Resenha #367 - O Escravo de Capela - Marcos DeBrito


Título: O Escravo de Capela
Autor(a): Marcos DeBrito
Editora: Faro Editorial
Páginas: 288
Nota: 5/5

Oiee, tudo bem com vocês?

Estou com a sensação que não escrevo uma resenha aqui há um tempão, e fiquei pensando no motivo, e me lembrei que li Uma Tocha na Escuridão que acabou sendo resenhado pela Di, e depois eu li Dezesseis e ia fazer a resenha em dueto mas eu devorei o livro e esqueci de levar o post it, então acabei deixando a resenha só pra minha miga também.

Depois disso fiquei com uma baita ressaca literária, e comecei a ler O Chamado do Cuco, porém a leitura não está fluindo (tô super contrariada porque eu queria muito ler esse livro), e também a ler o Alma Nova e sinceramente tá difícil de descer a leitura também. Mas, farei o possível para finalizá-las e trazer as resenhas para vocês, pois detesto desistir de livros.

Então resolvi largar esses dois livros por um tempo, e ler esse lindão nacional que comprei recentemente, e aos pouquinhos ele conseguiu desbloquear a minha ressaca, e minha gente esse livro superou as minhas expectativas!!!

O Escravo de Capela, é um livro nacional, do autor Marco DeBrito, lançando recentemente pela Faro Editorial, e é ambientado na época escravocrata no Brasil Colônia, mais precisamente em 1792, na Fazenda de Capela, fazenda administrada pela importante família Cunha de Vasconcelos, e conta de uma maneira macabra a história de um dos maiores mitos do folclore brasileiro - O Saci.

O livro narrado em terceira pessoa começa mostrando as torturas horripilantes que os negros sofriam nas mãos do filho mais velho do grão senhor da fazenda Antônio Batista, o definitivamente nojento, cretino, desgraçado, mau carácter e todos os insultos possíveis e imagináveis do Antônio Segundo. 
- Escravo aqui só tem direito a duas coisas - continuou. - Primeiro não ter direito a nada! E segundo não reclamar desse direito. 
Gente  pense em um homem cruel!! Eu não precisei ler cinco páginas desse livro para odiar imensamente esse homem, minha vontade era entrar dentro do livro, arrancar o chicote da mão dele e descer os açoites nele! 

E sabe o que é pior? Ele é um personagem fictício, mas não era um caso a parte na época, existiam VÁRIOS e VÁRIOS, Antônios Segundos espalhados pelo mundo afora, homens REAIS que fizeram com certeza crueldades maiores do que as expostas neste livro, maldades que nem sequer conseguimos imaginar, é possível sentir o quanto os humanos podem ser maus quando querem e isso me tocou muito durante a leitura, pois tudo isso de uma maneira ou outra realmente aconteceu na nossa história, e é um fato vergonhoso e deplorável da história da humanidade. 
A violência com a qual saciava o seu desejo, em movimentos acelerados e brutos, machucava a criada por dentro.
Um dos escravos que sofre muito nas mãos deste sádico é o Sabola, um jovem rapaz que acaba de chegar da Africa e é acoitado pelo simples fato de não falar português, machucado e debilitado ele é jogado na Senzala, e é cuidado (em segredo), pelas ervas de Akili, um velho escravo que foi espancado também pelo Antonio Segundo ao ponto de ficar paralitico. Akili percebe logo de cara a força que tem dentro de Sabola, e dá apoio para bolar um plano de fuga.
Melhor você dormir, Sabola. Sonhar ainda é uma das poucas coisas que os brancos não tiraram da gente. Isso é o mais perto da liberdade que você vai conseguir chegar esta noite.
É evidente no decorrer da leitura o que ocorrerá com o Sabola - já que o foco principal da história é o desenvolvimento do Saci, mais mesmo assim, eu torci muito pelo personagem, mais não é spoiler dizer a vocês que em sua vão tentativa de fuga ele será assassinado, e mesmo estando preparada para o que ia acontecer confesso que a forma que foi narrada pelo autor, me deixou bastante chocada.
Após terminar de serrar grosseiramente a cartilagem do joelho (...) num golpe derradeiro, amputou a perna do escravo, que não conseguiu mais distinguir o berço de tantas dores.
Porém como é previsto, um certo dia os peões da fazenda, são surpreendidos por uma aparição macabra, e é ai que a coisa definitivamente pega fogo no livro.
O saco cobrindo sua face, como um gorro avermelhado que deixava apenas a boca escancarada à mostra, e a bermuda maculada de sangue ressecado eram a confirmação do impossível. Sabola voltava dos mortos.
 Paralelo a tantos momentos tristes e injustos, também floresce o amor, entre o irmão mais novo da família, o Inácio um rapaz bondoso, educado e gentil recém formado em medicina que voltou recentemente para a fazenda, e vive uma intensa paixão com a escrava Damiana, um amor que é mais proibido do que eles imaginam, e que ganha uma grande força do decorrer da história.
Damiana poderia se afastar. Abandonar o aposento do jovem senhor e se retirar ao quarto das criadas, onde era seu lugar. Mais algo a impedia, implorava-lhe para ficar. Não queria sepultar o sentimento que a invadia.
Cara, esse livro me trouxe diversos sentimentos bons e ruins, é notável em cada página o quanto o autor pesquisou sobre história da escravidão e folclore para compor esse livro, e muitas vezes eu fiquei imaginando o trabalho que deve ter dado para concluir essa história, e acreditem por mais que tenhamos uma noção básica de alguns acontecimentos que vão ocorrer, este livro tem um final surpreendente, e ele foi extremamente bem amarrado pelo DeBrito. Eu gostei muito da narrativa dele, foi a minha primeira experiência com seus livros e com certeza lerei outros, pois ele escreve muito bem mesmo!

Em relação a diagramação, a Faro arrasou (para variar), esse aliás foi o primeiro motivo que me chamou a atenção no livro, a capa tem um ar de mistério, em contraste com as bordas das páginas que são vermelhas e dão um aspecto bem macabro ao livro, tem algumas ilustrações nas quatro primeiras páginas que antecedem o prefácio, as páginas são amareladas e bem grossas, mas o livro é leve, as letras são médias e bem confortáveis para a leitura e não me recordo de ter visto nenhum erro de revisão.


Enfim, eu amei a leitura e a recomendo a todos, é uma bela dica de leitura nacional !!


- Os brancos chamaram o escravo de Saci (...) - É um guerreiro que vem da mata (...)

- "Ele veio para acabar com a nossa vida de escravidão" ... Não precisamos mais aguentar a opressão dos brancos"...

Espero que gostem e até a próxima resenha.

16 comentários

  1. Oi, Verônica!
    Menina, que livro hein? Infelizmente existiram vários João Batista no Brasil :(
    Achei interessante essa história de "origem" do Saci.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do Sorteio de Férias: cinco livros, um ganhador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Lu, é muito massa mesmo! Indico muito a leitura.

      Bjokas

      Excluir
  2. Que bom q este livro superou as suas expectativas! Gostei da resenha!!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  3. Oi Verônica, tudo bem?
    Esse livro parece ser bem pesado. :/
    Tenho vergonha da humanidade por ter sido capaz de fazer isso com outros seres humanos por tanto tempo.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Prihh

      Sim ele é um pouco pesado, rs. Mais tudo na medida certa. Não há como falar da época da escravidão, sem mencionar a violência sofrida na época, é incrível como os seres humanos podem ser escrotos quando querem.

      Bjoss

      Excluir
  4. Olá!
    Eita, que livro pesado hein? Histórias assim são muito importantes, mas para ser honesto não curto coisas que me deixem para baixo, mas reconheço o valor. Passo a dica com o maior prazer ;)
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Joe

      O livro realmente retrata momento tristes e vergonhosos de nossa história, mais o final ... meu amiguinho é sensacional kkkk

      Bjoss

      Excluir
  5. Verônica, que livro forte! Quando vi o título e a capa, já imaginei que as cenas retratas aqui seriam de deixar o coração partido e ao mesmo tempo, indignado. Não consigo nem imaginar o sofrimento dos escravos nessa época e isso só mostra o quanto o ser humano consegue ser cruel de uma forma monstruosa, dá pavor até de pensar. Eu acho que leria mesmo não sabendo se conseguiria passar por toda a narrativa.
    Beijo!
    http://leitoraencantada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Miriã

      Ele é realmente é forte, mais infelizmente é uma ficção que não deixa de ser de certa forma "baseados em fatos reais".

      Bjoss

      Excluir
  6. Oi!
    Esse livro parece ser muito impactante e a capa condiz muito, ela é linda demais!!

    Beijos,
    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Lais

      É bastante impactante sim, e a toda a diagramação está maravilhosa.

      Bjos

      Excluir
  7. Olá amore, apesar de ser nacional - livros que normalmente não êxito em ler - passo a dica porque o livro em si não me chamou a atenção nesse momento, quem sabe num outro momento.
    Adorei sua resenha!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  8. Olá Verônica,
    Estou louca para ler esse livro, pois ele tem uma premissa que me agrada muito. Participei de uma live com o autor e soube que ele demorou muuuito para escrever o livro mesmo. Ele pesquisou muito e fiquei contente por isso ser notável no livro.
    O autor parece escrever bem e parece ter acertado em cheio nesse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Bruna

      Eu soube dessa live, mais foi no meu horário de trabalho se não me engano. A pesquisa com certeza foi enorme e concluída com sucesso rs

      Bjos

      Excluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!