Resenha #425 - Dança das Máscaras - Alane Brito, Bruno Godoi, Babi A. Sette, Joana Lancaster, Larissa Siriani e Veridiana Maenaka


Título: Dança das Máscaras
Autor(a): Alane Brito, Bruno Godoi, Babi A. Sette, Joana Lancaster, Larissa Siriani e Veridiana Maenaka
Editora: Increasy 
Páginas: 396
Nota: 4/5

Olá, tudo bem com vocês?

Na semana do Carnaval a agência literária Increasy, divulgou o lançamento da primeira obra literária lançada independente pela agência.

Para a antologia, foram convidados seis autores que são da casa, para compor contos relacionados as Máscaras dos Amantes.

As máscaras - nas cores branca e preta, rondam o mundo, e guardam uma lenda no qual ela tanto pode servir para o bem quando os amantes que a usam se amam verdadeiramente, como também, caso não haja amor verdadeiro, coisas terríveis podem acontecer, tudo graças a um simples beijo.

Os contos são ambientados no século XIX e tem como fonte de inspiração, o Baile de Carnaval.

Eu selecionei três contos que eu mais gostei da Antologia, para falar com destaque.

Um Beijo Basta - Larissa Siriani

O conto da Lari é o primeiro da antologia, e fica de certa forma responsavél a nos introduzir, sobre a importância das máscaras nesta antololgia, algo que a autora conseguiu conduzir muito bem.

Thereza está euforica com o balie que se aproxima, desde que conheceu Amaro, conta os dias para vè-lo novamente.

Eles trocam cartas com suplicas de amor, algo que ao ser descoberto pela mãe de Thereza, não é visto com bons olhos.
O que a filha de um mercador poderia oferecer ao filho de um barão? Tinhamos, algum dinheiro, é claro, mas ele tinha muito mais. Que união poderia surgir disso?
Thereza vai as compras com sua irmã, Brigida. E acaba encontrando um par de máscaras que a deixa encantada. As famosas máscaras dos amantes e resolve comprar as duas. Uma para si e outra, para Amaro.
Posso sentir a atração que emana delas preenchendo-me por completo. Nenhuma outra máscara chegará perto do efeito  que essa me causa. 
Mas não se esqueçam que para selar a felicidade do casal, basta um beijo, contando que haja amor verdadeiro de ambas as partes.

Eu gostei muito do desenvolvimento deste conto, e do caminho que ele tomou em seu final, me deixando bastante surpresa com uma Larissa Siriani que eu desconhecia a escrita, e gostei da forma que a autora conduziu a estória de sua personagem.

Amor Roubado - Joana Lancaster
Achou que eu seria mais civilizada? Perdão por desapontá-lo, ser mulher não me faz ser menos pirata. (Joana)
A personagem principal deste conto é Joana, uma pirata. Junto com seu pai ela veleja pelos mares e seu principal meio de sustento é roubar relíquias.

Joana tem em posse a máscara preta, e quer seu par para poder receber um bom dinheiro com a venda dela.
Piratas não lamentam, minha pequena, eles roubam conquistam e, o mais importante, permanecem vivos.
Está tudo aparentemente muito fácil para Joana. Eles sabem onde e com quem está a máscara branca, ela está na França, em posse de Lorde Filipi Bourbon. E Joana tem como missão ir ao baile, seduzir Filipi e roubar a máscara, algo que ela acredita que vai tirar de letra.
Por anos quis renunciar ás minhas origens.(Filipi)
Filipi carrega um peso gigante nas costas, ele é considerado um boêmio sem escrúpulos graças aos seus descendentes, e não é exatamente bem quisto pela sociedade, mesmo sendo um homem de bom carácter. Algo que não é nada preocupante vulgo que na época, os homens podiam fazer o que bem queriam, diferentes das mulheres, mas o deixava extremamente incomodado.
Mas se tem algo que aprendi, sendo um Bourbon, é que a sociedade não gosta de lordes de moral limpa e maculada, eles querem homens pecaminosos, sujos e desleiais.(Filipi)
Por um acaso do destino Filipi e Joana acabam se conhecendo de uma forma inusitada, e um vínculo instantâneo é criado sobre eles, mas será que esse casal teve um final feliz?

Confesso que pensei bastante sobre selecionar este conto como um dos melhores da antologia, porque eu odiei o final. Não por ele ser ruim, mas por não ter sido da maneira que eu queria, ou seja, sim... fui uma leitora frustrada, o que me fez ponderar, foi que eu gostei muito da personalidade dos personagens.

O som do coração - Bruno Godoi
Está chovendo; sei pelo roçar mais forte da lâmina de água na parede da cela. Não vejo o céu há quase duas semanas, é só me foram permitidos papel e pena hoje - o meu último desejo de condenado.
O conto conta a estória de Amadeus Wallace, um homem que tem dois grandes amores em sua vida. Sua mãe e a sua música. 

Em uma narrativa extremamente densa, poética e dramática, visto pela visão de Amadeus, temos dois tempos nesta estória - o presente, onde Amadeus está preso em uma masmorra há poucos dias de ser executado, escrevendo cartas para sua mãe, e o passado, onde entendemos o que o levou a estar naquela lugar, o elemento que se torna o terceiro e mais tenro amor de sua vida - a Lady Izie de Montesquieu. 
O culpado é o amor. E a máscara? Saiba que ela me deu e tirou o amor de minha vida com um beijo. Agourento foi o bilhete que veio com a máscara. "Para o bem ou para o mal, um beijo basta". E eu comprovei isso de forma bestial ao assassinar uma pessoa.
Amadeus se apaixona por Izie no momento que a vê tocando um alaúde. E se oferece a lhe ensinar a tocar outros instrumentos. Izie acaba aceitando a oferta e Amadeus se muda para sua residência a fim de lhe ensinar com mais afinco.

Acontece que Amadeus desconhece o real motivo de ser permitido pelo pai de Izie - o Barão de Montesquieu, que é porque quer que sua filha impressione seu noivo, o Lorde Leopoldo III, homem com o qual Izie não quer se casar, mas como costume da época será obrigada.

O Lorde nunca foi visto pessoalmente, mas Amadeus encontra um quadro, guardado em quarto e se depara com a face de um homem, que ele acredita ser um demônio.
O nobre austríaco, era a máscara da rubéola numa total desgraça, ou o burguês contraiu uma pestilência incurável na pele, talvez ainda no berço, ou o mesmo é a representação sanguínea do horror mais fundo no inferno.
A essa altura, já é reciproco o amor entre Amadeus e Izie, mas o tempo deles é curto, o Barão planeja um baile de máscaras em sua mansão para os noivos serem apresentados e Izie ir embora, e é nesta noite que o casal tentará escapar para serem felizes, mas os planos não saem como o esperado e agora resta saber o que ocorrerá com Amadeus dentro da masmorra.

Sem sombra de dúvidas O Som do Coração, foi o melhor conto da antologia, o que me deixou super orgulhosa do Bruno, e eu fico muito feliz em ver como a cada dia que passa ele se torna um autor mais dedicado e talentoso.

Ele conseguiu sair fora da casinha, e trazer uma estória extremamente instigante, com mistério, um plot twist incrível, e o que fez com o Lorde III me fez ficar de queixo caído. E mesmo que esta antologia não seja o seu gênero de leitura, eu recomendo que pelo menos dê uma chance para o conto do Bruno, pois ele ficou digno de um curta metragem.
Dizem que os primeiros amores não são os mais fortes em nós por nascerem da necessidade básica de ser ter algo a apontar como o primeiro amor, porém, penso que esse sentimento nada mais é do que uma demonstração de cuidado e afeto que passamos a ter por algo ou alguém, ou até mesmo algo abstrato como a música. Amor é uma semente que nos entusiasma.
Agora falando um pouco sobre a proposta da Increasy.

Uma coisa que deve-se ressaltar sobre esta antologia: Não pense que você terá somente contos leves e românticos, por ser tratar de uma temática carnavalesca, temos contos repleto de dramas, com personagens fortes, e até mesmo contos bem mórbidos e eu achei isso bem interessante.

Eu tenho alguns pontos negativos para apontar para agência, que me incomodaram bastante, por saber que esse projeto foi trabalhado por aproximadamente seis meses, talvez a minha concepção seja diferente dos responsáveis pela antologia, e sim, eu sei que não sou a especialista do caso, mas eu não poderia finalizar essa resenha sem estes apontamentos.

Primeiro é sobre a ordem que os contos foram colocados. Como comentei no começo da resenha, as máscaras tanto podem servir para o bem, como para o mal, e temos os dois lados da moeda neste livro, mas todos dos contos estão em ordem por final ruim ou bom, sendo que os quatro primeiros pendem mais para um lado e os demais para o outro, deixando uma certa obviedade na antologia conforme vamos lendo. Acredito que se os contos estivessem intercalados com finais bons e ruins seria mais proveitosos. Lembrando que isso é uma opinião totalmente pessoal de uma pessoa que tem ascendente em Virgem e tem tocs com algumas coisas.

Outro ponto importante é que ficou muito claro a estratégia da agência, de trazer duas autoras de peso maior na antologia por serem mais conhecidas, que foram a Larissa e a Babi, e acredito que foi intencional colocar uma iniciando a antologia - que foi a Lari, e a Babi finalizando.

Porém, na minha singela opinião, o conto da Babi foi um tiro no pé, para concluir o livro, devido a ser um conto polêmico e de cunho religioso. Não estou aqui criticando a obra da autora, mas o efeito que o conto dela causa não foi muito bacana, e isso afeta sim a antologia como um todo, por ser o ultimo, e me intriga a agência não ter tido esse feeling.

A minha nota foi dada, levando em consideração os demais contos da Antologia, mas se eu me baseasse no último conto, esquecendo os demais, com certeza a nota seria mais baixa.


Por fim, mesmo com os pontos que eu citei, eu recomendo a leitura, todos os contos foram bem trabalhados pelos autores, explorando bem os costumes, modas e estilos da época, e mesmo não sendo um livro perfeito, a leitura foi prazerosa.

Espero que gostem e até a próxima.

7 comentários

  1. Oie
    Vi algumas divulgações sobre este livro, mas não tinha visto que eram contos de vários autores com esta temática, fiquei interessada.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ooi!
    Não conhecia o livro e achei a proposta bem bacana, diferente.
    Mas os pontos negativos que você destacou realmente pesam, né?
    Pena que o da Babi você não gostou muito, porque ela em geral é maravilhosa.

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Verônica,
    Tenho esse livro no meu kindle, eu amo a Larissa Siriani, as histórias dela sempre são maravilhosas!
    Quero devorar a obra em breve!!!!
    Beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Verônica!
    Tem sempre aquele conto que não condiz com a nota dos outros né? Mas pela nota geral, foi um livro bom e isso que importa hahahaha
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi, Verônica
    Não conhecia o projeto mas gostei demais dos contos que você selecionou. Queria ler o da pirata, mas fiquei com um pé atrás pelo final que você comentou. Adoro romances de época e tenho certeza que iria me amarrar nestas histórias.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
  6. Hey Verônica!
    Olha só! li alguns contos da Larissa e realmente ela é muito boa! Pena que o feeling no final não enha sido reciproco para um começo tão bom :/ e a Babi é bem conceituada tambem né? Que chato!
    Mas fiquei interessada, a capa é MUITO MARAVILHOSA, MEU DEUSSSSSS

    Beijos pra voce e pra Dih
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto o livro mas esta é a primeira resenha que leio. Dos contos eu tenho mais curiosidade pelo da Babi e Larissa.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!