Resenha #375 - Arquivos do Mal (Antologia de Terror)

Título: Arquivos do Mal
Autor(a): Diversos
Editora: Coerência
Páginas: 375
Nota: 5/5
Tudo está conectado e uma entidade maligna está entre nós.
Olá! Tudo bem com vocês?

Vou falar um pouquinho hoje, desta antologia maravilhosa, lançada recentemente pela Editora Coerência.

Eu estava de olho neste livro, antes de mesmo dele ser lançado, pois a temática escolhida pela editora me chamou muito a atenção: contos de terror inspirados em locais sinistros de São Paulo, que tenham uma história macabra e sejam lotados de lendas urbanas, como por exemplo o Edifício Joelma, a casa de Dona Yayá, o Cemitério da Consolação, o Teatro Municipal, entre outros.  E claro que como boa paulistana que sou, eu conheço algumas lendas e fiquei super curiosa para ler os contos.

A Antologia foi organizada pelas autoras Glau Kemp e Soraya Abuchaim, o prefácio foi feito pelo autor Marcus Barcelos, há um conto extra da autora convidada Juliana Daglio, e contém no total 25 contos.

De uma forma geral, eu gostei de todos os contos, estão todos bem escritos, coerentes, fluidos e dentro da temática proposta - tanto em questão dos locais escolhidos como também no quesito terror. Alguns lugares se repetem nos contos (principalmente sobre o Edifício Joelma), mas as histórias são totalmente diferentes umas das outras.

É claro que sempre tem contos que gostamos mais do que outros, então para poder falar mais sobre esta antologia, eu selecionei seis contos que me chamaram mais a atenção, dos autores que participaram da seletiva, e felizmente foi difícil escolher somente seis, porque como eu já disse anteriormente, todos os contos desta antologia são de extrema qualidade e tanto as selecionadoras como a editora estão de parabéns, é perceptível o esmero com que este livro foi tratado e deixou a leitora que estava ansiosa por esse lançamento, bastante satisfeita.

O Homem de Cócoras - Autor Marcelo Milici

David está ansioso para reencontrar sua amiga da escola Aline, com quem ele conversa muito pela internet, pois ela mora no interior de SP. Aline além de ser sensitiva e já ter tido várias experiências com espíritos, tem como hobbie peculiar, gostar de visitar estes locais marcados por tragédias e histórias vinculadas ao sobrenatural, e é claro que ela está louca para levar David para lhe acompanhar em suas aventuras mórbidas.

David está receoso, porém guarda uma paixão por Aline, e a encontra quando ela chega de viagem para um encontro que ele torce para que seja romântico, mas Aline já tem mente o que eles irão fazer e o romance está bem longe desse entretenimento.
-Ali! Nosso primeiro passeio de resgate histórico dos lugares assombrados de São Paulo! - disse Aline apontando para um edifício em destaque na Praça. - O antigo Edifício Joelma.
Mas é claro que o Joelma, não é um local de diversão para quem é sensitivo e logo Aline percebe que teve uma péssima ideia, e até mesmo David sofre os ataques dos espíritos furiosos que habitam o local, e agora eles tem que sobreviver (ou não), das garras do maligno.
-Há um homem ali. Ele está com o braço carcomido permitindo que seus ossos apareçam através da carne queimada. Está olhando para mim. Eles sempre percebem a minha  presença! - disse entre lágrimas.
O autor conseguiu em poucas páginas, trazer um conto extremamente bem desenvolvido, que te prende do começo ao fim, como também falou muito sobre a história que envolve digamos que o terreno aonde o Joelma foi construído, pois as histórias que marcam o local, vem antes mesmo incêndio horrível que ocorreu do prédio, na década de 70, e ele menciona um pouco disso no diálogo dos personagens.
O Homem de Cócoras vinha com melodia das lamúrias querendo promover a dor.
Segue abaixo foto atual do Edifício Joelma, atualmente chamado Edifício Praça da Bandeira que fica situado na Rua Santo Antonio, 184 - Bela Vista , São Paulo.


Sexo e Vísceras - Autor Bruno Godoi
"Só você tem medo de escuro Verônica"
Seria mais um dia normal de trabalho, para a segurança noturna Verônica, no Theatro Municipal de São Paulo, porém sombras de seu passado ressurgem, no dia em que uma grande peça titulada como Sexo e Vísceras era exibida no Theatro.
Assim que alcancei a escada, tudo começou e, de alguma forma, voltei a enxergar, até o cheiro de ovo podre senti; meus olhos arderam tanto que lacrimejei sem controle. Depois disso, só posso dizer que vi a desgraça no Theatro Municipal de São Paulo - vi e fui causadora.
O autor trouxe conto em dois tempos - passado e presente, para entendermos os motivos que fizeram com que a protagonista fosse atormentada por demônios, de uma criança inocente que sofreu abusos dentro de casa e viu o mau dentro de uma família envolvida com o ocultismo a uma assassina em busca de sobrevivência, narrados de uma forma frenética, aonde não sabemos se podemos ou não torcer pela personagem.
Apertei o cabo do machado e o arremessei com tanta força que meu ombro trincou. A lâmina rachou o rosto do monstro. As mulheres cataram o demônio pelas orelhas e arrancaram-lhe a cara, como se retirassem um pedaço de plástico colado; as outras criaturas se afastaram, entraram por baixo do tapete e sumiram.
Porém neste conto, sobreviver não significa obter a salvação.
Mas ela não suportou a verdade e tirou a vida, deixando a maldade entrar na Verônica. Minha neta é a a aberração, ela é o demônio hoje.
Foto do Theatro Municipal de São Paulo, situado na Praça Ramos de Azevedo, s/n - República, São Paulo.


O estranho caso de possessão de Bárbara Garwen - Autor Bruno F. Oliveira
-Gloriosismo príncipe dos exércitos celestes, São Miguel Arcanjo
-Imundo traidor de sua própria raça, cão que põe o rabo entre as pernas e segue as ordens! - diz baixinho o demônio, ainda pela doce voz de Bárbara.
Confesso que não gosto de histórias de possessões e pensei seriamente em pular esse conto, mas seria sacanagem com o autor, e bora combinar que não seria uma antologia de terror se não tivesse um exorcismo básico né minha gente!! hahahaha

O conto narra a história de Bárbara, uma jovem garota, que é possuída por entidade maligna após visitar a Casa de Dona Yayá. O autor intercala duas histórias no conto, a luta de Bárbara contra sua possessão em dezembro de 2016 e as revelações dos motivos pelo quais esta casa, é considerada até hoje um local sinistro - onde o autor utilizou de pesquisa e ficção para compor a história.
A mocinha fica vermelha com tamanha vergonha e levanta depressa para acompanhar o casal. Eles abrem a porta do quarto e encontram Yayá sentada perto da cama, batendo com a cabeça na grade. Sua testa já está em carne viva.
Foto atual de Casa de Dona Yayá, que atualmente é um museu, e fica na Rua Maj Diogo 353 - Bela Vista, São Paulo.


Enclausurada no Inferno - Autora Helô Delgado

Eu já estava na página 297 desde livro, bastante injuriada pois estava faltando um dos locais que mais me causaram expectativa por esta antologia que é o Carandiru, e foi um alivio chegar neste conto.

O conto da Helô é curto, mas extremamente forte.

Após a amiga de Amanda dar um furo na caminhada matinal, ela resolve ir sozinha ao Parque da Juventude - local que antigamente era conhecido como o Complexo Carandiru. Um presidio enorme marcado por muito sofrimento, torturas e assassinatos que acabou sendo demolido e se tornando o parque.

Porém a caminhada que parecia tranquila para Amanda, acabando se tornando um pesadelo pavoroso, quando ela simplesmente começa a ouvir vozes, e se sentir presa por grades invisíveis, que logo se tornaram algo inexplicável - porém tangível.
Ela não sabia para onde olhar primeiro, mas assim que recuperou o autocontrole, percebeu que seu maior problema não era a sua visão, e sim o local onde se encontrava. Quando por fim se concentrou, viu que não estava mais rodeada pelo parque. Á sua volta se estendia um corredor íngreme e mal iluminado.
Como se transportada para uma dimensão, se não o próprio inferno, Amanda estava presa no Carandiru, junto a um cruel espirito de um assassino. O mesmo começa a narrar os motivos que o fizeram ir preso -  o assassinato de sua esposa.
-A primeira coisa que ela perdeu foi a língua...
O conto é bastante agoniante, e eu sofri em todos os momentos junto com a personagem. Se a intenção da autora era para que, quem lesse esse conto, ficasse bem longe deste parque, pelo menos comigo ela conseguiu com sucesso. DEUS ME LIVRE!! hahahaha

O conto aborda um trecho do parque chamado Memorial das Ruínas - devido a partes das celas ainda existirem até hoje, o endereço do parque é: Avenida Cruzeiro do Sul, 2360 - Carandiru, São Paulo.


Libertador dos Condenados - Autor Raul Dias

Outro conto maravilhoso sobre o Carandiru, porém abordado de uma forma totalmente diferente, em toda a antologia somente dois contos foram inspirados no Complexo, e eu fiquei muito satisfeita e feliz com a leitura.

O conto conta história dentro do presidio, onde Hansmillian, um rapaz de 20 anos foi preso devido a ter cometido crimes hediondos.
Acusado de estripar sua família e amigos a sangue frio em um ritual ocultista, o jovem se tornou responsável pelo pavor dos moradores da região. Apesar de declarar sua inocência fora pego em flagrante, nu e sujo, se alimentando da podridão e carnificina dos corpos mortos de suas vitimas.
Por mais sinistro que Hans seja, ele é um bandido "tranquilo" dentro do presidio, não arruma brigas, sempre fica dentro de sua cela e tenta ao máximo não chamar a atenção. Porém após sua prisão, acontecimentos estranhos começam a acontecer, dentro das celas.
Oito corpos de detentos mortos no pavilhão sete, em decomposição rápida, alastrando pelo complexo penitenciário uma peste de moscas parasitárias.
Tudo se torna um caos, a doença misteriosa ataca a todos sem dó nem piedade e não só mata, como acorda os mortos.

Imaginem um ataque zumbi de presidiários do Carandiru ... 
Os mortos da vala foram despertos, evocados do inferno profundo, quando todo o Carandiru sucumbiu a um violento ataque de magia negra guiando os mortos que se rastejavam pelas dependências da prisão em busca de carne fresca e sangue quente, acordados por um véu de necromancia oculta presente ali.
Segue foto do Complexo Penitenciário Carandiru, quando ainda estava ativo, o presidio foi desativado e parcialmente demolido em 2002, atualmente como foi citado acima ele se tornou o Parque da Juventude.


A próxima boneca - Ieda Menani

Ai a leitora aqui pensa: "Os contos selecionados estão acabando, este deve ser mais tranquilo... hahahaha SQN", na verdade eu considerei de todos os contos desta antologia o mais forte, pesado e assustador!!

Edgar, um homem simpático e encantador se muda para sua nova casa, atraído pelo nome de uma capela de ficava próximo de sua casa, A Capela da Santa Cruz dos Enforcados, local que ele visitou para captar "energias" para sua nova missão.

Logo depois de sua mudança, ele fez amizade com a vizinha que morava em frente a sua casa, Joana. Mas o intuito desta amizade na realidade era conquistar a filha de Joana, a Melinda - por quem Edgar sentiu uma forte atração sexual, só que há um importante detalhe, Melinda é uma criança, a autora não colocou exatamente uma idade na personagem, mas pelo seu comportamento pode-se deduzir que ela tem no máximo dez anos de idade.

Não demora muito, e Edgar consegue pegar a confiança de Joana, que permite que Melinda vá brincar na casa de Edgar (eu sei que é absurdo - mas infelizmente existe muita gente inocente por ai que confia seus filhos a pessoas estranhas), e este conto na minha opinião é o que mais chega perto de uma realidade bizarra.
Ofereceu alguns petiscos que pareciam estranhos aos olhos da menina, que recusou de imediato. Mal sabia que eram restos de carne humana, de outra criança, vitima de seus encantos pelo quarto de bonecas.
Não demora para ocorrer o desaparecimento de Melinda, e autora narra de uma forma fria e cruel, os acontecimentos que se desenrolam neste conto, e me deixaram bastante chocada.

Nesta antologia, eu pude ler contos sobre espíritos, demônios e monstros, mas nada a meu ver se comparou ao conto da Ieda, pelo simples fato que temos aqui a maldade mais próxima que podemos encontrar ao descer de um ônibus tarde da noite, ao virar a esquina de nossas casas, ao dividir uma mesa no trabalho e outras atividades tão simples no nosso dia a dia, pelo simples fato de que eu encontrei neste conto foi a mera forma simples, porém sádica do ser mais perverso que existe no mundo - o ser humano.

Este conto mostra que coisas estranhas podem acontecer em lugares considerados sinistros, mas não é necessário a intervenção maligna para cometer crimes, quando a sua alma já é um próprio Arquivo do Mal.

Foto atual da Capela da Santa Cruz dos Enforcados, e fica na Praça da Liberdade, 238 - Liberdade, São Paulo.

Em relação a diagramação, eu gostei bastante. A capa é super chamativa, as paginas são amareladas, os contos são separados por uma página preta brilhosa (que eu amei rs) e cada conto se inicia com uma página dedicada ao autor com sua foto e biografia. Encontrei alguns erros na revisão durante a leitura, mas foram poucos. 


E aqui deixo o nome de todos os autores que contribuíram para dar vida a essa Antologia.


Espero que gostem da resenha e até a próxima.

14 comentários

  1. Oi, Verônica!
    Ultimamente estou achando melhor ler contos de terror do que histórias completas.
    Menina, até eu fiquei com medo de alguns haahhahahaha Com certeza quando eu visitar SP vou querer ir em alguns desses lugares (porque eu gosto de viver perigosamente haahhah)
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Lu

      Se vier me avisa, vamos salvar pessoas, caçar pessoas, os negócios da familia !!! hahahahaha

      Bjoss

      Excluir
  2. Lindezaaaa :-) já quero ler de novo. 😍

    ResponderExcluir
  3. Que delícia ler uma resenha tão linda. Quer dizer, tão assusassustadora. Rsrsrs. Que legal que gostou do livro. Fiquei muito feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha, fico feliz que tenha gostado da resenha Leila, eu amei o livro <3

      Excluir
  4. Oi Verônica! Amei sua resenha, muito caprichada e repleta de detalhes sobre os contos que nos deixam de cabelo em pé! Senti-me lisonjeada por meu conto estar entre seus favoritos! Acredita que após ter escrito Enclausurada no Inferno, eu fui conhecer o Parque da Juventude? Recomendo a visita, é um lugar lindo com uma energia marcante. :)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Helô

      O Carandiru sempre foi um local que me chamou muito a atenção, pois eu conheci uma pessoa que trabalhou no complexo e desde daquela época o local já era marcado por histórias estranhas. Então como mencionei na resenha quando finalmente cheguei em um conto sobre o complexo (que no caso foi o seu rs), eu fiquei muito empolgada. Seu conto é incrível e assustador ao mesmo tempo. Quem sabe um dia eu crio coragem e visito o parque !! hahaha

      Bjokas <3

      Excluir
  5. Oi Veronica! Que fantástica essa antologia, eu não conhecia, mas já considero pacas heheheheh Moro em SP e não tem que me faça entrar no Joelma, morro de medo!! Acho que vou ficar com medo de ir nos outros lugares tb rsrsrsrsrrs adorei saber do livro! A resenha ficou super completa, parabéns!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi

      Realmente o Joelma é medonho até hoje hahaha, e com certeza os outros lugares devem nos causar sensações estranhas.

      Fico feliz que tenha gostado da resenha.

      Bjoss

      Excluir
  6. fiz uma também :)

    https://esseslivrosmaravilhosos.blogspot.com.br/2017/10/arquivos-do-mal-parte-1-um-por-um.html

    ResponderExcluir
  7. olha que legal!


    https://horrorbooksfrombrazil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. parabéns pelo blog mesmo mesmo mesmo. Vou me espelhar nele pro meu :)

    ResponderExcluir
  9. Oi Verônica. Sou uma das autoras participantes e amei sua resenha. Obrigada pelo carinho com o livro. Sucesso com o blog!

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!