consiga dizer alguma coisa.
Camila: Quem sabe né?
Eduardo: E você como anda os ensaios com o Paulo?
Camila: Ele saiu daqui agora a pouco, está super animado, bem que nós poderíamos formar o quarteto, temos que ficar em evidência o melhor que pudermos.
Eduardo: Seria ótimo a gente já se conhece....
Camila: Tudo no seu tempo rsrs... deixa eu te perguntar e a Vanessa, nunca mais te vi com ela, também ela tem sumido, não anda mais com a gente...
Eduardo: Ah não deu em nada, ficamos por um mês, mas ela é muito enrolada, disse que estava sentindo falta da família e que ter vindo morar  aqui em São Paulo foi um erro e acho que ela voltou pra lá...
Camila: Mas não te disse nada? Só sumiu?
Eduardo: Sim, foi muito de repente, tentei ligar pra ela várias vezes ela não atendeu, mandei mensagem e ela não respondeu tudo bem a gente só estava ficando e se conhecendo, mas ela sumiu...
Camila: Nossa que estranho, da ultima vez que nos falamos ela disse que estava encantada por você e que achava que estava até gostando de você...
Eduardo: Eu também estava interessado sabe, ela é uma garota legal, mas sumiu... Acho que ela voltou pra cidade dela e não quis se despedir tem pessoas que não gosta de despedidas.
Camila: Mas nem responder suas mensagens? Isso é muito estranho, mas enfim espero que não tenha acontecido nada de ruim com ela né?
Eduardo: Tomara...

Passou o dia e Nayra ficou presa em seu quarto ainda chorando muito a perda de seu pai ela não conseguia se conformar de te – lo perdido, ela sabia que não ficaria com ele para sempre, mas achou muito cedo a partida dele e não estava pronta pra esse momento, sentia que precisava muito dele ainda nessa vida e não sabia o que faria sem seus conselhos e sem o seu amor de pai e estava muito difícil suportar essa dor. Na hora do jantar Stefanny e Camila falavam sobre Nayra...

Stefanny: Camila e a Nayra como ela está se saindo?
Camila: ai madrinha ela está muito fechada, não confia em ninguém e também está muito cedo pra isso, mas também ela era muito ligada ao pai, muito mesmo madrinha, ela está sofrendo muito e estar aqui morando com a senhora pra ela está sendo um verdadeiro sacrifício.
Stefanny: Eu imagino pela forma que ela me tratou, mas Camila quando recebi a notícia que ele havia morrido pelo advogado, eu caí em prantos você sabe que eu nunca deixei de ama – lo, e que a poucos dias eu havia decidido ir atrás deles, mesmo contra a vontade de minha mãe, depois que meu pai morreu mesmo sofrendo com a perda dele vi a oportunidade que eu tinha de tentar ficar com ele e conquistar o amor da minha filha, mas ele se foi e levou um pedaço de mim com ele...
Camila: Eu sei madrinha...
Stefanny: Depois do que eu soube eu achei que nunca mais fosse ver minha filha e com essa cláusula do testamento, eu nem me importei com o dinheiro eu vou doar tudo pra fundação, mas ficar e tentar conquistar minha filha foi o melhor presente que o Pedro pôde me dar, mas eu me pergunto porque ela aceitou? Ela não quer nem me ver...
Camila: Eu posso descobrir madrinha, mas é certeza que não foi pra ficar com a senhora, ela queria estar em qualquer lugar menos aqui, ela está sofrendo muito, mas eu me decidi, vou lutar pra ela ser feliz aqui.
Stefanny: Obrigado minha querida, tenho muito orgulho de você.
Camila: Só não demore a contar a verdade pra ela...
Stefanny: Pode deixar.

Stefanny foi para seu quarto e pegou algumas fotos do Pedro e ficou recordando os bons momentos em que tiveram juntos. Nayra ficou um tempo chorando no seu quarto, pensando em seu pai, não sabia como seria a sua vida ainda mais com tanta gentileza de sua mãe isso não era comum vindo de uma pessoa que simplesmente a abandonou. Teve uma hora que ela se levantou e começou a arrumar as suas coisas, não queria mais ficar iria embora, tinha um dinheiro das coisas que vendeu e dava pra se virar por um tempo e iria procurar um emprego para se sustentar, pois ela não agüentava mais ficar ali, seu pai não podia ter feito isso com ela, em plena duas horas da manhã, ela vestiu um casaco que a Camila lhe emprestou  e saiu para o jardim, encontrou um lago e se sentou numa árvore e desabou a chorar muito mais ela não se conformava e parecia que tudo que ela não tinha chorado, toda a dor que ela não tinha sentido, estava caindo sobre ela ali naquele momento, ela se sentia vazia, sem direção, sem nenhuma expectativa, na verdade ela estava se sentindo fraca, sem coragem uma verdadeira covarde, pois apesar de ter perdido seu pai o mundo jamais acabaria por isso, mas ela não conseguia enxergar isso com clareza, pois a dor da distância havia consumido todos os seus sentidos, ela também não queria ficar demonstrando franquezas para ninguém, talvez ninguém poderia entender seus motivos e outra com quem ela poderia contar se todos ali pra ela eram estranhos, Camila era uma boa pessoa, mas ela não confiava nela, Madalayne era uma pessoa maravilhosa, mas ela não queria incomodar com seus lamentos fracos, ela não tinha a quem recorrer principalmente para aquela que desejou sua morte.

E ai galera o que acharam? Próximo domingo tem mais ein... Xero!!!!



5 comentários

  1. Já gostei da Madalayne! Porque as empregadas/governantas/ajudantes são sempre tão fofas? Dá até vontade de ter uma haha. Tô ansiosa por mais da relação entre a Camila e a Nayra, estou gostando do rumo que a historia ta tomando!

    Um beijo
    eshttp://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh muito obrigada Amanda... feliz por saber que está gostando... Xero!!!

      Excluir
  2. *-* Amei!!!!! Está cada vez melhor!!! Amando o suspense..Parabéns Dih^^ Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Suzana... você sempre tão gentil e carinhosa... Xero!!!!

      Excluir
  3. Adorando a novela, vou acompanhar os próximos
    episódios, parabéns flor

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!