Suas Escrituras... Lembranças de um Inverno... Felipe de Souza Rocha...


Olá pessoas, tudo bem??

Hoje eu volto com mais um escrito nesta coluna que adoro demais. Tenho encontrado textos legais, contos maravilhosos e quero trazer para vocês, afinal tem muita gente anônima por ai. E quero poder trazer aqui para o blog até como forma de divulgar seus respectivos trabalhos.

Nas minhas andanças pela net, encontrei esse texto e o achei tão fofinho e simbólico, que resolvi compartilhar com vocês.

Imagem retirada no google.

Lembranças de um Inverno
por Felipe de Souza Rocha.

Chove forte lá fora, o estrondo dos trovões ecoa pela casa vazia. Enquanto toco uma música no violão, encho-me de saudades e leio suas poesias. 

Olho pela janela e vejo as luzes da cidade se apagarem aos clarões dos relâmpagos. Penso em você, que veio a ser por muito tempo a razão de minha admiração, mas assim como a claridade seu brilho se afastou com o pôr do sol. 

Passei então um tempo, tentando me mostrar o teu modo de ver o céu, de ver o mar. Assim fiquei apenas na sua incompreensão por querer te ensinar, o poder devastador de um olhar (que me levou a lugares secretos de minha infância, me trouxe a linda canção da vida por um pouco mais que um segundo) e assim me tornei um pouco mais que eu, porém continuei na espera da fusão de nossas almas e isso nunca aconteceu, você se tornou um espaço de minha existência na eternidade de minhas lembranças.

As notas dessa melodia ainda reverberam em minha mente e me lembram sempre, que a luz do sol que se faz presente, após o abrir do céu depois da chuva rala, aquece e a leva de novo as alturas redistribuindo em pingos, que mais parecem estrelas cadentes. 

Esses pingos são como a paixão que caminha dos sentidos para o coração no compasso invertido do fluxo sanguíneo, alimentada por profundas emoções essa chuva de estrelas que rasgam o manto do céu em direção a terra firme, tornando-se poeira, formam em sua caminhada rios de lágrimas (um lamento pelas vidas dissipadas) , formam também a neblina que molha teus cabelos e teu rosto, que agora vejo apenas na lembrança do teu olhar, refletido pela linda canção de um amor, nas águas passadas do tempo. 

Separados por uma ilha que se lançou ao mar, um recife de coral isolado em sua solidão, prosseguimos paro o oceano de sentimentos no imo de nossos corações, na certeza de um dia achar algo além da ilusão.


Esse texto do Felipe, entrou no meu coração, eu fechei meus olhos após ler, e pude imaginar cada frase que ele descreveu, como se eu fosse a contadora de histórias, a observadora... eu curti demais. Espero que vocês também.

Bom o Felipe tem alguns textos publicados no site Recanto das Letras, para curiar mais textos escritos por ele, vocês podem acessar aqui. Mas podem ter certeza que muito em breve teremos mais escritos dele, aliás este site tem muita gente boa, podem conferir.

Se você tem um texto, poesia, frases inspiradoras de sua autoria e queira dividir com o blog e os demais leitores, podem me enviar um e-mail, que irei postar com os devidos créditos. E-mail: diana.canaverde30@gmail.com. Assunto: Suas Escrituras.

Até a próxima, xero! 

14 comentários

  1. Olá, Diana.
    O texto é realmente bem bonito. Espero mesmo conferir mais escritos dele por aqui.
    Adorei a coluna.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de março. Serão três livros como prêmio, sendo dois autografados.

    ResponderExcluir
  2. Oi.

    O texto é mesmo lindo e obrigada por compartilhar conosco. Vou dar um conferida no site do autor e ler os outros textos dele. Continue trazendo mais textos como esse que eu vou adorar ler mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, pode deixar, vou trazer a cada 15 dias. Xero!

      Excluir
  3. Olá, tudo bem?
    Que texto lindo! Sempre que venho ao seu blog, saio mais encantada!
    Vou ir lá no site do autor para dar uma olhadinha haha
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ray, muito obrigada, fico extremamente feliz! Xero!

      Excluir
  4. Não conhecia esse escritor e po... ele arrasa!
    Continue trazendo textos lindos assim *-*
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Débora, ele arrasa né... obrigada, vou trazer sim. :D

      Excluir
  5. Olá, Diana.
    Realmente eu curti bastante o texto dele. É tão melancólico e leve, mas cheio de significado, adorei!

    ResponderExcluir
  6. Eu não sabia desse projeto e super gostei dele. Aliás, Felipe arrasou com esse pequeno texto, mas tão simbólico.
    Vou indicar seu projeto para amigos.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, muito obrigada indica sim, vou adorar conhecer novos textos. Xero!

      Excluir
  7. Oi Diana, tudo bem?

    Eu tenho uma paixão por textos que conseguem tocar um pedacinho da nossa alma e transmitir sentimentos pelas palavras. Ao ler o texto do Felipe fui inundada por coisas indescritíveis, fortes e arrasadoras. As metáforas das quais o autor faz uso são bem consistentes. Os pingos são realmente como paixão e é um olhar pode tornar-se arrasador. Adorei essa sua "coluna", uma ótima oportunidade para conhecer coisas maravilhosas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Dih!
    Confesso que não tenho o costume de ler textos na internet - exceto nos blogs que visito -, mas é um hábito que preciso desenvolver pois esse texto é ótimo!
    Foi um texto que, antes de mais nada, me deixou arrepiada, depois me deu uma sensação de que eu devo continuar tentando e nunca desistir de ser melhor e estar em um lugar melhor.
    Obrigada por isso.
    Beijos

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!