Cinco Motivos Para Ler #1 - A Capela - Jhefferson Passos

Olá leitores, tudo bem com vocês?

Hoje iniciarei uma nova tag no blog, que pelo incrível que parece ainda não tínhamos feito, mas que é bastante comum no universo literário que são os cinto motivos para ler.

E eu escolhi o nosso parceiro do blog, Jhefferson Passos com seu livro: A Capela.

Resenha                                                                 Quotes



1 - Narrativa: O livro é um thriller terror psicológico, narrado em terceira pessoa, onde nos é contado a história de dois amigos que estão presos dentro de uma capela abandonada no meio de um canavial macabro. Eles não podem sair da capela devido a uma entidade maligna está os aguardando do lado de fora, para poder devorá-los, da mesma forma que eles acreditam que já foi feito com seus outros amigos que desapareceram, porém as memórias de ambos estão fragmentadas, sendo assim, não podemos confiar que tudo o que acontece é real, ou um simples delírio.

2 - Personagens: Vou citar os dois principais que são a Anna como personagem principal e o Marcelo como secundário. Ambos foram muito bem trabalhados, eles tem traumas do passado que veem à tona, enquanto estão enclausurados. Não temos aqui uma heroína e um herói, e sim duas pessoas comuns e cheias de defeitos, que sofreram muito no passado, que guardam segredos e que estão sendo obrigados a reviver e enfrentar seus medos e desejos reprimidos.

3 - Cenário: O livro é ambientado o tempo todo dentro da Capela, causando uma sensação claustrofóbica. Os personagens ficam por dias presos, sem água e sem comida, e chegam num ponto que não sabemos se o maior perigo está dentro ou fora da capela.

4 - Desenvolvimento: A tensão que essa história nos causa é gradual e latente. É impossível não sentir empatia pelos personagens devido a situação deplorável que eles estão. O medo que eles sentem é tão forte, que nós também acabamos sentindo um pouco desse medo. O livro não é previsível, sendo assim, cada capitulo que lemos é repleto de mistérios e revelações.

5 - Conclusão: Sabe aquele final que você tem ler novamente, porque foi tão surpreendente que você não acredita no que acabou de ler? É o que acontece aqui, e podem ter certeza que vocês encerram a leitura, extremamente satisfeitos.

Sendo assim se você é amante de livros de terror, não perca a oportunidade de conhecer esse livro incrível, que está disponível na Amazon por um preço super acessível.

E cuidado com a Mal que os observa enquanto vocês dormem.

Resenha #468 - Bem Safado - Lauren Blakely

Livro cedido pela editora

Título: Bem Safado #3
Autor(a): Lauren Blakely
Editora: Faro
Páginas: 240
Nota: 3.5/5
Resenhas: Big Rock #1Mister O #2 | 
Era uma vez um cara e uma garota, e então tudo deu errado.
Fim.
Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com a Resenha de Bem Safado, mais um livro escrito pela fofíssima Lauren Blakely e publicado aqui no Brasil pela Faro Editorial.

Eu sou muito empolgada com esta série. Eu gosto muito das histórias criadas pela Lauren. Ela tem uma escrita viciante e melhor, ela traz a mente masculina com a narrativa principal.

Wyatt é o irmão de Nick de Mister O, ele é um empreiteiro bem sucedido, um excelente marceneiro, mas a organização passou longe dele. Nisso, ele conheceu a Natalie e a contratou para trabalhar em sua empresa, para cuidar da organização e da parte burocrática. 

Entre os dois rola uma tensão sexual. Ele tenta não pensar nela e permanecer com a relação apenas no âmbito profissional. Eles tem uma boa relação de chefe e funcionária. De vez em quando saem para beber e colocar o papo em dia, mas nunca passa disso.

Eles receberam uma proposta de trabalho e foram para Las Vegas para fazer o orçamento, quando estavam comemorando em um bar, receberam a triste notícia que não iria mais acontecer, teve que ser adiado, então para salvar a noite, eles tiveram a ideia de aproveitar tudo que a cidade do pecado poderia oferecer. Então, aproveitaram desde uma montanha -russa, até uma capela de casamentos. 

Aquela frase famosa de que tudo que acontece em Vegas, fica em Vegas, para eles não se aplicam, pois nada ficou apenas em Vegas. E agora com a situação de "casados" Waytt se vê perdido, pois sente algo, mas ou não quer admitir, ou está realmente apaixonado por Natalie e permanece com o status de casado, mas pra valer. 

Tenho que confessar que este terceiro livro não me divertiu tanto quanto eu imaginei. Eu tinha gostado do Wyatt em Mister O, mas não sei o que aconteceu, que neste livro, não senti conexão com ele e muito menos com a Natalie. Não sei, ele pareceram sim ter uma química e isso ficou bem visível, mas eu não curti muito a relação deles dois não. Só as partes finais que eu comecei a sentir algo, mas o livro chegou ao fim.

A história não é ruim, jamais. A Lauren é maravilhosa e a escrita dela flui bem. Mas eu demorei bem mais para ler este livro, do que os outros dois da série. Vamos ver se em Pacote Completo eu consiga me apaixonar.


Wyatt é tranquilão, reconhece que é um fanfarrão e que a organização não faz parte de sua vida. Ele manda bem na marcenaria, gosta dos animais, é voluntário em um ong e é uma pessoa bem alegre, mas não sei porque não me senti cativada por ele. Acho que o achei imaturo em algumas situações e talvez isso tenha me deixado com um pé atrás.

Natalie é um doce de pessoa, bem simpática, dedicada e muito eficaz com o que faz. Ela ajuda Wyatt pra caramba, deixando a empresa bem-quista e muito organizada. Mas eu a achei um tanto impulsiva quando se trata de estar perto do seu objeto de tentação, tanto que lhe causou alguns infortúnios.  

De qualquer forma se você ama romances com a pegada hot, com relações de amizade e família, este livro é perfeito. Os livros de cada personagem é independente, você pode ler fora de ordem tranquilamente, mas eu sempre aconselho que leiam na ordem.


A diagramação está simples, mas bem feito. Não encontrei nenhum erro de revisão, pelo menos não lembro. As folhas estão bem fixas, páginas amareladas e a fonte em um tamanho bem confortável aos olhos. As folhas são grossas, mas os livros são bem leves, dá para ler em qualquer lugar e em qualquer situação, até em um ônibus cheio rs.

Espero que tenham curtido e me digam nos comentários, se já leram ou se pretendem ler. Um xero no coração de todos!!
Começou com seis meses de tensão sexual. Acrescente dois mojitos para ela, duas cervejas para mim e algumas vodcas com tônica. Misture tudo isso com notícias negativas nos negócios e finalize com uma cerejinha, isto é, com o comentário da Natalie que me pegou em cheio ao revelar com clareza o que ela estava querendo... e cá estou eu.

Resenha #467 - O Homem de Giz - C.J. Tudor


Título: O Homem de Giz
Autor(a): C.J Tudor
Editora: Intriseca
Páginas: 272
Nota: 3/5 
Olá leitores, tudo bem com vocês?

Após passar por uma ressaca gigantesca, consegui finalizar um livro que já estava lendo a um tempinho, e hoje trarei para vocês a resenha de O Homem de Giz.

O livro é narrado em dois tempos passado (nos meados dos anos 80) e no tempo atual que é no ano de 2016.

Temos como protagonista o Ed, e toda a história é contada na visão dele.

No passado, Ed e seus amigos, todos com cerca de doze anos, passam por situações estranhas, envoltas em assassinatos, intrigas e mistérios. Ocorre um desfecho no crime, mas Ed não fica exatamente satisfeito com a conclusão, devido a saber algo que ninguém mais sabe, porém guarda esse segredo.

No presente, os personagens são estão com mais de quarenta anos, todos amargurados e afastados um do outro. O passado bate à porta de Ed, quando um de seus amigos de infância, resolve fazer uma visita. E nesta visita o assassinato do passado volta a pauta, quando ele afirma a Ed, saber quem é o verdadeiro assassino de tempos atrás.

Não demora a ocorrer uma morte no tempo atual também, e Ed e seus amigos recebem cartas misteriosas.

Será que as mortes estão interligadas?

Eu não achei esse livro de todo ruim, mas esperava bem mais da história. Um dos grandes motivos que me interessaram a lê-lo foram as menções a Stranger Things e It, e o livro tem momentos oitentistas, uma turma com quatro garotos e uma garota, e uma leve pegada sobrenatural (que não vi graça), mas não posso afirmar muito a familiaridade ao It, pois não li o livro e não dá para se basear no filme. Mas em relação a Stranger Things, ao meu ver, passou bem longe.

Os personagens não são cativantes, o único personagem bem desenvolvido é o protagonista, as revelações que ocorrem no livro não são arrebatadoras, a ponto de eu ler e pensar “sério que é só isso?” e o melhor do livro para mim, foi o último capitulo que são cerca de duas páginas, ali foi o único momento que ocorre uma situação que alguns estão criticando, mas que eu achei interessante.

Agora em relação à diagramação, devo dizer que ela é impecável e foi o grande motivo de querer esse livro. É de capa dura, e tanto por fora como na contra capa, tem diversos bonequinhos de giz. As paginas são amareladas, as letras são de um tamanho normal, e não vi nenhum erro de revisão.



De qualquer forma, eu não digo que não recomendo a leitura, pois não há nada de errado nela, e cada um de nós tem uma percepção diferente, então o que não foi tão bom para mim, pode ser ótimo para você, mas sugiro que não leia com muitas expectativas.
Nem sempre o que nos molda são as nossas realizações, e sim as nossas omissões.
Espero que goste e até a próxima resenha.



Lançamentos de Agosto: Faro Editorial



Olá pessoas, tudo bem???

Antes tarde do que nunca, venho falar dos lançamentos da Faro Editorial para vocês e aproveito para dizer que eles estavam lindos na bienal de sampa. Com o estande próprio, e com pessoas super simpáticas para atender os leitores. Agora não posso deixar de citar os autores nacionais que estavam super atenciosos com os leitores e todos muito simpáticos. Parabéns ao Pedro, Andréa e a todos que fizeram do estande um sucesso, cada minuto que passamos lá foi incrível.

O melhor livro de Charlie Donlea - até agora. O destino de Grace Sebold toma um rumo inesperado durante uma tranquila viagem com o
namorado. O rapaz é assassinado... e ela é condenada pelo crime. Depois de dez anos na prisão, surge a chance de Grace provar sua inocência ao conhecer a cineasta Sidney. Em um documentário que exibe as falhas do processo, a cineasta questiona se a condenação foi fruto de incompetência policial ou se a jovem foi vítima de uma conspiração. Antes do término das filmagens, o clamor popular leva o caso ser reaberto, mas um novo fato provoca uma reviravolta: Sidney recebe uma carta anônima afirmando que ela está sendo enganada pela assassina. A cineasta começa a investigar o passado de Grace e quanto mais se aprofunda na história, mais dúvidas aparecem. No entanto, agora, o que está em jogo não é apenas a repentina fama e carreira, mas sua própria vida.


Agora temos uma breve entrevista com o autor Charlie Donlea, disponibilizado pela Faro aos seus parceiros e claro que eu quis trazer, para que vocês possam saber um pouco mais sobre este autor super simpático.

Charlie Donlea - Foto retirada do Google

1) Alguns  autores  gostam  de  argumentar  ou  abordar  uma  questão  problemática  quando  escrevem.  Existe  algo  desse  estilo  que  você  aponta  no  livro?  Se  sim,  o  que  é?  

Charlie: Meus  romances  são  para  leitura  pura  de  escape,  então  eu  não  os  vejo  lidando  com  questões  sociais  de  qualquer  forma  mais  grandiosa.  No  entanto,  um  tema  comum  entre  os  meus  três  romances  é  a  obsessão  da  sociedade  com  casos  de  pessoas  desaparecidas  e  assassinatos  não  resolvidos.  Revistas  de  cultura  pop  frequentemente  apresentam  em  suas  capas  meninas  desaparecidas,  algumas  das  quais  foram  encontradas  depois  de  terem  sumido  por  anos.  As  perguntas  comuns  incluem  como  elas  foram  levadas,  por  que  elas  não  escaparam  mais  cedo  e  como  estão  se  reajustando  à  liberdade.  Meu  primeiro  romance,  A  garota  do  lago,  lidou  com  a  tentativa  de  um  pai  de  manter  sua  filha  assassinada  longe  dos  tabloides,  enquanto  uma  tenaz  repórter  investigativa  chega  à  pequena  cidade  onde  o  assassinato  ocorreu  para  procurar  respostas.  Deixada  para  trás  conta  a  história  de  duas  garotas  raptadas,  uma  que  reaparece  e  outra  que  não.  A  garota  que  consegue  voltar  para  casa  escreve  um  livro  best-seller  de  memórias  que  a  atrai  aos  olhos  do  público  e  chama  a  atenção  para  partes  de  sua  história  que  ela  queria  manter  em  segredo.  Meu  último  romance,  Não  acredite  em  ninguém,  aborda  a  obsessão  do  público  com  documentários  sobre  crimes  verdadeiros  e  conta  a  história  de  uma  cineasta  criando  um  documentário  em  formato  de  série  semanal  que  vai  aprofundar  nos  detalhes  terríveis  de  um  assassinato  no  Caribe  que  aconteceu  há  uma  década,  e  que  explora  a  mulher  enigmática  que  foi  condenada  por  esse  crime.  Uma  linha  comum  entre  as  três  histórias  é  a  sede  insaciável  do  público  por detalhes  mórbidos  de  histórias  perturbadoras.  

2)  O  que  te  inspirou  para  a  ideia  desse  livro?  

Charlie: Eu  sou  um  verdadeiro  viciado  em  crimes.  O  podcast  Serial  me  viciou,  e  Making  a  Murderer  me  causou  aflição.  Desde  então,  tenho  visto  todos  os  documentários  sobre  crimes  reais  na  Netflix.  Minha  maior  reclamação  sobre  esses  filmes  é  que  eles  tendem  a  levantar  mais  questões  do  que  responder.  Então  eu  decidi  que  a  história  de  um  documentarista  revelando  os  segredos  do  assassinato  de  dez  anos  atrás  não  apenas  forneceu  uma  grande  premissa  para  um  romance  oportuno,  mas  também  me  deu  a  habilidade  de  criar  um  final  tão  selvagem  quanto  minha  imaginação  pudesse  conceber.  Espero  que  os  leitores  sintam  que  o  final  de  “Não  acredite  em  ninguém”  não  só  prende  pontas  soltas  de  uma  maneira  que  documentários  reais  raramente  fazem,  mas  que  também  fornece  um  final  chocante  que  os  obrigará  a  voltar  algumas  páginas  para  ver  como  eles  não  o  descobriram  antes.  

3) Quais  são  as  coisas  mais  importantes  sobre  você  que  gostaria  que  os  futuros  leitores  soubessem?

Charlie: Acredito  sinceramente  que,  para  que  um  romance  seja  bem-sucedido,  ele  precisa  atrair  um  leitor  de  volta  para  ele  depois  que  param  de  ler.  Se  um  livro  é  fácil  de  deixar  de  lado  e  difícil  de  entender,  a  maioria  dos  leitores  (inclusive  eu)  desistirá  dele.  Estou  ciente  disso  quando  escrevo.  Eu  sei  que  há  uma  competição  acirrada  por  outros  livros,  televisão,  filmes  e  muito  mais.  Então,  tento  tornar  difícil  para  os  leitores  largarem  meus  livros.  E  eu  me  asseguro  de  incluir  nas  páginas  razões  suficientes  para  os  leitores  retornarem  à  leitura.  

4) Há  outras  coisas  que  você  gostaria  que  os  leitores  soubessem  sobre  você  ou  sobre  o  novo  livro?  

Charlie: O  cenário  de  Não  acredite  em  ninguém  é  um  resort  tropical  em  St.  Lucia  chamado  Sugar  Beach  Resort.  É  um  resort  na  plantação  de  Jalousie,  o  mesmo  que  o  ator  Matt  Damon  escolheu  para  renovar  seus  votos  de  casamento.  Minha  esposa  e  eu  descobrimos  o  resort  enquanto  visitávamos  a  ilha  no  Spring  Break  –  feriado  de  primavera  americano  -  com  nossos  filhos.  Eu  pensei  que  seria  o  local  perfeito  para  o  meu  romance.  Tanto  que  minha  esposa  e  eu  voltamos  para  Sugar  Beach  no  ano  seguinte  para  celebrar  o  nosso  aniversário  e  fazer  algumas  pesquisas  muito  necessárias  para  criar  este  livro.  Essa  relação  com  Matt  Damon  vem  de  um  guia  de  St.  Lucia  que  trabalhava  para  o  Sugar  Beach.  Eu  o  contratei  para  nos  levar  em  uma  excursão  para  ajudar  em  minha  pesquisa  pela  ilha.  Nós  perguntamos  se  ele  acompanhou  o  Matt  Damon  ou  qualquer  celebridade  ao  redor  da  ilha.  Não,  ele  nos  disse.  Mas  ele  transportou  o  fotógrafo  de  Damon  de  volta  ao  aeroporto  após  a  renovação  do  voto.  Próximo  o  suficiente! 

5) Qual  foi  a  coisa  mais  louca / engraçada  que  você  já  fez  em  nome  da  pesquisa?  

Charlie: Minha  pesquisa  mais  agradável  foi  visitar  o  Sugar  Beach  Resort  para  o  livro  Não  acredite  em  ninguém.  Minha  maior  loucura  foi  visitar  um  necrotério  para  ver  uma  autópsia  para  Deixada  para  trás.  Digamos  que  as  pernas  bambas  e  a  cabeça  girando  não  foram  nada  glamorosos.  

É isso gente, agora vamos falar um pouco do outro lançamento da editora, que fez muito sucesso na bienal, pois se trata do ultimo livro, então a série foi finalizada. Tive a oportunidade de conversar com o Rodrigo e ele é uma pessoa super simpática e muito inteligente, conversar com ele sobre a ambientação da série, como surgiu a ideia, foi perfeito. 


O último livro da saga AS CRÔNICAS DOS MORTOS. Zumbis, tiranos e rebeldes travam sua derradeira batalha pela sobrevivência da espécie humana.
Os trágicos acontecimentos que dizimaram os habitantes da Serra Catarinense levaram Sarah e Fernando a caminhos diferentes, o que só reforçou o desejo de derrubar o terrível ditador Otávio a qualquer custo.
Separados, os jovens enfrentam uma odisseia pela sobrevivência, em meio a navios abandonados, grupos em guerra e trabalho escravo. Agora, todos sabem que Otávio detém as mais poderosas armas de guerra já concebidas e está disposto a usá-las contra qualquer um que fique em seu caminho.



Redes Sociais:
| Site | Facebook | Instagram | Youtube |

Um xero!!!

Resenha #466 - Entre Laços e Conflitos - Helô Delgado

Cedido em parceria com a autora.
Título: Entre Laços e Conflitos
Autor(a): Helô Delgado
Editora: Editora Coerência
Páginas: 329
Nota: 5/5  

Olá, tudo bem com vocês?

Hoje eu trago a resenha do mais novo livro da nossa autora parceira Helô Delgado, lançado pela Editora Coerência - Entre Laços e Conflitos.

Natália era uma adolescente que vivia um verdadeiro conto de fadas, morava com seu pai, na cidade de Poços de Caldas, estudava em uma escola particular, tinha uma melhor amiga chamada Elisa e namorava o grande amor platônico da sua infância, o Igor.

Só que sua vida perfeita foi por água abaixo, quando ela foi violentada, pelo namorado de sua melhor amiga e melhor amigo de seu namorado - o Danilo.

Natália decide esconder o que havia acontecido e tenta seguir em frente, só que desse abuso, ela ficou grávida de gêmeos.

E mais uma vez ela preferiu guardar este segredo e decidiu simplesmente sumir, se mudando para Belo Horizonte.

Quinze anos se passaram, e Natalia volta para Poços com seus filhos, Mariana e Guilherme.

O motivo? Há uma nova batalha que ela deve vencer, que é a grave doença que o Guilherme possui. E para isso ela precisa da ajuda do Danilo, para fazer o teste para transplante de medula.

Natália se vê em uma situação complicada, ela precisa do Danilo, pois Guilherme a cada dia que passa está mais debilitado, e mesmo o repudiando tenta manter um laço com ele, pois seu ódio por Danilo não supera o amor que ela sente por Guilherme.

E ela ainda precisa enfrentar Elisa, que acredita que ela seja uma safada oportunista que a traiu no passado com seu namorado, e seu coração é abalado quando não demora a reencontrar com Igor, ambos ainda sentem uma forte atração, mas Igor também acredita que Natália simplesmente fugiu por causa da traição.

Vocês com certeza estão se fazendo a mesma pergunta que eu fiz, e que é levantado várias vezes no livro : Por que a Natália não denunciou o Danilo?

E sim, a Natália foi errada por ter se silenciado, como também, é muito fácil julgar as pessoas que se calam quando sofrem algum tipo de abuso, mas é preciso entender que cada pessoa reage de uma forma ao ser coagido, ameaçado ou se sentir em situação de perigo.

Estamos lendo um livro de ficção que retrata, o que a maioria das vitimas de abuso sofrem na vida real: o medo e a vergonha. Dói aceitar, mas vivemos em uma sociedade machista que cultiva a cultura do estupro, onde a vitima é a culpada, por ter vestido uma roupa curta, por ter bebido demais e por ai vai. E não existe justificativa, para um ser humano se achar no direito de tocar em outro ser humano, sem a sua concessão ou sem estar apto. 

O livro tem um tema central forte, mas também é divertido, graças ao gêmeos que são dois adolescentes maravilhosos, engraçados e cheios de vida, mesmo passando pelas dificuldades atuais. E mesmo a autora sendo ótima em escrever livros destruidores (quem já leu sabe do que estou falando), trouxe muita alegria e romance nesse livro, mas não se preocupem, não existe romantização no que não deve ser romantizado.

Você sentirá raiva, empatia, preocupação, emoção, amor por com alguns personagens e ódio por outros, e talvez não concorde com algumas situações que ocorrem no decorrer deste livro, mas ele é um drama que retrata a realidade de muitas mulheres e seus abusadores.


Entre Laços e Conflitos conta a história de uma mulher forte, que não se arrepende das escolhas que fez, e que luta diariamente contra seus demônios internos, que busca o amor, a redenção, a cura, a liberdade e a felicidade.




Espero que gostem e até a próxima resenha.









Resenha #465 - Ônix - Jennifer L. Armentrout


Título: Ônix
Saga Lux Livro 2
Autor(a): Jennifer L. Armentrout
Editora: Valentina
Páginas: 416
Nota: 5/5
Resenha: Obsidiana
Comecei a imaginar uma série de situações loucas ao ver seu sorrisinho tornar-se mais malicioso, mas me recusava a continuar jogando aquele jogo. Revirei os olhos e voltei a olhar para o quadro-negro. Precisava resistir aos hormônios... e à maneira como ele mexia comigo como nenhum outro.
Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho finalmente com a resenha de Ônix. Já li faz algum tempo, mas as correrias da vida impediram que eu trouxesse antes. Desculpas a parte, eu quero dizer que Jennifer só me ganhou ainda mais com a leitura deste segundo livro. Se antes eu tinha amado Obsidiana, Ônix trouxe muito mais informações para nós, os leitores curiosos.

Não há como resenhar uma sequência de livro sem possíveis spoilers, portanto, colocarei mais as minhas considerações.

Saber que Daemon é um alienígena não é spoiler. E estar conectada a ele de alguma forma, deixa nossa protagonista completamente indignada. Em sua mente, Katy acredita que as ações dele, segue-se por conta desta bendita conexão. E ela vai tentando lutar contra este sentimento que a arrebata desde o primeiro livro. 

Ler a narrativa em primeira pessoa, pela nossa protagonista Katy, dá para sabermos um pouco mais do que ela sente profundamente, vemos seus medos, mas também a sua coragem em defender aquilo que acredita. Ela se deixa envolver pela amizade que tem por Dee, mesmo que as coisas estejam mais complicada no momento.

Personagens secundários, apareceram mais na história, a deixando mais envolvente e dinâmica. O livro é cheio de ações e acontecimentos importantes. Katy vai se redescobrindo e vai aprendendo coisas novas também. Uma mudança inesperada começa  acontecer em sua vida, que a deixa surpresa e querendo se desenvolver melhor com a descoberta.

Um novo personagem é inserido causando curiosidade e desconfiança entre Daemon e Katy. Ele que já é ciumento, demonstra isso de uma maneira mais forte e as vezes deixa Katy desconfortável. Só que inicialmente Blake parece totalmente inofensivo e entre eles surge uma nova amizade que mexe com os pensamentos dela. Será possível ela se sentir balançada por outra pessoa e esquecer do que sente por Daemon? 

Daemon se irrita muito com Blake e nunca o chama pelo nome, causando uma irritação, que somente ele é capaz de causar, mas será que as desconfianças de Daemon são infundadas? Ou será que ele sentiu que Blake esconde algo e Katy não quer enxergar?

Alguns segredos são revelados e o leitor começa a compreender algumas coisas que ficaram no ar no primeiro livro e novas descobertas foram feitas que me deixaram boquiaberta. Os acontecimentos finais me deixaram doida, querendo ler logo o terceiro livro, que ainda bem já tenho. 

Ônix, não veio com a maldição do segundo livro e eu o li de maneira rápida. Daemon, continua apaixonante com seu jeito sarcástico e brincalhão, mas quando precisa levar as coisas a sério ele está ali para o que der e vier. E por mais que ele defenda a sua família e os seus amigos, ele demonstra a Katy que faria qualquer coisa por ela.

Katy, tomou algumas decisões ruins que afetaram outras pessoas, mas eu relevei algumas de suas atitudes, porque elas não foram egoístas, mas demonstrou pra que ficasse de olhos abertos e não confiar tão facilmente em qualquer pessoa. 

Por mais que ela desejasse, era inevitável, de que ela não teria uma vida normal e tão pacata quanto era, antes de seu vizinho chegar. 


A diagramação do livro está bem simples. As folhas são amareladas e a fonte em tamanho médio. O Papel pólen deixa a leitura bem leve e rápida e a escrita está de fácil entendimento. 

Todas as vezes que eu leio algo sobre estes livros, fico com mais vontade de ler e minha expectativa sobre eles só crescem, mas até agora, elas estão sendo superadas.  Eu recomendo!!!

Este livro tem muita relação de confiança, amizade e ação, para quem curte esta junção, vai adorar a leitura!
Engoli em seco, incapaz de falar. Estava petrificada pelo choque. Senti e reconheci o familiar arrepio quente na nuca, mas não consegui me mover. O pequeno "evento" drenara minhas energias e minha cabeça... pulsava loucamente. Uma dor assustadora indicava que algo estava muito errado.
Um xero no coração de todos!!!!

Abandonei sem dó #6 - O que Restou de Mim - Kat Zhang


Olá pessoas, tudo bem?

Hoje eu venho com mais um livro abandonado. Mas juro que tentei e muito curtir a história, mas chegou num ponto que não dava mais. Então tive que abandonar, nada de ficar perdendo tempo!

Esta tag foi criada pela Mi do blog Suddenly Things.


**Do que se trata o livro?

Fala sobre a história de duas almas dividirem o mesmo corpo. Na realidade em que elas vivem, as crianças nascem assim. Mas ainda na infância uma das almas se tornam dominante. Só que com Addie e Eva isso não acontecia, elas eram híbridas. Só que os híbridos foram considerados perigosos e foram perseguido e eliminados. Com isso Addie e Eva, simplesmente escondem que compartilham o mesmo corpo e Addie domina mais, ainda que a consciência de Eva esteja presente em seu pensamentos.

**Em qual página você parou?

Na 196//316

**O que achou da personagem principal?

Achei Eva muito submissa a Addie, ainda que ela dominasse mais o corpo, Eva tinha tanta capacidade quanto sua irmã, como se chamavam. Achei que ela poderia tentar e querer mais, só que pra ela ficou mais confortável que Addie comandasse. Embora, depois eu tenha percebido, que Eva queria ter o mesmo controle do corpo que Addie tinha, ainda a achei meio fraca.

**Por que resolveu abandonar o livro?

Porque ficou bem chato, a conversa interna entre elas, eram muito chatas e eu não via muita ação de Eva, fora que achei que o livro teria uma ação que esta temática tem, mas não vi nada disso e o senti bem parado que chegou ao ponto de eu me sentir bem entediada, então a leitura não fluiu mais. Achei melhor parar.

**

Foi isso pessoas. Eu achei esta tag bem legal, porque eu era o tipo de pessoa, que não desistia de livros, as vezes demorava meses entre parar e voltar para não desistir, mas percebi que perdia tempo e também perdia a vontade de ler outros livros, então esta tag só me incentivou a tomar a coragem que eu precisava referente a algo que eu já queria. Enfim, vai sempre da escolha e percepção de cada um. 

Um xero!!

Resenha #464 - Violet - Giuliana Sperandio


Título: Violet
Autor (a): Giuliana Sperandio
Editora: The Books
Páginas: 320
Nota: 5/5
Agradeci baixinho a Deus, porque agradecer em silêncio era parte de uma oração mágica e bela chamada gratidão.
Olá leitores, tudo bom?

Hoje trago um livro muito especial: primeiro por ser uma história linda e segundo por ter sido escrito pela minha amiga Giuliana Sperandio. Vem comigo!

A história já começa com um ar de mistério, Violet está mudando de cidade, fugindo do seu passado. Precisava ir para bem longe e recomeçar. Isso se conseguisse, se nada desse errado pelo meio do caminho, seria possível recomeçar depois de tanta dor?

Ela chega em Holambra, a capital brasileira das flores, no interior de São Paulo. Violet fica fascinada com os ares daquela pequena cidade, parecia mágica, renovava a alma ver tantas flores, cores e aromas. Era disso que ela precisava: um pouco de cor na sua vida tão sombria. A descrição da cidade é tão bem feita, que parece que estamos assistindo um vídeo da cidade.

Violet fica em uma hospedaria super charmosa e aconchegante, ali ela começa a formar fortes laços de amizades, pessoas que se tornariam sua família. Mas, o medo não deixava Violet ser plena, como alguém consegue ser feliz totalmente com um segredo tão grande guardado para si? Mas, o amor e a esperança são mais fortes que o medo e Violet começa a descobrir isso. 

Ao longo da trama, Violet vai conhecendo pessoas incríveis e nesse meio, há um que vai mexer com o seu coração. Josef é um homem marcado por uma grande perda e fechou seu coração para o mundo, mas o destino quis que essas duas almas se encontrassem e que juntos colassem os cacos que a vida havia deixado em seus caminhos.

Violet é uma história de amor. Não apenas o amor entre um homem e uma mulher, mas um amor pela vida, pela amizade, pelo direito de recomeçar. A protagonista tem uma história de vida marcada pelo sofrimento, mas no meio de toda essa dor, ela resolveu fazer algo para mudar a realidade em que vivia e seguir em frente. Não foi fácil, todo o período que ela passa em Holambra fica dividido entre alegrias e o medo do seu terrível passado voltar.

Violet é uma história de recomeços e superação. É aquela história que te aquece a alma e mostra que, mesmo no meio de uma tempestade, é possível esperar o Sol para aquecer um coração machucado. Que mesmo quando achamos que tudo está perdido, o amor surge para reconstruir cada pedacinho quebrado de nossas almas. Como disse a rainha Elsa em Frozen: "O amor aquecerá!"

Giuliana presenteia seus leitores com uma história forte, cheia de ação e drama, passando uma linda mensagem de otimismo e superação, é impossível não se emocionar quando Violet conta sobre o seu segredo, é impossível não se revoltar com toda a situação que ela viveu, o final é surpreendente!

Imagem da editora para divulgação.

Já li outros trabalhos da Giuliana, todos ótimos, mas posso dizer que Violet foi sua "prima donna", é aquela história que aquece nossos corações como um chá tomando em uma tarde chuvosa.

Leiam! Vocês irão se apaixonar!

Até a próxima!
Amor é também crer sem ver, é amar sem julgamentos, é dar o benefício da dúvida mesmo nas incertezas, é perdoar.

Resenha 463 - Quando o Mal tem um Nome - Glau Kemp



Título: Quando o Mal tem um Nome
Autor(a): Glau Kemp
Editora: Amazon
Páginas: 204
Nota: 4/5  
Existem coisas que já estão escritas e não importa o quanto tente apagar ou reescrever por cima elas são o que são.
Olá meus amores, tudo bem com vocês?

A resenha de hoje é mais um nacional, e a autora é a Glau Kemp.

O livro é dividido em duas partes, ambos escritos em terceira pessoa.

Parte I - O Ritual

Em meados da década de 80, Marta, grávida de seu terceiro filho, sonhava em se tornar mãe de uma menina. Não que não amasse seus dois filhos mais velhos, mas ela ela queria uma companhia no mesmo sexo dentro de sua casa.

Devota fervorosa de Nossa Senhora Aparecida, fez uma promessa à Santa para que a criança fosse uma menina, e viu seu sonho ser desintegrado, após receber a confirmação após um exame de ultrassom que estava grávida de um menino.

Desesperada e convicta que precisava ter uma filha mulher para manter a paz dentro de sua casa, Marta procurou ajuda das forças malignas para ter uma menina, e após passar por um ritual satânico, sentiu as forças entrarem e mexerem em seu bebê.
Marta pegou os gatos e cortou suas cabeças, o sangue quente encheu a vasilha pela metade e tingiu suas mãos, nada foi como esperado, pedaços das vísceras pendiam de seus corpos quando espremia com força todo conteúdo dentro deles. Precisa de tudo.
E teve a confirmação que seu pedido foi aceito, após o nascimento de seu bebê, que ganhou o nome de Maria Clara, mas Marta não tarda a sentir os reflexos de suas atitudes, já que acidentes graves e mortes bizarras ocorrem sempre onde Maria Clara, mesmo sendo um criança linda, vista como um anjo por todos.

Parte II - Anticristo

Maria Clara é uma adolescente de quinze anos de idade, e carrega um fardo que não tem culpa. Espreitada por sombras, ela não entende o que está acontecendo e tenta levar uma vida normal, até mesmo se entregando ao amor, após se apaixonar completamente pelo melhor amigo do seu irmão - Henrique, um jovem militar no qual a Inocência de Maria Clara não a deixa ver o relacionamento abusivo que se meteu, e o pior de tudo, que ela é prometida a um mau sem precedentes, graças as consequências dos atos inconsequentes e egoísta da mãe.

Maria Clara terá que lutar contra o mau, um mau tem morada dentro dela.
Quando abriu os olhos pôde ver o que saía do chuveiro, uma lama negra recobria seu corpo no lugar de água, esfregou as mãos tentando retirar, a respiração falhando em um misto de repugnância e prazer ...
Eu me surpreendi positivamente com esta leitura, principalmente pelo fato que a Maria Clara  foi totalmente diferente do que eu imaginava que ela seria. A autora também uma versatilidade muito grande na estória e ao mesmo tempo que tudo acontece muito rápido e estória ganha uma grande evolução, ocorre um equilíbrio sem atropelamentos na estória que é contada. Aqui você irá se deparar com uma legitima história de terror, com cenas fortes e horripilantes a ponto de te fazer arrepiar, como também, você irá se compadecer e torcer pelos personagens na mesma proporção.


Um erro comum entre as pessoas. Acreditar que o mal não existe na presença do bem, o mal obscurece o brilho da luz assim como luz é capaz de iluminar a escuridão da alma. Eles coexistem e um depende do outro para isso.
Espero que gostem e até a próxima.

Resenha #462 - Dança da Escuridão - Marcus Barcelos

Cedido em parceria com a editora

Título:  Dança da Escuridão
Autor(a): Marcus Barcelos
Editora: Faro Editorial
Páginas: 256
Nota: 5/5 

A verdadeira história de Benjamim Simons começa aqui ...
Rituais demoníacos, organizações secretas, assombrações ... Minha vida parecia ter virado um livro de terror recheado de clichês baratos.
A resenha de hoje é sobre o mais novo lançamento do autor Marcus Barcelos, que é a continuação do livro HNCDD - Horror na Colina de Darrington (Resenha).

Onze anos se passaram, e Ben Simons ainda é perseguido pelos mesmos vilões de quando ainda era um mero adolescente, que se viu em uma casa assombrada com sua sua prima de cinco anos.

Agora Ben desperta amarrado em cadeira, ouvindo uma voz que lhe desperta medo e uma maldade que ele não sabia que existia dentro dele. A seita que o persegue há anos permanece ativa e cada vez mais forte, juntamente com o líder e agente do FBI Alastor Kingsman um homem bem quisto pela sociedade que esconde segredos macabros, e Ben ainda precisa entender, o motivo que o faz ser tão importante para Alastor.

Maduro, traumatizado, torturado e assombrado.

Essas são as características mais destacadas do nosso protagonista.
Eu podia não ser um maniaco de verdade quando fui internado, mas já não estava tão certo mais tão certo de que não havia saido como um.
E aquilo só fez alimentar ainda mais a minha sede de vingança.
Ben consegue escapar do local onde estava com a ajuda de uma personagem já conhecida para nós fãs do HNCDD, sua prima Amanda, mas sua felicidade em rever seu grande amor de infância não dura muito tempo ao saber que ela está casada com Andrew e é mãe de um garotinho extremamente especial : o Jacob.

O livro tem um ritmo sufocante, agoniante e eletrizante, algo característico na escrita do Marcus que conduziu este livro extremamente bem e me fez gostar mais dele do que o primeiro.

Ben precisá lutar, para salvar a vida das pessoas que ama, as defendendo até de si mesmo; sim, vocês leram certo, Ben não é mais um jovem inocente, e a voz que atormenta, também o transforma.
Mirei meu rosto no espelho.
- Você precisa se controlar, cara - eu disse para o Ben Simons que olhava do outro lado. - Mantenha a calma. Só até finalizarmos isso ...
- Não sei ... - ele respondeu de volta com um sorriso malicioso.
- Prefiro matá-los enquanto estão dormindo, o que acha?
Ao ler este livro, compreendemos que o HNCDD, foi uma introdução para nos preparar para tudo o que iriamos descobrir junto com a Ben neste livro, e acreditem, vocês irão se deparar com grandes surpresas durante essa leitura, e todas as pontas soltas são explicadas.

Tem também destaque para o novo integrante desta estória, o Jacob. Eu adorei o personagem, ele teve uma grande importância nesse livro e é um personagem tão interessante que merece até mesmo um desenvolvimento futuro (fica a dica Marcus).
- Você não me assusta, Benjamin. - O menino apontou para além do meu ombro. - Ele me assusta. Não o deixe ficar mais forte ...
A diagramação do livro, mais uma vez está maravilhosa, com ilustrações que dividem as três partes do livro, a capa linda, sinistra e transmite uma sensação de terror e posso falar isso com domínio, já que comecei a leitura deste livro dentro do metrô, e ao sacar o livro da bolsa a senhora que estava do meu lado foi tipicamente uma Verônica na vida e olhou curiosa para a capa, e eu com uma visão periférica, vi que ela arregalou os olhos, virou o rosto correndo e não demorou muito para começar a murmurar orações, se ela ficou impressionada com a capa, imagina se soubesse, da aula introdutória que temos sobre satanismo nesse livro ...



Enfim para os fãs de terror, a leitura está mais que recomendada e espero ler um novo livro do Marcus em breve. 

Até a próxima.

Resenha #461 - Parada Rápida - Jorge Alexandre Moreira


Título: Parada Rápida
Autor(a): Jorge Alexandre Moreira
Editora: Amazon
Páginas: 50
Nota: 4/5  

Olá, tudo bem com vocês?

Trago hoje o conto Parada Rápida, do autor Jorge Alexandre Moreira.

O conto está disponivel na plataforma digital da Amazon, e conta a história do casal Ronald e Renata.

Um casal que está em viagem, em um carro alugado, tentando retomar a chama de seu relacionamento, mas as coisas não estão exatamente bem como esperado.

Principalmente porque Renata, é sequestrada em um posto de gasolina enquanto Ronald contrariado desceu para espairecer a mente de uma nova discussão que teve com sua esposa.

Renata é raptada por Horácio, um jovem atormentado que acabou de matar sua mãe de uma maneira brutal e está em uma crise de surto psicótico.
Um animal descerebrado desses tantos que desfilam nos jornais, dia após dia, zombando de pessoas inocentes. O tipo de excremento humano que qualquer cidadão de bem tem obrigação de desejar que morra devagar.
E assim acompanhamos, a corrida contra tempo pela sobrevivência da Renata, enquanto somos apresentados a mente lunática de Horácio com seus demônios e traumas.

A principio eu achei a narrativa do conto um tanto lenta, mas depois que a narrativa foi direcionada totalmente à Renata e seu sequestrador, o ritmo ficou tão enlouquecedor que eu devorei este conto em menos de uma hora, ele é um conto com relatos fortes e brutais que nos mostram o quanto uma pessoa com uma mente dilacerada, pode chegar ao seu limite.
Renata chorou. Porque o mundo era lindo, mas, para muitas pessoas, também era um lugar horrível. Ela não sabia o porquê das coisas serem assim, mas a tristeza era tanta que parecia que parecia que ia rachar seu coração.

Espero que gostem e até a próxima.

Resenha #460 - Gotas de Sangue - Jhefferson Passos

Cedido em parceria com o autor.

Título: 100 Gotas de Sangue
Autor(a): Jhefferson Passos
Editora: Amazon
Páginas: 352
Nota: 4,5/5

Olá, tudo bem com vocês?

A segunda edição do livro 100 Gotas de Sangue, do autor Jhefferson Passos foi lançado recentemente na plataforma digital da Amazon, e hoje trago para vocês a resenha dessa lindeza trevosa.



Como já diz o titulo, o livro é composto de 100 microcontos, com diversas situações sombrias.

Alguns são arrepiantes, outros reflexivos, e também temos os divertidos, regados de humor negro (pelo menos eu me diverti bastante com alguns e os li em voz alta no trabalho, mas meus colegas ficaram me olhando com cara de preocupados).

A diagramação desse livro é sem sombra de dúvidas, a mais linda que já vi então irei colocar uns trechinhos intercalando a resenha, pois ele é repleto de ilustrações maravilhosas que precisam ser divulgadas para o mundo inteiro.

Segue alguns microcontos para vocês conhecerem um pouco mais sobre a obra.



"Tãmara foi uma garota bonita e sempre gerou amor e ódio entre as amigas. Silmara era uma delas. Porém, isso mudou: agora, Silmara passa horas se olhando no espelho com o rosto de Tãmara costurado ao seu."

"Seu cão não parava de uivar.
- Diabos! O que você tem hoje, hein?
Irritado, foi averiguar. Chocado, gritou ao se ver enforcado nos fundos da casa."

"Mãe e filha passeiam no parque. Então, a garotinha pergunta:
-Mamãe, por que não temos sombra, como as outras pessoas?
- Porque elas estão vivas, querida."

"Keila estava se maquiando diante do espelho, quando escutou alguém chamá-la. Virou-se para ver quem era. Ninguém. Quando voltou-se de frente ao espelho, a sua imagem ainda estava procurando quem a chamou."

"O lençol da cama estava ensanguentado. Foi a primeira vez dela. Da próxima, usaria uma lona para arrancar coração, figado, rins e intestino".

Vale ressaltar também que existem mais dois volumes em e-books que estão disponíveis no Wattpad com outros microcontos.

O Jhefferson aborda em seus textos, nossos medos mais primórdios, seja se olhar no espelho, tomar água de madrugada, acordar sentindo aquele calafrio estranho. São situações que podem ocorrer com qualquer um de nós, pode estar acontecendo com você neste exato momento, enquanto está distraído lendo esta resenha.

Não aconteceu? 

Tudo bem!

Você a receberá a visita em seus pesadelos.


Até a próxima.