Resenha #416 - Dilacerada - Helô Delgado

Cedido em parceria com a autora

Título: Dilacerada
Autor(a): Helô Delgada
Editora: Coerência
Páginas: 254
Nota: 5/5 Favorito


Olá, tudo bem com vocês?

Na semana passada, anunciei aqui no blog a parceria com a autora Helô Delgado, para leitura do livro Dilacerada, e hoje passarei as minhas impressões sobre a obra.

Quando eu me propus a fazer a parceria, fui motivada pelo conto que havia lido da autora no livro Arquivos do Mal, mesmo sabendo que o gênero deste livro seria totalmente diferente do que já havia lido da autora, como também, bem diferente do gênero que estou habituada a ler. Mas eu sabia que independente da leitura que faria, eu poderia confiar na escrita da autora e (modéstia à parte)... eu acertei em cheio.

Em Dilacerada, somos apresentados à Vivian, e conhecemos sua história dentro de uma sala de terapia. Ela é uma mulher que tem lembranças trágicas em sua vida, e procura o auxilio de uma psicóloga, para tentar superar os traumas do passado.

Vivian cresceu em um ambiente hostil, sua mãe; Karina, é extremamente severa, e Vivian com seus quinze anos era obrigada a ficar em casa o tempo todo, se ocupando de todas os afazeres domésticos e de cuidar de sua irmã mais nova de onze de idade que tem Síndrome de Down, a fofíssima Val. As duas sequer podiam sair de casa para ir à escola, sendo assim, eram ensinadas em casa por uma vizinha.

Quando Karina chegava do trabalho, avaliava toda a casa para ver se tudo estava perfeitamente limpo e arrumado, em caso positivo, Vivian era autorizada a ficar por trinta minutos no quintal, em caso negativo, era castigada. 

Karina é uma mulher extremamente amarga e controladora, ela tem alguns motivos para ser assim e até é possível compreendê-la. Mas, na maior parte do tempo é muito fácil odiá-la.
A voz dela não me enganava. Por mais que soasse doce e encantadora eu tinha plena consciência de que poderia estar carregada de veneno e maldade. 
E em um desses momentos de trinta minutos de liberdade, Vivian conheceu um jovem rapaz chamado Lucas, e rapidamente ambos se tornaram amigos, e consequentemente começaram um relacionamento escondido.
Enfim, a intensidade daqueles olhos azuis era absurda, do tipo que te faz querer mergulhar e ficar por lá sem querer voltar à vida real.
Tudo estava perfeito na medida do possível, até que Karina descobriu o namoro de Vivian e Lucas, deu uma surtada bem violenta, e depois resolveu de um dia para o outro viajar, a fim de espairecer junto com suas filhas. mas nessa viajem, a vida de Vivian mudou completamente.

A Vivian não teve somente momentos de tristeza no decorrer de sua estória, ela também foi feliz. Mas as fases tristes que ela passou a marcaram de uma maneira muito profunda, e ela precisou procurar dentro de si, forças para enfrentar os demônios do seu passado.

Será que ela conseguiu superar as dores que a dilaceraram? 
- E qual era esse sentimento?
- Na época, achei que era amor...
- Achou?
- Sou incapaz de amar.
Ao ler Dilacerada eu me desconectava do mundo ao redor e vivia aquela estória. Eu queria entender o porquê de tudo aquilo ter acontecido com a Vivian e como ela iria "nadar contra a maré", daquela fase tão difícil que não parecia ter fim, e acabei me deparando com situações e revelações surpreendentes no decorrer dessa história. Eu fiquei muito satisfeita com essa leitura, pois eu gostei mais dela do que imaginava que iria gostar. As cenas foram extremamente bem construídas. A Helô soube dar vida a todos os personagens. E é por toda essa montanha russa de sentimentos que esse livro me trouxe, que ele se tornou, com louvor, o meu primeiro favorito do ano.

O livro será lançado este ano pela Editora Coerência, e em relação à diagramação, gostaria de ressaltar o lindo trabalho realizado nessa capa, que tenho certeza que será mais lindo ainda em sua edição física, também não me deparei com nenhum erro de revisão.



Enfim eu recomendo muito essa leitura, e fico muito grata a autora por ter confiado em meu trabalho como resenhista para divulgação dessa obra.
Dizem que final feliz é quando tudo está certo e nada mais vai dar errado. O meu final feliz, não. Ele veio com um problema. E eu iria encará-lo de frente.
Espero que gostem e até a próxima.

4 comentários

  1. Olá, Verônica
    Eu adoro histórias assim, confesso que é um dos gêneros que mais leio. Ás vezes fico com medo da autora pesar a mão no drama e nos trazer personagens machucados demais, acabei ficando saturada com isso, e por isso o receio, mas a autora parece dosar muito bem essa história.
    A capa é linda, e eu provavelmente leria.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Mi

      Leia sim, o livro tem momentos tristes, a Vivian tem marcas profundas, mas o livro é instigante, então você quer saber o desfecho.

      Bjos

      Excluir
  2. Oii Vê, parece realmente ser o tipo de livro que te prende do início ao fim, fiquei bem curiosa para ler e conhecer mais a história da protagonista. vou pesquisar sobre o livro.
    -Beijos,Carol!
    http://entrehistoriasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Verônica de Deus! Que resenha mais maravilhosa! Amei tudo, principalmente o fato de você ter gostado do livro. =)
    Obrigada por ter dado uma chance! Logo tem outro vindo por aí...
    Beijão

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!