Resenha #347 - Corte de Espinhos e Rosas - Sarah J. Maas


Título: Corte de Espinhos e Rosas
Autor(a): Sarah J. Maas
Editora: Galera
Páginas: 434
Nota: 5/5

Olá! Tudo bem com vocês?

Quem quer resenha em dueto de novo levanta a mão o/!!!!

Eu e a Diana iremos resenhar em dupla novamente para vocês e este foi o livro escolhido. Lembrando que eu ficarei com a fonte  em vermelho e a Diana com a fonte em lilás.

Vamos falar hoje sobre um livro que eu particularmente amei a leitura. Eu gostei muito também, mas devo confessar que estava um pouco com o pé atrás rs.


Este livro foi escrito pela Sarah J. Maas mesma autora da série Trono de Vidro, também lançado aqui no Brasil pela editora Galera. Ambos são de fantasia, então convido os amantes desta temática para conferir a nossa opinião sobre esta história bem escrita e bem desenvolvida.

Cortes de Espinhos e Rosas, conta a história de Feyre, uma menina de família rica, que ainda muito nova viu sua vida ir abaixo, após a morte de sua mãe e falência de seu pai. Totalmente sem dinheiro e perspectiva de vida, o pai, suas duas irmãs mais velhas e ela se mudam para uma aldeia, para morar em um chalé, totalmente sem luxo e passam muita dificuldade. O pai de Feyre foi brutalmente espancado por credores e tem o joelho dilacerado e mal consegue se locomover, e suas irmãs Nestha e Elain, ainda se portam como se fossem da alta sociedade, se recusam a fazer trabalhos pesados, e vivem ás custas da determinação de Feyre, que se sente obrigada a cuidar de sua família, pois jurou isso no leito de morte da sua mãe.

Como sempre, Feyre ia até floresta para caçar animais para comer – ou fazia isso ou toda a família morreria de fome - e se deparou com um enorme lobo próximo a corsa que seria seu alimento pelas próximas duas semanas, indecisa sobre ficar sem comida ou ser notada pelo lobo e morta, ela confiou em sua impecável pontaria e atirou, matando o lobo.

O mundo aonde Feyre vive, não é comum. Os humanos são uma parcela mínima sobrevivente e quem reina soberanos são os Feéricos, seres sobrenaturais letais que são governados pelos Grãos-Feéricos, que são ainda mais letais. Existe uma muralha que divide as Terras Mortais das Terras Feéricas, e se eles não forem provocados, e o Tratado for respeitado, a convivência se torna praticamente invisível, e há muito tempo os Feéricos são mais lendas do que realidade.
Todos tínhamos ouvido, independentemente de classe ou patente, desde o momento em que nascemos os avisos cantados para nós enquanto nos balançavam em berços ou rimas entoadas nos pátios da escola. Um dos Grãos-Feéricos poderia transformar nossos ossos em pó a 100 metros de distância.
Até que certo dia, após retornar da venda da pele da corsa e do lobo que matou, Feyre e sua família recebem uma visita nada amistosa, mais precisamente de um Feérico. Aquilo os deixou muito amedrontados, porque a fera chegou com tudo, destruindo sem dó a porta de entrada e reivindicando um assassino.
A Besta devia ser tão grande quanto um cavalo, e, mesmo tendo o corpo mais ou menos felino, a cabeça era distintamente lupina. Eu não sabia o que pensar dos chifres curvados como os de um cervo que despontavam da cabeça. Mas leão, cão ou cervo, não havia duvida dos danos que as garras pretas semelhantes a adagas e presas amareladas poderiam infligir.
A Besta teve um motivo crucial para invadir aquela casa, seu amigo Feérico foi morto por um humano e devido as leis do Tratado, uma vida deve ser reivindicada por outra, e esse Feérico nada mais era do que o lobo que Feyre matou.
Ao longe, a besta era apenas uma sombra, me chamando para um destino que eu, sem querer, tinha infligido a mim mesma e a minha família. Uma vida por outra ... mas e se a vida oferecida como pagamento também significasse a perda de outras três? Só esse pensamento me deu coragem, me fez voltar a realidade.
E é nesse momento que Corte de Espinhos e Rosas tem similaridades com a Bela e a Fera, pois Feyre é levada pela Besta para as Terras Feéricas, por ter infligido o Tratado – que aliás ela não tem a menor ciência do que está escrito pois é analfabeta.

Ao chegar no castelo, logo Feyre tem uma surpresa, a Besta se transforma-se em Tamlin, um rapaz, com traços praticamente humanos, tirando as orelhas pontudas – um Grão-Feérico. Fora isso ele também usa uma mascara que é fixa em seu rosto, devido a uma maldição que aflige sua corte.
Era jovem ... ou o que podia ver do rosto dele parecia jovem. O nariz, as bochechas e a testa estavam escondidos por uma exótica máscara dourada, encrustada de esmeralda, com formato de redemoinhos ou folhas.
E não era somente Tamlin que sofria desta maldição, e sim todos os habitantes da Corte.

Feyre acredita que seu propósito eterno será morar com aqueles exóticos Feéricos por toda a eternidade, e após ter a certeza de que sua família está segura e feliz, toca a vida do lado daqueles seres normalmente, porém nem tudo são rosas no palácios, há os espinhos também, como por exemplo Feéricos malévolos que só querem ver a desgraça e destruição.
Tinha um rosto que parecia ter sido feito de desgastado, osso seco, a pele fora esquecida ou descartada, uma boca sem lábios e dentes longos demais, presos em gengivas escuras, fendas finas no lugar de narinas e olhos ... olhos que não passavam de fossos rodopiantes de um branco leitoso -  o branco da morte, o branco da doença, o branco de cadáveres já decompostos, ossos limpos.
Acontece que para proteger Feyre de uma ameaça, Tamlin a manda de volta para a sua família. Mas Feyre já apaixonada, não suporta ficar longe por muito tempo, e volta para o palácio, e ela descobre que para salvar seus amigos, precisa ir de frente a um destino bastante cruel. Muito cruel mesmo. Ela sofre demais. Pensa numa garota que sofre. Eu fico abismada com a coragem dela, eu não sobreviveria. Feyre me conquistou completamente, é uma personagem forte e com um empoderamento feminino de dar inveja.
Olhei para o antebraço esquerdo então, e meu estômago se revirou diante do sangue que pingava dos tendões rasgados, das dobras da pele repuxadas, para acomodar a lança de um caco de osso se projetando diretamente por ali.
Enfim eu me apaixonei por essa história e pela escrita da Sarah J Maas, é o primeiro livro que eu leio da autora e a sua história me prendeu no começo ao fim, porém  mesmo dando cinco estrelas e considerando um favorito, há alguns detalhes que eu também não gostei. Todo os meus elogios são voltados para a história que foi muito bem feita e principalmente pela Feyre que é uma personagem maravilhosa, ela tem uma garra admirável. Em compensação o Tamlin na minha opinião ficou um pouco a desejar. Em alguns momentos da narrativa da autora me incomodou um pouco, devido a algumas repetições principalmente no começo da história, mas mesmo assim foi uma leitura que valeu muito a pena e estou louca para ler o próximo que alias ganhei de presente de niver da Dih (há).

Ao contrário da Verônica eu gostei muito de Tamlin,  eu o achei um personagem incrível e tem suas qualidades. Ele está muito cansado. São muitos segredos. São anos de luta, tem muito sofrimento e as coisas por mais que pareçam, nem sempre foram fáceis. Feyre e Tamlin tem cada um a sua história e juntos, eles são mais fortes.
-Porque a sua alegria humana me fascina, o modo como vivencia as coisas em sua curta existência, tão selvagem e intensamente e tudo de uma vez, é... hipnotizante. Sou atraído por isso, mesmo quando sei que não deveria, mesmo quando tento não ser.
Eu confesso que não tive tanta vontade de ler a série O Trono de Vidro, mas sempre tive vontade de ler este livro, mesmo estando com o pé atrás, após a leitura de algumas resenhas. Confesso que inicialmente não estava animada, mas as coisas foram acontecendo de uma forma que quando percebi não conseguia mais parar, foi uma leitura cheia de aventuras e com um ritmo bem frenético, mesmo ainda sendo introdutório.

Eu entendo que quando a gente ama fazemos de tudo pelas pessoas que amamos, mas a coisa que mais detesto é gente folgada. E a família de Feyre é bem isso. Nem tanto pelo pai, mas as irmãs, pelo deuses!!! Uma é passiva e segue tudo que a outra faz. E Nestha trata Feyre de maneira rude e com muita grosseria, como se ela tivesse a obrigação de sustentar todos. Enfim, seria pra mim uma família que eu não sentiria a menor falta depois que eu fosse levada.

Aqui neste história podemos encontrar motivos para refletir, sobre a vida que levamos e o que queremos ser e transmitir a outras pessoas. Que ser líder não é só mandar e sim acolher e cuidar. Fala de relação familiar e que família não é apenas laços de sangue e que os sentimentos podem se transformar independente do lugar ou com quem está. A confiança é bem válida e os laços de amizade são importantes. 


Em relação a diagramação, por ter me apaixonado pela capa, eu não li a sinopse, não tinha a menor ideia do que se tratava – ou seja consumismo capista nível master – vocês claramente se identificam e me entendem, as páginas são amareladas, as letras são médias e confortáveis para leitura, a cada inicio de capitulo, tem desenhos de espinhos, e não me recordo de ter visto erros na revisão. Sarah construiu muito bem os personagens em minha opinião, e a história foi bem desenvolvida e uma ambientação bem composta. 
Talvez eu estivesse a caminho da minha morte, mais não chegaria desarmada. 
Espero que tenham gostado e até a próxima resenha. Xero no coração de todos!!

Este livro faz parte do #Desafio12MesesLiterários do item "Uma releitura de Contos de Fadas." Eu e a Verônica participamos e resolvemos ler juntas em participação também.

                                                                                                                                    

Resenha #346 - A Sombra da Rosa - Babi A. Sette


Título: A Sombra da Rosa
Spin-off de A Promessa da Rosa
Autor(a): Babi A. Sette
Editora: Amazon
Páginas: 100
Nota: 5/5

Naquele fim de tarde, além do desalinho habitual, ele se encontrava em uma pose nada elegante, largado com uma garrafa e meia de conhaque, que bebera, vazia ao seu lado.
Nossa que enorme surpresa que a Babi deu aos leitores, com este Spin-off perfeito de A Sombra da Rosa. Então galera, só leiam este conto após ler o livro A Promessa da Rosa, porque nele contem muitos spoilers do livro tá.

Eu amei esse conto, e devo confessar a vocês, que geralmente não leio Spin-offs de livros, mesmo quando eu amo, mas eu não consegui resistir o da Babi, porque falaria do meu casal lindo Arthur e Kathelyn.

Arthur depois das coisas que fez Kathelyn passar, resolveu ir atrás dela e pedir perdão, porque viver sem ela não estava mais dando certo. 

Kathelyn, mesmo diante das dificuldades nunca deixou se abater, continuava a mulher forte e agora tinha uma razão bem maior para continuar sua luta. 
Ele quase respondeu que agraciado não seria a palavra adequada, mas ficou quieto. Deixou o comentário perdido entre as mil rosas do jardim e suas sombras projetadas.
Babi, trouxe um conto, que poderia se estender para mais um livro facilmente. Eu gostei do que encontrei e como as coisas aconteceram. Fiquei mais apaixonada por sua escrita e pela evolução que ela deu aos seus personagens. 

Pessoas quando estão muito feridas, tendem a se fechar e a se recolher, mas Kathelyn é uma mulher de coragem e com uma personalidade forte, que poderia deixar qualquer outro homem se tremendo de medo. Eu sou muito fã dela e a admiro por tudo que ela passou e pelos obstáculos que pulou e se manteve firme, mesmo achando que fosse desmoronar.

Babi falou do amor e do que ele é capaz de fazer na vida das pessoas, o quanto ele pode engradecer e edificar  os que o sente. Ela falou da relação familiar, que nem todos são perfeitos, mas quando existe amor, as coisas caminham ainda que com dificuldade, mas a felicidade é completa. Eu refleti muito nesta história e como eu suspirei. 
O coração dela queria fugir dali. Não tinha certeza se aguentaria ouvir até o fim. Mesmo assim, concordou em silêncio, dando a permissão para ele continuar a falar.
Babi minha linda muito obrigada por esse carinho aos seus leitores e por trazer esse conto que só me encheu de mais amor.


Sobre a diagramação não tenho muito o que dizer porque este conto é apenas em e-book, mas eu não encontrei nenhum erro de revisão, a fonte está ótima e todo espaçamento também. A capa do livro é condizente com a história e totalmente linda. Eu recomendo demais a leitura do livro e depois o spin-off, porque vale muito a pena.
Há seis meses, ele se deu conta de que a havia perdido outra vez, talvez para sempre.
Obrigada pela companhia pessoas, xero!

                                                 

Resenha #345 - Dexter: A mão esquerda de Deus - Jeff Lindsay



Título:  Dexter : A mão esquerda de Deus 
Autor(a): Jeff Lindsay
Editora: Planeta do Brasil
Páginas: 272
Nota: 4/5


Olá! Tudo bem com vocês?


Hoje trago uma resenha referente a um livro que deu origem a uma das minhas séries favoritas. Que é essa lindeza aqui.


Geralmente eu prefiro ler o livro antes de iniciar uma serie, porém eu comecei a assistir Dexter sem muitas expectativas, pois já havia tentado assistir ao seriado antes e não tinha passado da metade do primeiro episódio, mais estava de férias e entediada e resolvi dar uma segunda chace a ela ... acabei assistindo as oito temporadas em menos de um mês.


Como o livro é sempre incomparável a adaptações, resolvi procurá-lo e mesmo sendo um livro um pouco antigo, além de ser caro, na maioria dos sites que procurei ele estava sempre esgotado, para vocês terem uma ideia, eu solicitei em um site que me avisasse quando ele estivesse disponível, e quando fui comunicada, do tempo de acessar o site e colocar o livro no carrinho, ele já estava esgotado de novo – e eu não consegui comprá-lo mais uma vez.

Em uma outra oportunidade acabei conseguindo fazer a compra e assim que ele chegou, já fui arrancando da caixa e começando a leitura. Para quem já viu a série posso dizer que a base para a primeira temporada foi mantida, mais ocorreram situações neste livro, que eu vi somente se não me engano na ultima temporada. E vai ter chuva de foto do personagem da série nessa resenha, porque eu sou apaixonada por elas.
Tenho certeza de que a maioria das pessoas finge bastante no convívio diário com os outros. Eu apenas finjo completamente. Finjo muito bem e jamais sinto nada.
A história gira em torno de Dexter Morgan, um homem educado, gentil, aquele tipo de cara de todo mundo gosta, tem um relacionamento sólido. Um cargo importante e muito interessante no departamento de homicídios em Miami – é perito forense de respingo de sangue (gente esse cargo é muito legal hahaha) e no seu tempo vago ... ele mata.
Havia três semanas eu sabia que era ele o próximo, nós (ele e eu) pertencíamos ao Passageiros das Trevas, Passei essas três semanas lutando contra a pressão, a crescente Necessidade aumentando dentro de mim como uma grande onda que encrespa e arrebenta na praia e não recua, só cresce mais a cada segundo do relógio da noite luminosa.
Dexter foi adotado ainda muito novo pelo policial Harry, que viu que seu filho desde pequeno, tinha um declínio a psicopatia, e tentou contornar o vicio por morte que seu filho tinha da melhor maneira que pode, incentivando seu filho a somente matar assassinos.

E assim Dexter, mesmo depois da morte do pai, se sentia no controle da situação.  Ele investigava minuciosamente sua vitima, antes de captura-la afim de ter certeza que ela era uma assassina.
O código de Harry, estava cumprido, junto com o Passageiro das Trevas
Para quem não conhece a história, Dexter chama de Passageiro das Trevas esse desejo incontrolável por matar.


Até que surge em Miami, um novo serial killer – o assassino do gelo, e quando Dexter chega em sua rotina habitual para avaliar a cena do crime, descobriu que não tinha nada a ser feito ali, ele não era útil – pois o corpo não tinha sangue.

E pior este assassino sabe de coisas sobre Dexter que nem o próprio imagina, e ai começa uma caçada aonde não se sabe quem é a caça e o caçador.

O livro traz revelações impressionantes e é um leitura que te prende no inicio ao fim, é claro que em sua maior parte, eu não me surpreendi tanto, porque as situações mais importantes já haviam ocorrido no seriado, tanto que acabei dando quatro estrelas. Porém, como já falei aqui, há momentos diferentes no livro que ocorreram na série, e eu estou louca para dar continuidade a leitura. Eu vi muitas criticas sobre esse livro na net, mais sinceramente eu gostei muito da leitura.
“Eu vivi nas trevas por um longo tempo. Ao longo dos anos meus olhos se ajustaram até que a escuridão ... se transformou no meu mundo e eu pude ver”
Em relação a diagramação, a capa é linda, chamativa e sangrenta e eu adorava lê-lo dentro do ônibus e flagrar alguém me olhando com cara de assustada. As páginas são amareladas e a letra é extremamente confortável para leitura.

“Não sei o que me fez ser como eu sou, mais o que quer que tenha sido, deixou um vazio em seu lugar. Meu nome é Dexter. E eu sou um serial killer."
Espero que tenham gostado e até a próxima resenha, eu agradeço e o Dexter também.




Novidades Novo Século: Viúva Negra (Vermelho Eterno) - Margaret Stohl


Olá pessoas, tudo bem??

Hoje eu venho com uma novidade super legal da Novo Século Editora... para quem curte os quadrinhos, podem se interessar em ler a história da Viúva negra em formato de livro. Tive a experiência com O Homem Formiga e achei bem interessante, então é algo que recomendo para experimentar, uma leitura diferente. 

NATASHA ROMANOFF é uma das assassinas mais letais do mundo. Treinada desde a infância nas artes da morte e da mentira, Natasha recebeu o título de Viúva Negra de Ivan Somodorov, seu brutal professor, na Sala Vermelha, a infame academia de Moscou para agentes. AVA ORLOVA busca se adaptar como uma adolescente comum do Brooklyn, mas sua vida tem sido tudo, menos comum. Filha de um físico quântico russo desaparecido, Ava foi submetida a uma série de cruéis experiências militares – até ser resgatada pela Viúva Negra e posta sob proteção da S.H.I.E.L.D. Ela sempre teve o desejo de retomar o contato com sua misteriosa salvadora, mas a Viúva Negra não faz muito o tipo “irmã mais velha”. Até agora. Quando crianças de toda a Europa Oriental começam a desaparecer, e rumores de contrabando da tecnologia da Sala Vermelha se espalham, Natasha suspeita que seu velho professor possa estar de volta – e que Ava Orlova talvez seja a única capaz de detê-lo. VIÚVA NEGRA: VERMELHO ETERNO apresenta a todos os leitores uma aventura no melhor estilo Marvel, apresentada por Margaret Stohl, autora best-seller do The New York Times. Descubra uma nova faceta do Universo Marvel que promete emocionar desde os fãs mais assíduos até os recém-chegados. A história jamais revelada da Viúva Negra vem à tona pela primeira vez.

Então os olhos dela se fecharam, e fogo e caos e morte e ruído desapareceram. Assim como a mulher dos cabelos ruivos.

Redes Sociais:
Site | Fanpage | Instagram | Twitter | Canal | 

Até a próxima pessoas. 
Obrigada pela companhia.
Xero!


                                                                                                                                  

Resenha #344 - O Canto do Trovão - Thais Mendonça


Título: O Canto do Trovão
Autor(a): Thais Mendonça
Editora: Amazon
Páginas: 212
Nota: 4/5
Foi inquietante, estranho e bom. E ela nem sabia  que ele demorou a dormir também. Tudo estava confuso considerando que os sentimentos não eram mais os mesmos. Ficar ao lado dele provocava algo diferente dentro dela e isso a assustava.
Mais um livro que encontrei no Kindle Unlimited. Na verdade o que me chamou atenção foi esta capa. Amo uma guitarra. Adoro o desenho e alguns detalhes, tanto que eu tenho uma tatuagem que representa este meu amor. Gostaria de ter o dom de tocar, mas ai é para outras vidas rs.

Nina e Adam se conheceram quando ainda eram crianças. Foi uma amizade espontânea e eles se deram bem desde o inicio. Quando Adam acudiu Nina de um pequeno acidente que sofreu, passou a frequentar a sua casa diariamente e a amizade se fortalecia a cada dia. 
-Posso visitar você? - Perguntou Adam pegando os dois de surpresa.
-Hã, acho que pode.
-Temos que falar com sua mãe.
-Ela vai deixar.
-Tá certo. Pode vir. Vou ficar esperando.
Com Nina, Adam aprendeu a simplicidade da vida e que nenhum dinheiro é capaz de comprar o que é verdadeiro e sincero. 

O tempo foi passando e eles foram crescendo e mesmo assim a amizade dos dois ficou cada vez mais fortalecida. Quando crianças, Nina tinha o sonho de ser médica e Adam queria ter uma banda de Rock. 

Na adolescência, ambos estudavam na mesma escola, claro que Adam quis estudar na mesma escola que Nina, para ficarem sempre próximos. Foi em uma brincadeira, que Nina deu seu primeiro beijo e foi com o Adam.

Os pensamentos deles ficaram um pouco confusos, mas nenhum dos dois tocaram no assunto depois disso. Com a perda da mãe, Adam ficou perdido e  se sentindo sozinho, pois apesar de seu pai amá-lo, trabalhava muito e não concordava tanto com seu sonho de ser um astro do Rock. Claro que Nina ficou ao seu lado em todos os momentos. Dando-lhe apoio e sendo a sua melhor amiga de sempre. 

Os anos passaram e chegou a época da faculdade. Nina foi fazer seu curso dos sonhos Medicina e Adam aos poucos estava crescendo em sua banda de Rock e era o queridinho das fãs, com suas mesclagens de sons que fazia com sua guitarra, o verdadeiro som do trovão. 
-Promete que ainda seremos amigos? - Pediu ela.
-Eu nunca deixaria você, fogueirinha.
Eles se separam por um tempo, mas a amizade continuava, só que ambos sentiam um a falta do outro, até que Adam propôs que Nina fosse a empresária da banda, porque eles confiavam nela e estavam insatisfeitos com o empresário atual. 

Nina tinha sentimentos por Adam, ela gostava muito dele, mas claro que ele não conseguia enxergar isso, e ambos permaneciam sendo os amigos que sempre foram, mas agora com sua chegada a banda e a frente dos negócios, as coisas começaram a mudar e Adam talvez tenha reparado na mulher que estava ao seu lado. Será?

Eu gostei muito desta leitura. Tanto que li em apenas um dia. Comecei numa tarde e entre intervalos de trabalho e faculdade, terminei na manhã seguinte. Foi uma leitura simples, mas maravilhosa. Encontrei aqui uma relação de amizade que começou na infância e foi para a vida inteira. Conheci aqui uma história de amor, que foi criada e desenvolvida com o tempo. Encontrei aqui, que a força do querer pode nos levar para todos os caminhos, desde que estejamos abertos para pular os obstáculos, criar coragem e encarar de frente as barreiras impostas pela vida. 

Renata, em poucas páginas conseguiu desenvolver bem o enredo e transmitir a mensagem, que somente o amor pode nos curar, aquele amor onde a gente se entrega sem medo, onde a confiança é predominante, onde a aceitação com os defeitos e qualidades são reconhecidos e moldados. 

Pode parecer loucura, mas eu fiquei vários dias pensando nesta história. Porque ela pareceu tão real, que parecia que eu era uma observadora, como se eu fizesse parte da turma e tivesse crescido com eles. 

Nina é uma mulher incrível. Desde criança ela mostra uma personalidade forte e corajosa. Ela é um doce de pessoa, mas sabe ser forte e valente quando a situação exige. Eu gostei muito desta personagem. 

Adam é um sonhador, realiza seu sonho de ser astro do Rock, mas sempre se esforçou e pulou barreiras para que isso fosse possível. Junto com seus amigos ele cresce e amadurece. Passa por situações complicada e fica entregue. Mas, com força, se reergue e se transforma em um homem melhor. 


Não consigo falar da diagramação porque li em e-book, mas não encontrei erros de revisão. Na verdade não consegui ler me atentando a este detalhe, porque foi uma leitura rápida, de fácil entendimento e não parei para observar isto. A única coisa que eu quero comentar é sobre esta capa. Eu gostei, mas ela pode ficar melhor sem tirar a essência é claro e adoraria que a autora colocasse seu nome na capa, para que o leitor possa identificá-la, assim ela pode chamar mais atenção. 

No mais recomendo a leitura deste nacional. Pra quem gosta de romance, clichês, música e drama. Se aventurem porque a história é bem bonita e traz reflexão e crescimento pessoal.
-Você precisa de ajuda.
-Não preciso da sua ajuda e nem de ninguém entendeu?
-Não vou sair daqui. - Gritou ela novamente enxugando o rosto. -Pode gritar. Pode dizer o que quiser. Não vou sair daqui e você também não.
Obrigada pela companhia pessoas, xero!

                                                                                                                                    

Bibliotecas pelo Mundo 1# - Grécia

Olá, tudo bem com vocês?

A partir de hoje, trarei quinzenalmente, um projeto que iniciei aqui no blog há alguns anos atrás, porém infelizmente tive que interromper, que é o Bibliotecas pelo Mundo.

O intuito é mostrar para vocês bibliotecas pelo mundo afora, e um pouco de sua história. 

Nosso primeiro destino será a Grécia, prontos para embarcar?


A Biblioteca Nacional da Grécia fica situada em Atenas e gente que biblioteca mais linda é essa!

Ela é do século XIX, e tem diversos tesouros da longa história de Atenas.

É a terceira e última parte da “trilogia neoclássica”, um grupo de três edifícios situados no centro de Atenas, considerados entre os principais  exemplares da arquitetura neoclássica.

Foi totalmente construída em mármore e dispõe de imponentes colunas dóricas, parecidas com as colunas utilizadas no Partheon.


Dentro do edificio, há coleções de manuscritos gregos antigos, alguns com mais de 1400 anos. Inclui também itens exclusivos da cultura grega, como livros, mapas, jornais, fragmentos de uma Biblia do século VI, além da primeira publicação dos épicos e hinos do poeta grego Homero. 
                           

Lindíssima né?

Espero que tenham gostado e até a próxima viagem!!


Resenha #343 - A Profecia de Mídria - Denise Flaibam

Livro cedido pela editora.

Título:  A Profecia de Mídria
Autor(a): Denise Flaibam
Editora: Mundo Uno
Páginas: 304
Nota: 5/5


Olá, tudo bem com vocês?

Hoje trago uma fantasia NACIONAL maravilhosa, escrita pela linda da Denise Flaibam.
Os mistérios de Warthia devem ser desvendados, e Serafine é a única capaz de fazê-lo
Devo iniciar esta resenha avisando-os, que este livro não é recomendável para pessoas com problemas respiratórios, pois é normal prender a respiração ao lê-lo, mais por favor, sejam rebeldes e leiam mesmo assim - vale o risco.

A história se passa em Warthia, um mundo cheio de magia e mistérios, e tudo começa quando uma recém nascida é abandonada, as portas da família Delay. Eles lhe dão o nome de Serafine. E desde pequena foi possível perceber que ela não era igual aos outros.
A pele de Serafine era coberta por desenhos. Intricados espirais formavam símbolos estranhos, elaborados arabescos arratavam folhas ou flores pela tez, embrenhando-se nas marcas desconhecidas.
Seus pais preocupados em esconder os mistérios marcados na pele de sua filha, a protegiam como podiam dos olhares preconceituosos, dos moradores da Vila do Sol, pois seres dotados de magia, não eram bem vistos, e Serafine conseguia viver sem grandes problemas, graças a camadas de maquiagens e roupas que escondiam seu corpo.

Até que um dia ... tudo mudou.
A pessoa ou o que quer que fosse não mostrou o rosto. A distância escondia bem a sua fisionomia. Algo no modo como se ocultava fez com que Serafine ficasse arrepiada.
Havia algo de errado. Aquela coisa... Não parecia humana.
Na festa de seus dezoito anos, a Vila foi atacada por seres sedentos por sangue, que tinham a intenção de raptá-la, por motivos até então desconhecidos. E só não conseguiram concluir com seus objetivos, porque Serafine foi salva por Ývela e Jarek. Dois nobres guerreiros que se tornaram guardiões de Serafine, afim de auxilia-la a descobrir, quem realmente era e o quão importante seria para a salvação de Warthia, pois Serafine era a chave da Profecia de Mídria.

Eu amei a Serafine, ela tem uma personalidade muito forte, foi criada como uma pessoa comum, não tem a minima ideia do que é capaz, não sabe lutar, sua maior defesa é sair correndo, mais mesmo assim ela tem uma coragem que me impressionou diversas vezes.
Não havia nada em que se segurar. Repentinamente, seus olhos passaram por uma rocha na beirada da vala e, sem pensar muito, a garota pegou-a e lançou-a na direção do monstro. (...) A criatura afastou-se gemendo de dor, e com mãos escondendo o rosto ferido. Serafine cogitou a ideia de tentar fugir, mais uma onda súbita de adrenalina invadiu-a e sua atitude seguinte foi inesperada: ela se jogou sobre o Lobisomem.
Entenderam porque falei no inicio que é difícil ler e respirar ao mesmo tempo né?

A profecia de Mídria, é um livro que tem emoção, perdas, lutas, sofrimentos, dor e ... amor.

O que eu achei muito interessante também, é que diferente da maioria dos livros de fantasia que eu já li, ele não aborda tanto o romance (claro que mesmo assim, não tem como não shippar Serafine e Jarek hahahaha) mais o que eu senti na Serafine, é que ela tem muita coisa importante para aprender e descobrir, para ficar correndo atrás do crush, e isso é ótimo, eu pelo menos não curto quando a fantasia excede no romance e deixa todo aquele mundo incrível em segundo plano.
- Sossegue aí, princesa. - Jarek disse por fim, parecendo entediado com as atitudes de sua protegida. Serafine lançou um olhar irado, jogou a trança despenteada para trás e continuou a socar aquela prisão.
- Use esse apelido mais uma vez e eu o faço engolir seus dentes - ameaçou trazendo um sorriso ao rosto do guerreiro.
E olha que é difícil não se apaixonar pelo Jarek, minha gente - aliás se a Serafine não quiser, meu coração está de portas abertas.
Jarek saltou nas costas da criatura, acertando repetidos golpes contra a carcaça escamosa. Grunhindo, o monstro lançou o ferrão na direção do guerreiro. (...) Ele precisava acabar com aquilo e salvar Serafine, ou toda a missão estaria perdida.
Eu amei a leitura, a autora tem uma escrita muito bem desenvolvida, a história segue um ritmo bom e fluido o tempo todo, e para quem gosta de literatura fantástica é uma ótima opção.

A sequencia da série, já está disponível em E-book na Amazon, que é A Fortaleza do Dragão, e eu estou louca para ler, mais vou segurar um pouquinho, porque acredito que em breve, terá o físico lindo, cheiroso, maravilhoso e obviamente autografado, para embelezar a minha estante.

Em relação a diagramação, a capa é linda, é o tipo de livro que eu compro pela capa sem nem sequer saber do que se trata, as páginas são amareladas e decoradas com arabescos similares ao que tem no corpo da protagonista, ao final do livro, tem glossário com a pronuncia dos nomes, com o significado de palavras ditas no livro chamadas de Língua Antiga e um Mapa de Warthia.



A morena gritou de susto quando o próprio cavalo lhe respondeu. Relinchando, o corcel bateu uma das patas no chão, lançando aquele mesmo olhar intenso a garota. - Está no mundo mágico agora. Serafine. Nada vai ser como antes.
Por hoje é só, espero que gostem e até a próxima resenha.

                                                                                                                                     

Primeiras Impressões - Lacrymosa - Juliana Daglio

Sinopse:
O nome dela não é Valery Green. Também não nasceu no Kansas, e sua família toda não morreu num acidente de carro onde ela foi a única sobrevivente. Nascida num mundo de trevas e segredos apocalípticos, a garota feita de mentiras luta dia após dia para ter uma vida longe de sua verdadeira identidade e de seu dom misterioso, o qual ela julga como uma maldição.
Por cinco anos, ela conseguiu. Escondida na pacata Darkville, tornou-se uma respeitada Detetive, conhecida por sua frieza e eficácia no trabalho. Seu companheiro Axel parece ter orgulho de trabalharem juntos, até ficar frente a frente ao que encontraram na busca daquela noite - um demônio dentro de uma garotinha.
Para ajudar a pequena Anastacia, Valery terá que colocar em risco o trabalho na polícia e seu relacionamento com Axel, recorrendo à ajuda do Padre Henry Chastain, um velho conhecido. Desenterrando um passado cheio de exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios, esse reencontro não promete ser feito de abraços e boas-vindas.
Chas, como ela o chama, é conhecido como o maior Exorcista vivo - a Espada de Sal do Vaticano, e é sua única esperança de lutar contra o novo inimigo, mas também representa o ponto fraco de si mesma e o acesso a um passado doloroso que pode despertar seus próprios demônios interiores.

Recebi os 4 primeiros capítulos do livro, cedido pela Juliana. Eu fiquei imensamente feliz pela sua confiança de sempre ao meu blog. Muito obrigada! 

Já comecei a leitura destes capítulos me sentindo presa a narrativa. Porque já começa com uma frase que pelo menos em mim, causou calafrios. Após isso, fui dormir e amanheci com um enredo na mente, crente de que tinha assistido um filme, mas somente depois que lembrei que li os primeiros capítulos deste livro. Juliana minha filha, não sei até quando vou aguentar sem ler este livro por inteiro, só falo. 

Iremos conhecer Valery Green, mas até chegar neste nome, esta moça passou por transições difíceis e complicadas. Ela teve que deixar a sua família no Kansas porque não podia colocá-los em risco. 

Abandoná-los não foi uma tarefa fácil, mas ele disse que se ela não o fizesse, todos iriam sofrer as consequências. Seus malditos dons, como ela chamava, ainda eram desconhecidos e ela ainda não sabia a sua plenitude, mas não queria arriscar, já que este dom vinha das trevas, era melhor ela conviver com isso do que colocar todos que amava em risco. 

Com sua fuga, Valery, conseguiu ficar escondida por um tempo na pacata cidade de Darkville. Ela se tornou uma detetive respeitada e tinha um parceiro bem fiel de trabalho, o Axel que tinha muito orgulho de trabalhar com ela, mesmo com sua conhecida frieza no ambiente de trabalho.


As coisas começaram a mudar, quando um casal e sua doce filha foram sequestrados ou sumiram e depois de algumas evidências levaram a crer que o marido tinha as sequestrado e causado a morte da esposa. Mas será que foi isso mesmo? 

Coisas obscuras estavam acontecendo naquele lugar onde e quando Axel achou o pai de Anastácia, o prendeu imediatamente, achando estranho porque ele agradecia imensamente e ainda falava palavras desconexas. Mas, Valery sentiu que algo ruim vinha, aquela sensação já conhecida por ela do mal se alastrando, vinha da garotinha e não do pai dela. 

Quando ela percebeu que era algo grande ela teve que recorrer a ele, mesmo contra a sua vontade. Eis que o Padre Henry aparece, desenterrando muitos mistério, exorcismos, perseguições e batalhas contra demônios e afins. 


Cara o que falar dessas primeiras impressões, me digam? Foi maravilhoso conhecer essa premissa. Eu já sou fã de Juliana por causa de O Lago Negro, mas Lacrymosa, quer me ganhar também. O enredo está cheio de seus mistérios, você já fica ávido para saber mais desde as primeiras páginas e conforme vai lendo, a sensação é que você está assistindo um filme ou uma série.

Valery é uma mulher fria e dura. Ela tem uma personalidade forte, mas é um poço fundo cheio de segredos, seu olhar é intenso e sua mente transborda. Suas visões a deixam aflita e ela costuma dizer que todas são malditas. Ela não queria nada disso. Teve que tomar decisões doloridas por causa de sua condição e por mais que tenha tentado fugir disso, ela não conseguiu e agora se vê em um emaranhado mistério de uma garotinha possuída. 



Como toda premissa, tive que parar a leitura em um momento em que a história estava me fazendo mergulhar nos acontecimentos e agora aqui estou doida para continuar. Juliana está trazendo uma história forte, aterrorizante e só para quem gosta da temática vai se sentir tentado a ler Lacrymosa, mas confesso que a leitura também deve ser feita para quem pretende se inserir neste enredo.

Então por enquanto é isso pessoal, não tenho mais a dizer, até porque por mais que eu tenha lido somente quatro capítulos, já dá para ter uma certa noção do que esperar do enredo. Então se você ficou curioso, fique atento, porque em breve teremos mais novidades. Um Xero!

Redes Sociais:
Facebook | Instagram |
Contato: lacrymosa.jd@gmail.com


Novidades Novo Século!!!

Olá pessoas, tudo bem??

Hoje eu venho com uma postagem legal sobre o canal da Novo Século Editora, que está participando do VEDA, para quem não sabe, o VEDA não é nada mais nada menos que um incentivo em que os vlogueiros participam em publicar vídeos todos os dias, com conteúdos diferentes e que possam chamar atenção dos inscritos e promover a união entre eles também. É como se fosse uma competição bem legal, mas super saudável. Eu acho a ideia genial para quem se propõe a fazer é claro!


Então eu convido a todos os amigos, amigas, blogueiros, vlogueiros e que todos convidem os familiares para se inscreverem no canal clicando na imagem abaixo, pois garanto que tem postagens maravilhosas e de ajuda inclusive, vão lá e confiram!


Abaixo, deixarei um vídeo que assisti e achei super maneiro e que pode incentivar e ajudar muito blogueiros. Assistam, vale muito a pena e se inscrevam, por que repito, tem muita coisa bacana.



Redes Sociais:
Site | Fanpage | Instagram | Twitter | Canal | 

Por enquanto é isso pessoal, espero que tenham curtido a novidade e participem, porque o canal está muito bom, e com novidades diárias. Xero!


Resenha #342 - Harry Potter e a Criança Amaldiçoada - J.K . Rowling, Jack Thome, John Tiffany


Título: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada
Autor(a): J.K . Rowling, Jack Thome, John Tiffany
Editora: Rocco
Páginas: 352
Nota: 4/5

Olá tudo bem vocês?

Hoje trago um livro que tenho certeza que a maioria aqui conhece, já leu ou está na fila das próximas leituras, e pelo que consultei, tem opiniões bastantes divididas sobre amor e ódio, que é a tão esperada sequência de Harry Potter.

O meu caso por Harry Potter e a Criança Amaldiçoada seria um caso de amor ou ódio?

Na verdade nenhum dos dois. Eu gostei muito da leitura, afinal não há como não gostar desse universo lindo criado pela J.K e eu admiro muito esta autora por toda a sua inteligência, criatividade e persistência. Tem coisa mais incrível do que ser tornar uma das pessoas mais ricas do mundo, por colocar no papel uma história que estava em sua mente?

Mais também não achei uma leitura tão espetacular assim, pois diferente dos demais livros que são ricos em detalhes, eu senti na leitura que ele foi muito resumido, e alguns personagens não foram tão bem trabalhados como deveriam ser.

A história gira em torno do filho mais novo de Harry - o Alvo Dumbledore Potter, que está ingressando sua vida em Hogwarts com vários medos e receios, e logo em seu primeiro dia na escola um deles se torna realidade : ele é direcionado pelo Chapéu Seletor para a casa Sonserina, paralelo a isso ele se torna o melhor amigo de uma pessoa que tem um sobrenome que nos transmite muita desconfiança : Escórpio Malfoy, que além de ter todo um peso negativo graças as atitudes do passado de seus parentes mais velhos, sofre perseguições sobre quem é seu verdadeiro pai.
O boato é de que ele é filho de Voldemort, Alvo.
Mais mesmo assim Alvo ignora as fofocas que giram em torno de Escórpio e eles permanecem amigos ao longo dos anos.

Alvo também não se vê livre de ser cobrado e comparado diariamente, afinal, ele é filho do Menino-Que-Sobreviveu e que derrotou o Lord das Trevas, e isso gera um grande stress nele.
E o que você quer que eu faça? Que fique popular por magia? Que conjure uma nova casa para mim? Que me transfigure em um aluno melhor? Lança um feitiço pai, e me transforme no que você quer que eu seja, está bom?
Até que um certo dia, Alvo escuta uma conversa de Harry com o pai de Cedrico, Ammos Diggory, em relação a especulações sobre a existência de um vira-tempo ilegal e Amos quer a ajuda de Harry para usar esse objeto para trazer Cedrico de volta, mas Harry se nega a ajudá lo. 

Alvo vê aí a oportunidade de se mostrar importante e provar para todos e principalmente para si mesmo que é também capaz de feitos impressionantes e com a ajuda de Escórpio, furta o vira-tempo na vão tentativa de salvar Cedrico da morte. 

Porém mexer com o destino traz consequências gravíssimas para o tempo real, e os garotos terão que se redobrar para acertar as coisas.
Então ... simplesmente ... a maioria das pessoas nesta sala desaparecerá, não existiremos mais e Voldemort governará novamente.
Eu não vou alongar muito essa resenha, porque se não ela ficará cheia de spoilers e eu sou totalmente contra, mais enfim, o livro é gostoso de se ler, nos causa nostalgia, tem momentos cruciais de revelações que me deixaram surpresa, transmite o sentimento da amizade, amor, carinho, afeto e união, que é algo característicos nos livros de Harry Potter, mas eu pelo menos ... esperava mais dele e ele ganhou quatro estrelas por ter toda a bagagem dos livros anteriores ( porém confesso que ponderei em dar três estrelas) - mais isso é uma opinião pessoal aonde quem já leu pode concordar ou não comigo.

Eu não curti muito o livro ser em forma de roteiro, a leitura fica fluida mais você sempre tem que se atentar ao nome que vem antes do diálogo. E eu particularmente tenho mais dificuldades para ler assim -  toda hora voltava a leitura para saber quem estava falando hahaha

Em relação a diagramação a capa é simples mais muito bonita, acho fantástico esses tons amarelos e dourados que ele possui. Às páginas são amareladas e as letras um pouco pequenas mais não atrapalham a leitura. Não localizei nenhum erro de revisão.


Espero que gostem e até a próxima resenha.
                                                                                                                                   

Resenha #341 - O Refúgio do Marquês - Lucy Vargas


Título: O Refúgio do Marquês
Autor(a): Lucy Vargas
Editora: Charme
Páginas: 310
Nota: 5/5

-Eu já li tanta coisa na vida, Caroline. Para alguém como eu, sempre à procura de um refúgio, a leitura é o mais alto castelo existente.
Difícil começar essa resenha, porque este livro veio para mim como uma inspiração e saudades de ler romances de época. Ele está no Kindle Unlimited, então resolvi arriscar e pegar para ler.

Ela, Caroline Mooren, a viúva baronesa de Clarington. Uma jovem corajosa, com um passado triste e bem doloroso, recebe a missão de reformar a mansão do marquês de Bridington e provavelmente o marquês também. A sua mãe a marquesa viúva, sofre com a vida que seu filho anda levando e aproveitando que Caroline não tem para onde ir, a convoca para ajudá-la nesta causa quase perdida.

Ele, o Marquês de Bridington, é um homem rústico, que vive perdido naquela imensa mansão, sobre a loucura de ter que enfrentar diariamente seus fantasmas e querer fugir deles todas as vezes. Um homem carregado de segredos, sofrimento e perdas. O Marquês apesar de tudo, tenta manter aquela mansão e os arredores da melhor forma que pode, para ele, as coisas não poderia ficar piores, até a chegada de Caroline, que não pensou duas vezes e já foi correndo atrás do prejuízo e colocando todo mundo em seu lugar e nos eixos.
Mesmo sendo mal-educado, inapropriado e parecendo um selvagem, bronzeado como um estivador, malvestido e despenteado.... Aquelas moças estavam suspirando pelo lorde errado.
Os dois não poderiam ser tão diferentes. Ele com seu jeito perdido de homem marcado por tanto sofrimento. Ela uma mulher que não sabia o que fazer da vida após ficar viúva. Com o tempo a amizade entre os dois vai surgindo. Mesmo ele a irritando e ela o fazendo rir de uma maneira com a qual ele não se lembrava mais como era. 

Caroline, ficou atônita com toda aquela situação. Aquela família estava completamente desustruturada, os criados perdidos sem saber o que fazer e como agir. Ela estava lá para por ordem em tudo e sabia muito bem o que fazer, sua lista mental começava a trabalhar fortemente. 

Conviver com o Marquês não era fácil, porque ele não ligava mais para os protocolos e andava com aquele bronzeado do sol e aquele bendito botão fora do eixo e aquilo a deixava irritada.
O Marquês tinha um raro talento para o sarcasmo misturado a uma irritante levantada de sua sobrancelha direita. Ato que o deixava com uma expressão tão arrogante que merecia um soco.
A Marquesa viúva, queria a casa reformada, para voltar a receber convidados e levar damas para apresentar seu filho, porque ela queria que ele fosse feliz novamente e queria que se casasse. Mas as coisas nem sempre são da maneira que esperamos e muitos segredos ainda vão aparecer e algo impede com que Caroline e o Marquês vivam um sentimento, que nasce sem que ambos percebam. 

O que está os separando, porque as coisas estão difíceis para eles? Leiam!

Eu gostei demais desse romance delicioso de época. Eu acho incrível o poder que a autora tem de escrever fatos tão antigos, como os costumes, linguajar, roupas, comportamentos e outras coisas a mais. Claramente dá para perceber o quanto a autora pesquisou para que as coisas ficassem mais críveis para que nossa mente flutuasse, para este tempo. Cada vez que eu leio romance de época, mais eu gosto do que encontro. Ainda mais este que é nacional.

Lucy tem um escrita deliciosa, eu gostei muito da forma como a história foi desenvolvida e os personagem foram bem construídos e bem desenvolvidos.  Caroline tem uma personagem forte e bem firme. Por mais incerto que o seu futuro seja, ela não se deixa abalar e ajuda aquela família que está em frangalhos e perdida. O Marquês é um homem bom, honesto, mas devastado de tanto tormento e sofrimento e a chegada de Caroline aquela casa, traz luz a vida de todos. Então, se você gosta de um romance de época bem escrito, bem desenvolvido, com uma relação familiar bem trabalhada e muito amor, este livro é especialmente para você.

imagem retirada do google

Como eu li em e-book, não tenho o que falar da diagramação, mas o livro está bem dividido nos capítulos. Não encontrei erros de revisão e se teve não consegui perceber, porque amei cada página que li desta história e claro que quero muito mais  da escrita de Lucy Vargas. Venha se apaixonar você também. 
Agora, você é o meu refúgio e sem dúvida o mais belo.
imagem retirada do google

Espero que tenham curtido pessoas, eu amei tudo que li e mais uma vez recomendo a todos que gostam de romance de época, que venham se deliciar com mais uma história e o melhor de tudo, nacional <3

                                                                                                                                     

Resenha #340 - O diário do Erasmo - Robson Cuer


Título: O diário do Erasmo
Autor(a): Robson Cuer
Editora: Coerência
Páginas: 180
Nota: 5/5

Olá! Tudo bem com vocês?

Hoje trago uma resenha de um livro nacional infantil, chamado O diário do Erasmo, escrito pelo autor Robson Cuer.
Eu não fazia isso porque não entendia o porquê cheguei. Eu estava com a minha mamãe e de repente uma mulher me colocou numa caixa e me deixou na rua.
O livro foi escrito em primeira pessoa, pela visão do Erasmo, um cachorrinho vira-lata que recentemente foi adotado por um rapaz que ama animais. Já em sua nova casa, ele divide o quintal com outro cachorrinho, o Jack e eles se tornam grandes amigos. Erasmo é um filhote super curioso, e Jack é quem o ensina sobre tudo um pouco.
O Jack me explicou que nós os cachorrinhos falamos latindo, os gatos falam miando e o meu pai fala falando. E mesmo sendo isso de formas diferentes, a gente no final sempre se entende! Não é incrível isso?
Erasmo no decorrer da história, vai conhecendo diversos personagens e com eles, ele também tem novas descobertas, algumas boas e outras não tão boas assim, e com isso o autor teve uma grande sensibilidade de colocar em texto infantil, ensinamentos não só para o Erasmo, mais principalmente para as crianças que estão lendo o livro como para adultos também, falando sobre amizade, amor, bondade, aceitação entre outros temas.
O Jack disse que a vida era assim, e que não adiantava querer mudar isso. Umas coisas a gente muda e as outras a gente aceita.
O diário do Erasmo é uma leitura super fluida e gostosa de ler, direcionada para o publico infantil, mais que pode navegar dentro de qualquer faixa etária. Quer fazer uma leitura doce e divertida e que ao mesmo tempo tenha conteúdo? Leia esse livro.
Mas se lembre, não faça da mentira sua companheira porque ela sempre te abandona e sempre aparece. Eu não usaria a mentira como companheira, porque eu já havia sido abandonado e isso doía muito.
Em relação à diagramação, a capa é essa graça que vocês podem ver na foto, com o Erasmo em destaque e alguns dos personagens. As folhas são amareladas e as letras são grandes. No decorrer da leitura há diversas ilustrações bem lindinhas que eu também coloquei aqui.


Referente à revisão eu percebi alguns errinhos, mais foram poucos – se não me engano uns três (e não me pergunte quais foram porque eu tenho a péssima mania de esquecer de marcar), mais não foi nada que tenha atrapalhado a minha leitura, é só bom alertar para uma melhora continua da editora.

Tempo. Sempre ele. Descobri que ele tinha dois assistentes o Dia e a Noite, e agora descubro que ele sempre é orientado pela Vida. E todos eles são mágicos e invisíveis. Agora entendi que o Tempo e a Vida são uma família.
Por hoje é só, espero que gostem e até a próxima resenha.