Resenha #486 - A Fogueira da Bruxa - Barbara Sena


Título: A Fogueira da Bruxa
Autor(a): Barbara Sena
Editora : Coerência
Páginas: 241
Nota: 4/5 

Olá tudo bem com vocês?

Primeiramente gostaria de desejar um Feliz Dia das Bruxas à todos, que a magia do bem sempre nos acompanhe e nos proteja!!

Recentemente li este livro pela indicação da Jaqueline do blog @profunda_leitura, após ler a resenha dela eu fiquei louca por ele e o comprei na Bienal deste ano, e é claro que hoje é um dia propicio para trazer à resenha para vocês.

Allegra Bellini é uma mulher destemida, que não aceita ser tratada como um ser inferior pelo fato de ser uma mulher, odeia injustiças, defende inocentes e não abaixa a cabeça para religiosos egocêntricos, e tenho certeza que muitos de vocês que estão lendo esta resenha, se identificaram com as virtudes desta protagonista, mas ao mesmo tempo pensaram que isso não é algo incomum em uma mulher dos dias de hoje. 

Mas Allegra não é da nossa era, e se assim como eu, você pensa da mesma forma que ela, devo avisá-los que estamos predestinados à queimar na fogueira. Mas antes disso nós iremos sofrer, e muito, pois na época da Santa Inquisição não precisa ser uma bruxa com poderes mágicos para ser condenada, bastava ser uma pessoa mal quista pela igreja católica, e isso não é ficção, isto é História, este foi o fim da Idade Média.
-Senhorita, como se atreve a contradizer o senhor bispo? Se ele diz que as bruxas estão em todos os lugares, é porque estão. Acredito que você está ciente que contradizer a Igreja é considerado heresia. Então, cuidado com a língua, pois como o próprio bispo disse, as mulheres são mais propensas a sucumbir aos ardis do diabo. E como saberíamos nós, se você não fala em nome do mal?
Eu já li muitos livros sobre bruxas, mas nada tão voltado à realidade da época da Inquisição, como foi descrito neste livro, e por mais que eu saiba de muitas coisas horríveis que aconteceram, assistir a tudo isso pelos olhos de Allegra, foi algo perturbador. 
- Você, sua mulher imunda, corte e raspe o cabelo da cabeça da senhorita Bellini, e raspe também todos os pelos de seu corpo. Vamos procurar no corpo da bruxa a marca do demônio.
E sobre a suposta marca da Allegra, gostaria de ressaltar que por muitos anos eu tive uma parecida na mesma região, que sumiu com o passar dos anos.

Em relação à diagramação, a capa do livro é linda e condizente com a história, as páginas tem pequenas e delicadas ilustrações, as paginas são amarelas, e as letras são de um tamanho normal. Eu não notei erros de revisão, mas há um paragrafo de dez linhas que está repetido (sequencialmente). Porém, isso não atrapalha na leitura.


A escrita da autora é deliciosa, que eu amei a forma fiel como ela descreveu situações que ocorriam na época, em destaque o que demonstrou uma segurança da autora em seu texto e que ela pesquisou muito para compor a obra. A personagem principal teve um amadurecimento enorme durante o decorrer da história, de uma jovem inocente e bastante atrapalhada, para uma mulher ardilosa e perspicaz. A magia não é o foco principal, por mais que tenha a sua parcela na trama, o que encontramos neste livro, é o mais próximo da realidade que acontecia na época, e isso o torna mais assustador ainda.

Os cenários mudam frequentemente, fazendo a história ser bastante fluida e há uma parcela de romance na medida certa dentro do gênero, que foi particularmente o núcleo que eu mais amei: os ciganos. O livro terminou de uma forma fechada, mas eu senti que foi apenas uma etapa da vida de Allegra que foi encerrada, e que podemos ainda ler muito mais sobre esta personagem extremamente cativante que luta por dia melhores, em defesa das minorias, que nesta época eram as mulheres.

Espero que como Allegra, você não aceite ser queimado.
- Eu sou o inicio. Eu sou o fim

Resenha #485 - Casulos - Ricardo Mesquita

Livro cedido para resenha pelo autor

Título: Casulos #1
Autor(a): Ricardo Mesquita
Editora: Lura Editorial
Páginas: 152
Nota: 5/5
Imaginei que era daquele jeito que um feto deveria se sentir dentro do útero materno. Mas eu não era um feto! E aquilo, definitivamente, não era um útero. Parecia um... casulo!
Olá  pessoas, tudo bem?

Conheci o Rick através das redes sociais. Ele me procurou gentilmente para falar sobre parceria de leitura de seu mais novo lançamento. Achei ele bem simpático e conversamos. Quando li a sinopse, pensei: este livro é para mim. Eu amo distopias com ficção científica, então é óbvio que eu aceitei.

Sua gentileza foi tão extrema que ele ainda nos enviou um exemplar para sorteio autografado, para participar cliquem aqui até dia 02/11.

Já posso dizer, que é mais um nacional que ganhou o meu coração!

O que você faria se acordasse sem nenhuma memória e ainda mais em um lugar bem estranho e quando caminhasse, parecia que somente você existia?

Foi o que aconteceu com o nosso protagonista. Ele acordou sem lembrança nenhuma de si. Saiu de um casulo cor de âmbar. Neste momento, se sentindo perdido, queria achar mais alguém naquele mundo distópico.

Em sua busca para saber de si mesmo  e sobre tudo o que aconteceu. Ele percebe o quanto o mundo está quebrado e deteriorado. 

Só que coisas estranhas acontecem com ele. Pois além de acordar neste mundo que parecia morto, quado dormia, acordava em um hospital. Ele acreditava que vivia em um sonho, pois acordava sempre no raiar do sol e dormia ao final da tarde. 

Com o tempo entre acordar e dormir, nosso personagem vai descobrindo o que aconteceu com ele e as outras pessoas que vivem ao seu redor.

Parando tudo para dizer o quanto amei esta leitura. Eu geralmente não gosto muito de ler livros curtos. Porém, com este foi completamente diferente. Já havia me apaixonado pela sinopse e resolvi arriscar. E não me arrependi por nenhuma página que li. 

Rick trouxe uma distopia com ficção científica, que me ganhou em cheio. Pois, por mais que a temática distópica venha com o tema principal mundo pós apocalíptico, ele veio com uma inovação que foi os casulos. Inicialmente eu fiquei pensando o que o autor iria aprontar para desenvolver bem este enredo em poucas páginas.

O mais legal, foi ir descobrindo as coisas juntos com o personagem. Ele se vê tão perdido quando sai do casulo e tenta desesperadamente saber o que aconteceu com ele e com o mundo. E no entre o dormir e acordar em outro lugar, é que ele vai percebendo o que acontece ao seu redor.  Quando acorda no hospital muito mistério acontece ao seu redor. E apesar dele não se lembrar de nada como no mundo distópico, ele fica apreensivo para saber em quem deve confiar. Não sabe quem está do seu lado, ou que aprontaram com ele.

O protagonista foi um personagem bem escrito e desenvolvido. Ele é muito impulsivo, mas também habilidoso. Ele tenta a qualquer custo descobrir o que aconteceu. O por que foi parar nos casulo e como foram criados e para qual finalidade. 

Neste livro tivemos uma prévia de respostas, mas o gancho que ficou para à sequência, me deixou bem maluca. Ou seja, só espero que não demore muito para vir, porque a minha ansiedade me consome demais. #ficaadicarick


A diagramação do livro é bem simples. O formato um pouco menor do que os demais livros. Ele é super leve e dá para ler em qualquer lugar. A leitura é rápida e bem ágil, as coisas vão acontecendo de uma forma frenética, que fiquei algumas vezes sem ar rs. As folhas são amareladas e a fonte em tamanho médio excelente para uma leitura confortável.

Eu super indico esta leitura. Rick me surpreendeu demais neste enredo e eu quero mais desta história. 
Eu estava  em uma cidade desconhecida e digna dos mais apavorantes filmes de terror, pois estava completamente vazia!
-Olá! Tem alguém aí? - gritei tão alto que voltei a sentir um ardor nos pulmões.
Como resposta, obtive um silêncio sepulcral, apenas atrapalhado pelo murmúrio angustiante do vento.
Um xero!!!

Tag #54 - Dia das Bruxas Book Tag


Olá meus amores, tudo bem com vocês?

Hoje é dia de tag #DiasdasBruxasBooktag, e é claro que tem que ser dentro da temática do Halloween.

Eu fui marcada no Ig do blog pela @acervodacaipora para responder esta tag, e ela foi criada pelo ig @livrodores, não se esqueçam de visitá-las para ver a tag delas também. 

Olha que lindo gente, todas as minhas referências foram NACIONAIS, pelo simples fato que é o mais tenho lido esse ano.

Vampiro - Um livro que te sugou: Inferno no Ártico - Cláudia Lemes


Um livro extremamente bem construído, que te prende do inicio ao fim, com diversos plot twists no decorrer da história e um final avassalador


Abóbora - Um livro que te lembra o Halloween: Mundo Invertido - Organizadores Stefano Volp e Bruno Godoi


Um antologia, repleta de contos baseados em filmes e livros da época, e é claro que uma das maiores referências que temos dos Halloween vem dessa época também.

Sexta-feira 13 - Um livro com psicopata: Enterro dos Ossos - Renata Maggessi


Aqui encontraremos um psicopata assimétrico, que qualquer "imperfeição" em corpo feminino, por exemplo, um seio maior que o outro, já o faz ter um desejo insano de corrigir o "erro".

Múmia - Um livro com uma maldição/superstição: Quando o Mal tem um nome - Glau Kemp


Quando uma obsessão ultrapassa a sua fé, e você procura ajuda nas forças malignas, seres inocentes podem se tornar herdeiros do mal.

Bruxa - Um livro com Bruxas: A Fogueira da Bruxa - Barbara Sena



Um livro que retrata a cruel época da Inquisição, no qual, não era necessário exatamente ser uma bruxa para ser punida, bastava simplesmente ser uma mulher (em breve resenha).

Caveira - Um livro de deseja há muito tempo: O inverno dos escritores mortos - Miller Britto


Uma capa maravilhosa, resenhas extremamente positivas, e uma premissa sobre "um psicopata que mata escritores da mesma forma que eles matam seus personagens" QUERO, QUERO MUITO, COMO EU QUERO, É O QUE EU MAIS QUERO NO MOMENTO, MINHA NOSSA SENHORA DOS LEITORES COMPULSIVOS COMO EU QUERO ESSE LIVRO.

Zumbi - Um livro com mortos-vivos: O Vale dos Mortos - Rodrigo de Oliveira


O que você faria se após a visita de um planeta próximo à Terra, milhares pessoas desmaiassem e acordassem com fome de carne humana? 

Fantasma - Um livro que deu medo: A Capela - Jhefferson Passos


Você nunca mais verá uma capela e até mesmo cana de açúcar da mesma forma. E sempre sentirá um desconforto ao conhecer alguma Anna, hahahahaha

Espíritos/Demônios - Um livro que fale sobre o tema: Arquivos do Mal - Organizadoras Glau Kemp e Soraya Abuchaim


Minha antologia de terror favorita, onde lugares ditos como mal assombrados do estado de São Paulo, como o Edifício Joelma, Cemitério da Consolação, Parque da Juventude, entre outros, são os cenários para contos mórbidos e aterrorizantes.

Essa foram as minhas escolhas, fiquem à vontade para responder a tag e me avisem, pois quero acompanhar todas. Já leram algum dos livros citados acima? Me respondam nos comentários.

Até mais!

Parceria - Autor Raphael Fraeman

Olá meus amores, tudo bem com vocês?

Hoje trago uma ótima noticia que a nova parceria que realizamos com o autor Raphael Fraeman.

O Rapha me procurou no Instagram, e não só foi extremamente simpático, como também, me mostrou o seu projeto de parceria e a premissa do seu livro, e como todos sabem, eu amo divulgar nacionais e os leio cada dias mais, principalmente, os independentes.

Recentemente seu novo livro foi lançado na Amazon com o titulo: Krystallo - Jornadas para Além das Fronteiras e vamos conhecer um pouco sobre o autor e sua obra.



Raphael Fraemam tem 25 anos, mora em Recife-PE, é advogado, mestrando e professor universitário. Aos oito anos, escreveu seu primeiro livro literário, Os Guerreiros da Floresta e a Caverna da Liberdade, e foi o escritor mais jovem da Feira Internacional do Livro de Pernambuco no ano de 2001. Tem artigos acadêmicos publicados em revistas jurídicas e em livros coletivos. Em 2015, organizou uma obra coletiva de Direito Civil, Reflexões do Direito Civil. Seguindo um antigo desejo, retornou para a literatura quando, em 2018, terminou Krystallo - Jornadas para além das fronteiras.



KRYSTALLO – JORNADAS PARA ALÉM DAS FRONTEIRAS - Krystallo é um projeto de publicação independente de um livro de fantasia nacional. O livro é voltado para os mesmos fãs de Harry Potter, Percy Jackson e Jogos Vorazes. A mistura ideal de aventura, inteligência e poder. A obra traz em Gray e Tomé mais do que suas próprias jornadas. Fala da trajetória do poder, da guerra e dos seus efeitos na vida de milhares de pessoas.

Sinopse: As duas maiores potências de Emperon travam uma guerra secular para garantir o controle dos cristais de energia. Foi por causa de um atentado em Econ que Tomé Stalmer começou a suspeitar da verdade que o governo apregoava. E é no dia de seu aniversário que Gray Frost é forçada a deixar Opus, o seu lar. As jornadas para além das fronteiras narram uma história de piratas e soldados de elite, inteligência e mistério, confiança e tragédia. Cada um luta para sobreviver ao mesmo tempo em que busca compreender os segredos por trás dos acontecimentos que mudaram o curso da História.

Difícil pra quem adora fantasias, resistir a essa premissa, não?

Em breve trarei a resenha para vocês!

Até a próxima.

Resenha #484 - Ambivertido - Igor Paiva


Título: Ambivertido
Autor(a): Igor Paiva
Editora : Produção Independente
Páginas: 46
Nota: 4/5 

Olá! Tudo bem com vocês?

Bora ler mais uma resenha de terror? Siimmm!! A cada dia que passa esse é um dos gêneros que eu mais leio e amo, e é melhor ainda quando são nacionais.

Ambivertido, é um conto que narra a história de um policial chamado Afonso, que recentemente teve um caso perdido que gerou a morte de uma inocente, deixando-o extremamente abalado.

Após uma bebedeira em um bar, no dia seguinte, ele começa a sentir dores muitos estranhas e sua visão é comprometida.
Ele não enxergava mais as cores, era tudo cinza. Como se tudo estivesse morto, enfumaçado. Afonso, assustado, esfregou os olhos, piscou várias vezes, mas tudo estava do mesmo jeito. Assustadoramente estranho.
Só que isso não é nada comparado ao que ele vai vivenciar.

Alucinações começam a ocorrer com ele, envolvendo situações sobrenaturais bem bizarras, deixando Afonso apavorado, e ele se vê sozinho precisando lutar com um mal desconhecido e sem entender os motivos pelo quais está sendo atacado.

O suspense do conto é latente o tempo todo, a ponto de estarmos quase finalizando a leitura ainda cheio de teorias e até mesmo dúvidas, e o autor conseguiu sem delongas concluir esse conto de uma forma surpreendente e que eu particularmente amei. As cenas de terror foram muito bem escritas, e o autor brinca com as cenas, nos enganando o tempo todo. Geralmente eu não sinto medo ao ler livros de terror, mas eles me causam agonia, tensão e digamos que desconforto e eu senti tudo isso com esta leitura, outro ponto positivo para a obra é sua narrativa mesclada com primeira e terceira pessoa.

Leitura mais que recomendada, principalmente para o melhor mês do ano, também conhecido como mês do terror e vai ter resenha de outro conto do autor aqui este mês, um outro detalhe que não posso deixar de falar é que a capa foi feito pelo Igor, e cara... que capa maravilhosa é essa?!?!


Lembrando que o Igor, também é blogueiro e tem um IG literário chamado Spooky Books, com ótimas indicações de leituras, então convido todos a segui-lo.

Espero que gostem e até a próxima.

Dia de Quotes #12 - O Escravo de Capela - Marcos Debrito.

Olá leitores, hoje escolhi trazer para vocês quotes de um dos melhores livros que li ano passado que foi O Escravo de Capela.


Falando brevemente sobre o livro, a história narra a vida do conhecido Saci Pererê, mas de uma forma bem diferente do que estamos acostumados.
Somo levados a cruel época escravocrata do Brasil Colônia,  um jovem africano chamado Sabola sofre violências repulsivas, até se tornar a lenda folclórica e ir em busca de vingança.

"-Escravo aqui só tem direito a duas coisas - continuou: - Primeiro: não ter direito a nada! E segundo: não reclamar desse direito. Se tem negro que discorda, para quem ainda não sabe, domesticar os selvagens é a função pela qual tenho mais apreço."

"-Melhor você dormir, Sabola. Sonhar ainda é uma das poucas coisas que os brancos ainda não tiraram da gente."

"-Como o restante dos brancos no festejo, os instrumentistas também compraziam-se com o berro de um negro ao ter a pele atassalhada e não perderiam a oportunidade de assistir o açoitamento."

"Para ele, o fato de um morto caminhar entre os vivos com anseios vingativos era uma ameaça real. Sua maior preocupação era tomar providências para sobreviver."

"-Você perdeu o juízo, meu filho? Ficar oferecendo cuidados para esse bando de selvagens como se fossem gente?
- Jurei dedicar minha vida a serviço da humanidade. Não posso permitir que conceitos religiosos, sociais ou raciais intervenham no meu dever como médico."

"-Os brancos chamaram o escravo de Saci - continuou Oré.
-Saci? - estranhou Akili, interagindo pela primeira vez na conversa.
-É um guerreiro que vem da mata..." - Oré traduziu os sudaneses. - "Ele veio pra acabar com a essa nossa vida de escravidão"... "Não precisamos mais aguentar a opressão dos brancos"...


E ai? Já leram o livro? Querem ler? Me contem nos comentários!



Até mais.

Divulgação Nacional: Anjo da Morte - Daniella Martins


Olá pessoas, tudo bem??

Hoje eu venho com mais uma divulgação nacional, gosto de ver a nossa literatura crescente e com talentos novos aparecendo.

O quanto você se conhece?

Úrsula é uma moça bem-sucedida que, cansada da rotina, resolve se mudar para um interior desconhecido por muitos, que no mapa aparece como Rota 55. Lá, ela descobre coisas estranhas e percebe o quanto não conhece sobre si mesma.

Onde encontrar:
Skoob | Amazon |

Um xero!!

Tag #53 - Chatice Literária



Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com esta tag que parece ser chata, mas não é. Eu adorei quando li no blog da Lu (Balaio de Babados). Então, resolvi responder.

1- Um livro que você achou que seria legal, mas foi chato?

Eu achei que ia amar este livro e o terminei bem frustrada, foi bem chatinho.

2- Um livro que todos dizem que é fantástico, mas você não gostou?

Não é que eu não gostei, só não achei que foi tudo o que explodiu na época e no fim, descobri que não curti a escrita do autor.

3- Um livro que tinha tudo para ser bom, mas é chato?

Esse livro tinha tudo para ter um desenvolvimento muito bom, mas no fim foi meio chatinho, eu esperava uma boa história, por conta da temática e da premissa, mas não rolou.

4- Um livro com personagem intragável?

A Comandante. Esta mulher não tem coração. Ela é cruel e gosta de causar dor. Então, pra mim ela é intragável. Não consigo amar e odiar. Ela é a pura maldade.

5- Um livro com final terrível?

Esse livro foi só frustração do começo ao fim. Não curti o final e ainda fiquei de ressaca de tão zuado que ele foi. 

6- Universo que você nunca gostaria de morar?

Nossa são tantos universos, que talvez os de fantasias medievais ou as distopias com os governos super opressores. Eu morro de medo.

7- Livro que você tem na estante, mas tem medo de ler por parecer chato?

Nenhum.

8- Livro que tinha tudo para ser chato, mas foi bom?

Eu achei que não fosse curtir esta leitura, mas devo confessar que me senti preenchida e adorei conhecer esta história. Foi uma grata surpresa. 

Bom é isso pessoas, quem quiser, fique a vontade para responder. 
Um xero!

Resenha #483 - A Garota do Lago - Charlie Donlea


Cedido em parceria com a editora.

Título: A Garota do Lago
Autor(a): Charlie Donlea
Editora: Faro Editorial
Páginas: 296
Nota: 4/5
Olá leitores, tudo bem?


Summit Lake sempre foi uma cidade tranquila e segura, até Becca Eckersley passar um final de semana da casa de seus pais e é brutalmente assassinada.
Ferida e sangrando, Becca ficou ali, desfalecida, acordando cada vez que ele a maltratava em ondas coléricas, violentas. A importância foi de que se passou uma eternidade antes de o homem decidir abandoná-la. Antes de ele escapar pela porta corrediça de vidro da sala, largando-a aberta e deixando que o ar frio da noite penetrasse pelo recinto e atingisse o seu corpo despido.
Muitos mistérios, alguns suspeitos, mas nenhuma resposta, é assim que essa história começa.

Kelsey Castle é uma repórter muito famosa que voltou recentemente ao trabalho após passar por um trauma, e seu chefe decide que ela deve ir para Summit Lake para investigar o assassinato de Becca, pois ela é muito talentosa neste área.

O livro é narrado em terceira pessoa e intercalado no passado, com Becca e sua rotina diária na faculdade, onde cursa direito, e conhecemos seus amigos mais próximos, os estudos, sua família  rica e muito influente, e seus diversos relacionamentos.

E no presente, vemos Kelsey caçar pistas para descobrir o que aconteceu com Becca, mas há um grande problema, os laudos de autópsia, e detalhes importantes sobre a vitima estão sendo guardados à sete chaves, algo que ela também quer entender o por quê, mesmo assim, o pouco que consegue descobrir sobre o caso a estimula a continuar, pois ela sente uma forte empatia pelo que aconteceu com Becca.

Kelsey, ganha dois grandes amigos na pequena cidade, Rae que trabalha no café no qual as donas conhecem Becca desde pequena, e Peter, um dos médicos que tem alguns acessos sobre o caso. E eles a ajudam como podem para juntar as peças do quebra cabeça.

Em relação à diagramação, a capa deste livro consegue ser linda e mórbida (e arrancou olhares desconfiados das pessoas nos ônibus), as letras são de um tamanho médio, as páginas são amareladas, o livro tem páginas grossas, mas é bem leve e não encontrei erros de revisão que me recorde.



O mistério sobre o assassino de Becca foi mantido até o final, sem imaginarmos o que autor estava tramando e foi surpreendente, porém houveram pontas soltas sobre outras situações, e isso foi um ponto negativo, mas o livro é muito bom, mesmo sendo o que menos gostei até o momento do Charlie, mas eu já imaginava que isso poderia acontecer, visto que considerando o grau evolutivo da escrita do autor, eu retrocedi, já que este foi seu livro de estréia, e já li os outros dois livros publicados depois: Deixada para Trás e Não Confie em Ninguémde qualquer forma, recomendo a leitura, pois o foco principal sobre à vida e morte da Becca, como também, a evolução pessoal da Kelsey foram bem direcionados.


Só queremos algumas respostas, e o silêncio da policia acerca dos detalhes é estranho. Mas esta é uma cidade pequena. Muitas coisas estranhas acontecem.

Espero que gostem e até a próxima.

Divulgação Nacional: Querido Ex - Juan Jullian


Olá pessoas, tudo bem?

Hoje venho com divulgação nacional e espero que venham muito mais, pois a nossa literatura está crescente e com muito talentos a serem descobertos.

Este livro reúne as cartas Dele, um universitário brasileiro como eu e você, em uma uma história que não é a sua, mas poderia ser. Um jovem gay, cuja vida está sendo definida por um catastrófico acontecimento: seu ex namorado virou, da noite para o dia, a maior celebridade do país.
"Querido ex," é um registro do luto, caos e poder que vem com o fim de um relacionamento abusivo. As dificuldades da vida acadêmica, a solidão, os encontros entre o racismo e a homofobia e a dor e libertação do descobrir a si mesmo são colocados no papel, enquanto Ele refaz os caminhos pelos quais se perdeu, enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores.

E ai? Curtiram? Pretendem ler? 

Onde encontrar:
Skoob | Amazon |

 Um xero no coração!!!

Resenha #482 - Postumus Relatos Sombrios - Juliana Daglio

 

Título: Postumus Relatos Sombrios
Autor(a): Vários 
Organização: Juliana Daglio
Editora: Rouxinol
Páginas: 245
Nota: 4/5
Os dois majestosos salgueiros ladeiam a entrada da principal alameda do cemitério São Lázaro, famoso pelas histórias de fantasmas. Os cariocas conhecem a fama do lugar e os mais medrosos evitam entrar pelo portão de ferro que range como se fossem gritos demoníacos. [...] P boato diz que nesse cemitério são enterradas as pessoas mais desprezíveis do Rio de Janeiro.
Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com uma resenha bem dia das Bruxas rs. Relatos Sombrios, foi um livro que comprei na bienal deste ano, e trata-se de uma antologia onde os autores criaram contos como relatos, que acontecem em volta do cemitério São Lázaro.

Por se tratar de vários contos, apenas colocarei minhas considerações.

Eu achei ao todo um livro bem legal, onde tive o prazer de ler vários relatos bem sombrios. Na verdade, em sua maioria, não senti tanto medo como achei que fosse acontecer, mas devo confessar que em alguns tive até pesadelos rs. Esses foram os que eu mais gostei. Porque acredito que se a gente sente medo, horror e até sonha, é porque o livro de alguma forma atingiu o seu objetivo.

Eu o li muito rapidamente e gostei da forma como as histórias foram organizadas. Juliana está de parabéns por este projeto e os autores selecionados, usaram muito bem de sua criatividade e ensejo para criar histórias muito boas.

A impressão que tive, foi que ouvia alguns sussurros de almas perdidas, clamando para serem ouvidas. Como se tivesse buscando ajuda para saírem de lá, mas não porque estavam sofrendo de alguma forma, mas porque queriam continuar causando tormento aos seres vivos, como se os mortos não tivessem mais graça.


Para quem curte a temática, o livro vem recheado de contos bem legais e bem escritos. Eu vou deixar listado os que eu mais gostei.

**Eterna - Alexandre Braoios
**Enterrada Mais uma Vez - Bruno Godoi
**Mãe e Filha, unidas pelo amor, pelo corpo e pela alma - Helô Delgado
**Imortalidade - Bettina
**Rosa Maria - Ricardo de Jesus
**Juntos Além da Morte - Vanessa Nunes
**Aqui Jaz Inocência - Raphael Miguel
Anos atrás, o cemitério São Lázaro foi marcado por vários acontecimentos estranhos e passou a ser evitado por todos. No entanto, tudo precisa ser lembrado, afinal, existem três almas que estão aprisionadas a um tormento eterno e podem acabar com toda uma existência.
Um xero!

Lançamentos de Outubro: Faro Editorial


Olá pessoas, tudo bem??

Hoje venho com os lançamentos de Outubro da nossa querida editora parceira: Faro Editorial.

Eu estou completamente apaixonada pela capa de O Amor nas 4 Estações e não vejo a hora de meu exemplar chegar. Sabe aquela sensação de um livro apaixonante? Eu tenho a sensação de que será assim com este.

Experimentar a vida em sua essência, valorizar cada momento, cada evento, cada cair de chuva, farfalhar de árvores. Sentir a vida, a alma, o infinito... tudo parece utópico e lúdico demais? Mas é um desafio diário de viver cada momento de verdade e com intensidade, e depois disso, tudo passa a valer a pena!
A Faro Editorial lança este mês “O amor das 4 estações” de Victor Degasperi, um livro de crônicas sobre a vida e suas nuances, permeando as quatro estações do ano. Mais do que celebrar o amor, o autor nos desafia a viver um ano inteiro prestando atenção aos detalhes diários que tornam a nossa vida uma grande aventura, e que muitas vezes, deixamos passar.
Victor aceitou esse desafio, e durante um ano viu a vida com os olhos de quem quer achar beleza em tudo, e isso mudou a forma como ele enxergou o mundo. E agora ele faz um convite para você viver a própria vida com intensidade, olhar o amor de outra maneira, de fazer uma releitura do nosso coração.
“Quando a felicidade diz que não há nada que você poderia fazer a não ser ir, o coração já pulou. Já está mergulhado. É engraçado como encontramos felicidades escondidas quando temos mais coragem. Os grandes momentos das nossas vidas partem de mergulhos corajosos.” 
VICTOR DEGASPERI é ator e psicólogo. Paulistano, cresceu em contato com a arte de suas avós pintoras e dos músicos de sua família. Começou a escrever nas redes sociais profissionalmente aos 23 anos de idade, e logo aquelas frases colocadas em folhas de árvores se tornaram tão importantes para milhares de pessoas quanto eram para ele. Buscando sempre um tom mais profundo, Victor tem interesse por captar os detalhes e as sutilezas das emoções. Não é tarefa simples, pois precisa manter sua vulnerabilidade num mundo que só nos ensina a viver na defensiva. Suas propostas estão no limite do sentir, e, por isso, comove tantos leitores, ao mesmo tempo em que ensina e transforma a experiência da leitura num verdadeiro sopro de vida. Siga o autor no IG: @videgasperi 
Provocador,  autêntico  e  com  um  senso  de  humor  carregado  de  acidez,  Milo  discute  tabus,  rebate  críticas  e  promove  uma  verdadeira  guerra  contra  o  mainstream  ideológico.  Homossexual  assumido  e  casado  com  um  parceiro  negro,  Milo  é  contra  o  aborto,  contra  o  discurso  extremo  do  novo  feminismo,  contra  a  esquerda,  contra  o  politicamente  correto  e  questiona  os  discursos  ͞democráticos͟  dos  seus  opositores,  que  depredam  carros  e  queimam  ônibus  para  impedir  sua  liberdade  de  expressão.
Odiado  por  movimentos  radicais,  tanto  pelos  conservadores  quanto  por  progressistas,  ele  também  defende  uma  política  mais  severa  na  admissão  de  imigrantes  e  refugiados  aos  Estados  Unidos.  Com  tanta  polêmica,  o  autor  foi  expulso  do  Twitter,  censurado  por  universidades  e  o  lançamento  de  seu  livro  foi  boicotado  após  surgir  uma  campanha  difamatória  acusando-o  de  pedofilia.  Mas  esse  ataque  da  esquerda  não  o  calou.    Milo  tornou-se  a  figura  mais  polêmica  das  redes  sociais  ao  falar  aquilo  que  muitos  não  têm  coragem  expor  sem  gerar  grandes  inimizades,  e  agora  essas  ideias  finalmente  chegam  ao Brasil.
 Mas  CUIDADO!  Suas  ideias  podem  ser  perigosas...  ou  é  isso  que  querem  que  você  pense. 
 Redes Sociais:
| Site | Facebook | Instagram | Youtube |

Um xero!!!

Resenha #481 - Em Pedaços - Lauren Layne


Título: Em Pedaços
Autor(a): Lauren Layne
Editora: Paralela
Páginas: 248
Nota: 2/5
Para mim, cuidar de um veterano de guerra não é filantropia.
É uma forma de penitência.
Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com mais uma resenha, mas desta vez a minha leitura, apesar de ter sido fluída e até rápida, não foi a melhor, na verdade fiquei bem decepcionada com todo o enredo. Mas enfim, não dá pra ser bom sempre né.

Olivia Middleton é uma patricinha que vive em um mundo de glamour em Nova York. Mas, ela decide ir morar em uma cidadezinha na região do Maine. As pessoas com quem ela convive, acreditam que ela está indo por conta de seu grande coração, mas o que ninguém sabe, é que ela está fugindo.

Ajudar um ex-soldado a se recuperar de um trauma, para ela não era um exercício de caridade, mas sim de penitência e fuga. Ela cometeu um erro terrível e precisava ficar longe de todos e fazer algo para que ela pudesse sentir que estava se redimindo diante de sua situação mental.

Paul Langdon está fechado na pequena cidade de Bar Harbor no Maine e ele não precisa mais se olhar no espelho para saber, que ele não é mais o garoto bonito e atleta de alguns anos atrás. Ele está fechado em seu mundinho no casarão e para se manter recluso assim, fará qualquer coisa. 

Quando Olivia chega na casa, percebe que se enganou de pessoa. achava que Paul era um homem bem mais velho e não um rapaz quase de sua idade. 

Mas os boas vindas que ela esperava foi por água abaixo, pois ele era grosseiro e completamente sem noção em suas ações. Mas, ela não era de deixar por menos, revidou a altura, por mais que temesse não permanecer por muito tempo ali. 

Só que Paul não contava com o sentimento que Olivia trouxe para à casa: Esperança. Algo que ele não sentia há muito tempo e a qual não queria. Mas estava difícil resistir aos encantos dela. Sua presença cativante e alegre, contagiava qualquer um, até ele um rabugento sem fim.

Era nítido à atração que ambos sentiam. Era muito óbvio quando eles se aproximavam, as faíscas reluziam, mas Paul não queria dar o braço a torcer por orgulho e por medo do que, este sentimento poderia causar e Olivia não queria mostrar o quanto ele mexia com todos os milímetros de seu corpo.

Bom, eu esperava algo mais nesta história, sério. Eu esperava um desenvolvimento maior entre os personagens, mas o que eu encontrei aqui, foi uma mistura de raiva e frustração.

Paul é um grosseiro, um cara completamente babaca em todas as suas ações com relação a Olivia. Sinceramente várias de suas atitudes me deixou completamente contrariada e fiquei completamente chocada com que Lauren escreveu referente a personagem de Olivia aguentar tudo aquilo e muitas vezes calada. 

A forma abusiva com que ele a tratou e ela ainda dizia que se sentia atraída por um cara desses. Sério, isso me deixou muito revoltada. Teve várias cenas que eu achei que Olivia deveria ter ido embora faz tempo e ainda denunciar este cara por agressão verbal e assédio. Juro!!

Nada justifica um cara agir assim e muito menos a mulher se deixar submeter a este tipo de tratamento. Eu pensei em desistir de ler, mas o livro tem poucas páginas e fui até o fim. O que Paul fez para ela nos momentos finais do livro, foi demais pra mim e o pior foi ela se sentir culpada pela atitude dele, fala sério!

Enfim, Lauren me ganhou em Mais que Amigos e me perdeu neste livro que do começo ao fim, foi um absurdo maior que o outro. E eu não acreditei nas coisas que li. Eu sou o tipo da pessoa, que tento levar um pouco do que li não importa quão complicado a leitura tenha sido. Desde livro, só consigo levar, que uma coisa boa que Paul fez em sua vida, simplesmente apagou tudo, com suas atitudes egoístas e machistas, enfim infelizmente a leitura não foi legal.
Essa é a minha opinião pessoal sobre a leitura, mas pode ser que funcione melhor para ti, então se tem vontade de ler, aconselho que leia para tirar as suas próprias conclusões. 
Ficamos parados por alguns segundos, só nos encarando. Dois jovens mimados e em pedaços. Dois desastres.
Um Xero!

Resenha #480 - Inferno no Ártico - Claudia Lemes


Título: Inferno no Ártico
Autor(a): Cláudia Lemes
Editora: Independente
Páginas: 308
Nota: 4.5/5 (Dih) 5/5 (Veh)
Sentiu praticamente nada quando as mãos do homem com a máscara de chifres, ofegante, quente, envolveu seu pescoço fino. Ele apertou, a respiração acelerada e saindo com murmúrios, E Mollie aceitou os chamados para um lugar e tempo além daquelas dores e horror.
Boa noite, tudo bem com vocês?


Hoje teremos uma resenha em dueto, e como sempre as minhas partes (Veh) serão em vermelho, e da Dih em roxo.

Vocês devem estar se perguntando o por quê de desejarmos boa noite, sendo que esta resenha pode ser lida em qualquer horário do dia, mas aqui em Barrow é sempre noite independente da hora, como também faz muito frio, no momento, nosso termostato está batendo -3º negativos, e a neve cai furiosa lá fora.

Nós temos uma história para contar, que fará você se arrepiar, mas não de frio, e sim de medo, pois o que aconteceu em nossa cidade, poderia ter acontecido conosco, poderia ter acontecido você... poderia ter acontecido com qualquer uma de nós.

Barrow é uma cidade pacata que fica no Alasca, e no inverno por longos quarenta e cinco dias acordamos e dormimos em uma eterna noite. 

Barbara é uma brasileira, que muito nova sofreu um grande trauma, perdeu sua mãe, e foi obrigada a morar nos EUA com seu pai, um policial extremamente bem quisto. Ela segue os passos de seu pai e também exerce a mesma função, porém após descobrir um grande segredo do seu passado, Barbara resolve se mudar para Barrow e consegue trabalhar na área que ela mais queria, porém ela tem problemas de adaptação, odeia seu parceiro - Bruce, sofre constantemente preconceito de seus colegas machistas, mas o pior de tudo é ter que conviver com a noite, pois ela tem medo da escuridão, mas sabe que precisa superar sua fobia e enfrentá-la.
Feridas têm personalidade própria; é preciso reconhecê-las, explorá-las e deixá-las expostas ao ar para que a cura venha. E era o seu motivo de estar em Barrow: ficar a sós com suas feridas.
Não demora para Barbara ser chamada junto com Bruce, para seu primeiro caso de homicídios, mas o que ela encontra é algo extremamente bizarro. Há uma criança morta carbonizada e restos de velas pretas ao seu redor, dando indícios que o assassinato, tenha motivos ritualísticos.

E assim começa a caçada por serial killer, experiente, sádico, insano, pedófilo... e satanista.
As cartas do Executor eram parecidas em conteúdo, escolha de palavras e forma de descrever os crimes. No entanto, foram assinadas por nomes diferentes: Thanatos, Nyx, Lethe, Lilith e em uma, Um Servo d'O Iluminado."
Confesso que eu estava muito ansiosa por esta leitura. A Cláudia tem uma escrita viciante, que nos prende do inicio ao fim e com este livro não foi diferente. Eu gostei muito da construção dos personagens. A leitura em terceira pessoa, dá para dimensionar o todo e termos a visão de cada situação. O desenvolvimento deles, em sua personalidade e ações mexeram muito comigo. Eu já imaginava que eu teria surpresas, porque o título já traz uma densidade, mas teve umas cenas que o gelo chegou no meu estômago e congelou tudo por muito tempo. E estas cenas ainda estão bem frescas na minha mente como se eu tivesse visto pessoalmente.

Como a Dih, eu também estava louca por esse livro, e eu comecei a leitura em um dia e terminei no outro, eu fiquei por tanto tempo com ele aberto que o coitado ficou torto! Toda a espera valeu a pena, e eu fechei o livro feliz, satisfeita, extremamente surpresa com as reviravoltas que esse livro tem, e como sempre, com gostinho de quero mais livros da Claudia. 

Eu gosto de livros que trazem uma reflexão, mesmo que ele seja voltado para o suspense e horror. Eu acredito que justamente nestas temáticas, a reflexão venha mais profunda. Eu vi o machismo aqui gritando alto e me causou repulsa. Acho que em pleno século 21 os homens ainda se acham donos da razão e acham que as desculpas esfarrapadas de que perdeu o controle, justifica a violência. A  mulher pode parecer um ser frágil por ser mulher, mas ela não precisa passar por nada disso. Ela não é um bicho que se caça e põe dentro de casa para domar, esse tipo de relacionamento abusivo me irrita e é mais dolorido, ver que muitas mulheres passam por isso caladas. Desculpem o desabafo rs.

A saraivada de plot twist é gigante, o que faz você querer ler, mais e mais e mais. A autora fez uma pesquisa muito sinistra e corajosa, sobre Satanismo Acósmico, fazendo com que o livro que é de um gênero Thriller policial, contenha também nuances de terror, fora as reflexões sensacionais citadas pela Dih acima, existem também a questão dos vilões que cercam a trama, onde fica a questão sobre o quanto alguém pode ser louco ou simplesmente mau, e até onde podemos acreditar fielmente em nossas crenças e valores.

A ambientação está muito bem detalhada e sem exageros. Eu gostei muito da descrição de cada acontecimento e das reviravoltas que se sucederam nas cenas. Era um salto atrás do outro, até suei no frio, tenho que confessar isso. E justamente no dia em que eu estava prestes a terminar o livro, o tempo virou em sampa e me senti em Barrow. Gente este livro é maravilhoso!!! Se você curte esta temática, não pode deixar passar este nacional. Recomendo demais. 

SIM! A Claudia é uma das maiores autoras nacionais do nosso pais, e um exemplo de superação devido a sua determinação, sua coragem e força de vontade, e podem ter certeza que vocês ouvirão ainda muito seu nome no universo literário, e afirmamos isso sem motivos para bajulação, e sim por motivos de TALENTO.



Eu achei a diagramação do livro simples, mas foi bem feita, porque cada capítulo vem com uma folha preta e isso me deixou bem animada. Cada nome vem com uma particularidade do livro e o que esperar naquele capítulo. Encontrei apenas um errinho de revisão, o que não atrapalha em nada a leitura. Eu só tenho a agradecer, por temos autores nacionais com escritas maravilhosas, que são capazes de nos fazer mergulhar na história de uma forma, como se estivéssemos lá fazendo parte de tudo. Obrigada Cláudia, por escrever maravilhosamente bem e por sempre me surpreender em um enredo. 

Lembrando que este livro, é uma produção independente, e não está a venda em livrarias, mas vocês podem adquiri-lo no site da autora, mas corram, porque não sabemos quantos exemplares ela ainda tem. Aproveitem, pois vale muito a pena.


Um xero no coração de todos.
E uma boa noite, porquê aqui em Barrow é sempre noite.
Aqui qualquer um pode ser a próxima vítima, não há margem para indiferença, para esperança... estamos no ártico, isolados, presos pelas condições climáticas, por tudo. Se eu tivesse uma filha...

Resenha #479 - Um Vento à Porta - Madeleine L'Engle


Título: Um Vento à Porta #2
Autor(a): Madeleine L'Engle
Editora: HarperCollins Brasil
Páginas: 224
Nota: 5/5
O Trabalho da Dra. Colubra era forçadamente mais simples, e Meg não sabia ao certo como ela reagiria a conversa sobre um estranho Professor obscuro, de mais de dois metros e meio, e ainda menos certeza quanto a como reagiria à descrição de um querubim. Provavelmente iria insistir que eles estavam sofrendo de psicose coletiva e que deveriam dirigir-se imediatamente a um psiquiatra.
Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com a sequência de Uma Dobra no Tempo, um livro que gostei muito, mas confesso que ameei de todo meu coração este segundo, então ele não caiu na maldição do segundo livro.

Por ser um clássico, a história se passa em um tempo diferente do nosso, mas devo confessar que parece ser bem atual, por conta das transformações que acontecem e como a autora é super esperta em ter escrito algo já visando o nosso futuro.

Apesar de ser sequência, a história que acontece em Um Vento à Porta é diferente do primeiro livro. São os mesmos personagens  e alguns novos, mas a história em si é bem diferente, por isso não corre o risco de spoiler.

Charles Wallace, está correndo um grande perigo, mas não só ele, o mundo inteiro também. E quando a família Murry acreditava que as coisas tinham voltado aos eixos, as coisas começaram a ficar muito dificieis. 

Charles, está com 6 anos e na escola, porém não está sendo uma boa experiência. Ele sofre Bullying constante e sua irmã Meg fica muito chocada com tudo e ainda mais porque o diretor, que deveria ser responsável pelo menino, parece que está alheio a tudo ou finge não se importar. 

Meg tenta ajudá-lo, porém não consegue, porque ele fica muito doente e ainda com tudo isso, demonstra que há algo estranho acontecendo. Charles diz que vê dragões no quintal de casa. E mesmo desconfiando que pode não ser verdade, ela o deixa falar. 

Só que Meg termina descobrindo que o que Charles dizia tinha seu fundo de verdade, mas descobre que os dragões que seu irmãozinho enxergava, não eram e sim Progioskes, querubins feitos de asas, vento e chamas. 

A partir daí é que a aventura começa. Pois, Meg junto com seu amigo Calvin precisam correr contra o tempo para salvar seu irmãozinho e em contrapartida, salvar o equilíbrio do mundo.

Desta vez a aventura vai acontecer dentro do corpo de Charles, pois o equilíbrio deve ser restaurado, porém as suas células estão brigando entre si.

Eu amei essa história e como as crianças vão se envolvendo nas aventuras e como as coisas vão se desenrolando. 

Meg deu uma amadurecida, mas continua relutante em acreditar em coisas incomuns  e das coisas que seu irmãozinho fala, tipo ela é daquelas que precisa ver para crer e por isso é desafiada  demais para ter mais fé nas coisas e que elas podem sim acontecer, longe de nossos olhos. 

Calvin não apareceu muito, ele se mostrou mais nas partes finais do livro e mesmo com a sua pouca participação, ele foi maravilhoso. Sempre com palavras certas a dizer, se mostrou corajoso em momentos cruciais. Me fez gostar ainda mais deste personagem e rezando para que ele apareça mais nos demais livros.

Novos personagens inseridos, deram aquela guinada na história, que me deixou aflita e ao mesmo tempo carregada de esperança. Madeleine, tem um jeito bem peculiar em escrever as suas histórias, e em diversos momentos fiquei imaginando, como seria escrever este livro.

Tem algumas partes de difícil entendimento, tenho que confessar, pois é algo mais elaborado, devido ao contexto do enredo, mas que não senti que me atrapalhou, na verdade me deixou bem mais curiosa. Devo ressaltar o aprendizado aqui. Me senti novamente na escola, ou como uma pessoa de QI muito alto. Quanto eu apostei em começar a leitura desta série, não imaginava que iria amar tanto.

Aqui os valores do amor e da amizade são sobressaltados e também os desafios do que você é capaz de fazer ou enfrentar por aqueles que mais ama, é colocado constantemente a prova, mas valeu a pena, porque nossos personagens cheios de energia, foram até o fim e eu torci muito por eles. Já sinto saudades. Preciso ler o terceiro logo. 


O livro é de capa dura, o título completamente condizente com o que se esperar da história. Ele é leve, pode ser levado para qualquer lugar tranquilamente. Suas folhas são amareladas e com uma fonte em tamanho confortável a leitura. 

Eu recomendo  demais o livro. Se você gosta de ficção científica bem aflorada e muita aventura, este livro é o certo para você. 
-Vocês ficaram muito tempo fora.
-Foram contar as estrelas ou algo assim?
-Não precisamos contar - disse Meg. -Só precisamos conhecê-las pelo nome.
Um xero!