Resenha #335 - Hannah - Bruno Godoi


Título: Hannah
Autor(a): Bruno Godoi
Editora: Amazon
Páginas: 80
Nota: 5/5

**Por Verônica Nielsen**


Olá! Tudo bem com vocês?

Hoje trago mais uma vez, o projeto "O Escritor do Calendário" do autor Bruno Godoi, com o conto referente ao mês de Fevereiro, lembrando que o intuito do projeto é publicar 12 histórias diferentes, uma por mês.

É sempre bom reforçar para quem ler,  ao final da leitura dar as estrelinhas correspondentes sobre o quanto gostou da leitura e uma resenha, ou comentário com suas impressões na Amazon, pois isso ajuda e muito o autor, e caso queiram sugerir algum tema para um futuro conto, pode deixar nos comentários.

E vamos para a resenha!
Meu nome é Hannah, sou doutora em astrofísica, doutora em cosmologia, física teórica, coordenadora do projeto Uma Nova Esperança e criadora da Máquina da Vida; na Terra eu fui uma mãe ausente, uma mulher solitária e a cientista mais brilhante de meu povo, e precisei sair do planeta para encontrar uma forma de vida longe no espaço que me mostrou o verdadeiro sentido da nossa vida na Terra.
O mundo em que vivemos foi contaminado por um vírus causado pelo mosquito bem conhecido atualmente que é o Aedes Aegypti, porém ele está mais avançado do que nunca, e é o causador da Febre Lousion, uma doença totalmente destrutiva e mortal.
...uma doença sem precedentes causava uma destruição lenta, dolorida e total do corpo humano, transformando a pessoa numa espécie de criatura abissal, semelhante aos animais das fossas oceânicas. Apele endurecia em lâminas sobrepostas, criando escamas; o cérebro inchava até romper o crânio; cistos nodosos se formavam pela testa; a boca alargava até expor a raiz dos dentes; lábios endureciam, trincando e criando ondulações de queloides. O último estágio era o momento da morte, quando a vítima atingia o máximo de abertura da boca, morrendo como se estivesse rindo.
Devido à poluição e o calor, a única região brasileira que se tornou habitável foram a Amazônia e o Pantanal, porém não foi toda a população saudável que foi para lá, mais uma vez o egoísmo humano falou mais alto, e somente pessoas escolhidas a dedo puderam entrar.
Enquanto se isolavam, deixando milhões perecerem, trabalhavam dentro da fronteira na salvação do planeta. Matamos o mundo, deixamos pessoas morrer e nos salvamos com uma promessa de trazer o equilíbrio para todos. Irônico.
Hannah, como já foi citado acima, é uma cientista notória, tem uma personalidade marcante e prática, por muitas vezes se mostra fria e calculista, mais ao seu jeito torto ela se importa com toda a humanidade.

Em certo momento ela conhece outra cientista – Ingrid e sua equipe, e vê a possibilidade de exterminar a peste que invadiu um mundo, salvando quem ela ama e todos do planeta com um plano inteligente, porém totalmente arriscado: Uma viagem ao passado para alertar os cientistas sobre a catástrofe que estava por vir.
Só havia uma forma de salvar a Terra, levando Ingrid comigo. Reescrevi todo o projeto para apresentar ao mundo a nova missão: A Última Esperança.
Porém nada foi assim tão fácil como parecia ser, e erros estúpidos causaram danos gigantes.

Eu sei que o autor fez este conto em uma noite, e é incrível lê-lo e imaginar que um texto tão complexo e grandioso, mais que ao mesmo tempo é tão fluido e de fácil entendimento possa ter sido feito em tão pouco tempo. A cada desafio lançado o Bruno está mais confiante e quem o acompanha desde seus primeiros livros, consegue ver o grande amadurecimento da sua escrita, e ele está de parabéns.



A diagramação do livro, como é e-book, segue as regras estabelecidas pela Amazon, eu particularmente gosto muito da capa, por ela transmitir um empoderamento feminino e foi feita pela Graziele Maximiliano.

Hannah é uma ficção-cientifica aonde o futuro, não é algo inimaginável, pelo contrário. Afinal a evolução deste mosquitinho que visivelmente parece tão insignificante como o Aedes Aegypti, já ocorre atualmente, levando muitas pessoas a morte. E sua proliferação ocorre principalmente devido a atos humanos, o mosquito pode ser o causador da morte, mais o grande culpado é o ser humano, que mesmo sabendo das prevenções a serem tomadas, ignoram e permanecem acumulando lixos com águas paradas, um dos grandes fatores que auxiliam na criação deste inseto.  E o vizinho que se previne, muitas vezes pode ser o inocentemente contaminado.

Fora todo o desrespeito à preservação da natureza, que já nos afeta hoje e é fato que nos afetará cada vez mais. Eu fico muitas vezes pensando, em quantas e quantas vezes nos deparamos com noticias que no dia x o mundo acabará devido a um meteoro que cairá na Terra, mas se for parar para pensar, a derradeira para o fim ocorre todos os dias, quanto jogamos lixo nas ruas que vão de encontro ao rio, quando cortamos uma árvore, quando a pele de um animal indefeso é arrancado por pura vaidade, ou um ser vivo é extinto devido a caça, pelo puro prazer de matar. Nosso ar a cada dia que passa, se torna mais poluído, graças aos agentes tóxicos que jogados na atmosfera, e nossa água está acabando devido ao uso exagerado.

Os humanos são os grandes causadores da extinção da raça humana.

Obrigada a todos e até a próxima resenha!

20 comentários

  1. Oi, meninas!
    Curto viagens no tempo e fiquei bem interessada no conto, justamente por se tratar também de algo que vivemos.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Sorteio Literário de Carnaval
    Sorteio Três Anos de Historiar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu

      Até dia 24/03 o conto estará disponível lá, então aproveita ;)

      Excluir
  2. Que resenha linda. 😍 Hannah ficou muito feliz, lá do espaço ela tá vendo tudo :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foi suada hahahaha, bom mesmo você gostar 😂😂😂❤❤❤

      Excluir
  3. Oi, Di! Amei a sinopse do livro, porque é muito real, daquelas que a gente faz pensar e reavaliar nossas ações, já que vivemos em grande catástrofe por causa de várias doenças, imagina se um dia isso realmente acontece? Não consigo acreditar que em uma noite o autor tenha consigo fazer uma história tão incrível.
    Com certeza lerei!
    Beijo, http://leitoraencantada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Miriã

      O conto realmente está incrível, espero que goste.

      Bjoss

      Excluir
  4. Oie amore,
    Que capa mais linda e título ainda mais instigante, já anotei a dica só por isso, mas, ao ler sua resenha, fiquei ainda mais curiosa pela leitura. Me instigou conferir esse conto que o autor fez em uma única noite.
    Dica anotada!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee, espero que goste Grazi.

      Fico feliz que tenha gostado da resenha.

      Bjocas

      Excluir
  5. Olá, tudo bem?
    Adorei o título, mas a capa não me atraiu muito.
    Fiquei bem curiosa depois de ler a sua resenha, dica anotada!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, que bom que você gostou da resenha, espero que a leitura lhe agrade também.

      Bjoss

      Excluir
  6. Não conhecia o projeto e nem o conto, adorei ler a resenha dele. Me fez pensar em algumas situações que vemos hoje em dia e que no futuro serão fatais, a maior verdade da resenha foi dizer "Os humanos são os grandes causadores da extinção da raça humana." Eu tb acredito nisso.
    Vou procurar o conto, me interessei mesmo em ler. Excelente resenha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Angel

      Puxa que bom que você gostou, o conto narra exatamente isso, como erros estúpidos da humanidade, podem causar um impacto gigante na vida de todos.

      Espero que você goste do conto.

      Bjos

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?

    Pela sua apresentação, de certo modo, me parece que o autor fez uma crítica a atual situação desse nosso mundo, e da ignorância do homem que continua a destruir o que nos é tão precioso e necessário, a natureza e o equilíbrio nela.

    Gostei da premissa, dica a anotada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Ana

      Você conseguiu captar bem a idéia do conto, e lendo-o você poderá ver que ele ainda tem muito mais a oferecer.

      Bjosss

      Excluir
  8. Pela capa não damos nada para esse livro, mas ao ler a premissa e sua resenha fiquei totalmente curiosa e instigada.
    Me lembrou muito aquela série 3% que somente os escolhidos vão para o determinado lugar...
    Adorei sua resenha
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Barbara
      No contexto de somente ter os escolhidos sim, mas o conto é totalmente diferente da série. Na verdade o que ocorre, é que eles escolhem pessoas que tenham algum diferencial, em poder politico, em formação acadêmica, etc. E os humildes ficam na linha de frente a merce do vírus.

      Fico feliz que tenha gostado da resenha.

      Bjoss

      Excluir
  9. Olá!

    Estou acompanhando os contos do Bruno aqui no blog e cada dia mais me surpreendo com a escrita maravilhosa dele! Espero que ele cumpra o desafio e que o próximo conto seja tão bom quanto este!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Kamila

      Realmente a escrita dele amadureceu muito de uns tempos para cá. Eu também espero que ele cumpra o desafio, caso contrário será um autor morto!! hahahaha

      Bjosss

      Excluir
  10. Veronica, eu não conhecia o conto, mas gosto muito do gênero.
    Gostei dele utilizar um mosquito que conhecemos e nos dá vários problemas já.
    A premissa é bem interessante e eu daria uma chance sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Déborah

      Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que goste da leitura.

      Bjosss

      Excluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!