Resenha #309 - O Lago Negro - Juliana Daglio


Título: O Lago Negro
Autor(a): Juliana Daglio
Editora: Arwen
Páginas: 368
Nota: 4/5

A última coisa que eu vi foram seus olhos apagados desaparecerem nas águas raivosas do Lago Negro.
Olá pessoas, tudo bem?

Gostaria de começar essa resenha dizendo o quanto eu ansiava por esse livro. Desde que ele foi lançado eu o queria... principalmente porque sou apaixonada por essa capa linda... sim sou movida 90% por uma capa. Já perdi história fascinantes por não ter escolhido um livro exatamente por causa da capa. Mas, jamais me decepcionei com livros escolhidos pelas capas. Soou meio confuso, mas eu sou louca então vale um desconto.

Eu tive a oportunidade maravilhosa de conhecer a autora  em um evento literário promovidos por ela, e foi um máximo e foi neste evento que finalmente adquiri essa obra e mesmo ainda sem lê-lo, na bienal adquiri o segundo livro. Mas vamos a história.

Verônica é uma menina  que passou por maus bocados na infância, infelizmente ela perdeu o seu pai em um acidente. Ela sobreviveu. Ela foi salva por um garoto. Depois disso, Verônica nunca mais foi mesma, ela não se lembra de nada do que aconteceu. Ela se fechou, passou a ter alucinações e histórias começaram a surgir em sua mente e ela começou a escrever. 

Eu sabia que estava sonhando, mas isso não tirava minha angústia.

Verônica passou no vestibular e foi para Lagoana, uma pequena cidade nebulosa, escura, úmida e habitada por pessoas nada amigáveis. Mas são pessoas marcadas pela perda, o que será que eles perderam que os tornaram assim tão frios e completamente contra a qualquer forasteiro que chegue na cidade?

Verônica, vê nessa cidade a oportunidade para continuar com a escrita de seu livro. Pois os seus personagens praticamente gritam para serem escritos e nesta cidade a sua inspiração flui de uma maneira surpreendente até para ela. 

Claro que ela percebe que coisas estranhas aconteceram e que aquelas pessoas escondiam coisas, mas ela estava disposta a viver ali pelo tempo da faculdade e a construção de seu livro.

O vento gelado e a névoa úmida deixavam seu toque em meu rosto. Dentro de minha mente, havia uma linda e desastrosa tempestade, derrubando todos os alicerces que mantiveram em pé as estruturas que um dia eu chamei de vida.

Coisas estranhas aconteceram. Um assassinato ocorreu na cidade. Verônica ficou completamente mexida, coisas começaram a se revelar. Desconfianças começaram a aparecer e ela estava envolvida no meio daquilo tudo, mesmo sem saber como foi parar ali. O que aconteceu nesta cidade? Quais são os seus mistérios? O que Verônica tem haver com tudo isso? Não são apenas coincidências... Por trás há muitas mentiras, quebra de confiança e muitos conflitos. A mente pode pregar peças, mas será que tudo é apenas imaginação, ou as coisas realmente aconteceram? Só lendo para saber.

Gente eu gostei muito dessa história. E digo a vocês que, escrever um livro dentro de outro não é para qualquer um e Juliana lançou-se ao desafio e foi feliz em sua escolha, embora eu tenha gostado bem mais do livro que "Verônica" tem escrito.



Durante a leitura eu esperava um pouco mais de desenvolvimento, de encaixe. As coisas foram acontecendo de um modo gradativo, mas chegando perto do final eu me senti confusa, tendo que voltar algumas páginas, porque algumas coisas ficaram no ar e eu não senti a explicação que era precisa em determinadas cenas, acredito que essas partes ficaram em aberto, para o gancho do próximo livro. Fora isso a história fluiu bem, ainda mais quando tinha capítulos do livro que a Verônica escrevia. 

Juliana dividiu o livro em 3 partes e essas partes foram essenciais para entendimento maior da história. Achei Verônica bem desenvolvida e mesmo com seus pensamentos contraditórios, vi força e vontade de vencer os seus fantasmas. Inicialmente achei ela bem fraquinha, mesmo compreendendo o que ela passou, mas depois vi seu crescimento e ela melhorou durante todo o enredo.

Temos um personagem secundário e que ganhou uma forte participação no livro, que é o Liam. Eu achei ele bem misterioso e que sabia demais. Depois percebi, que o que ele sabia não era tanto assim, mas foi essencial que ele participasse de todo enredo, porque ele deu a força que a nossa personagem precisava em momentos cruciais da história. 

O enredo se desenvolve bem, mas achei que faltou mais explicação para os mistérios que ronda na cidade e com a personagem. Fiquei com algumas perguntas na mente, não senti que me atrapalhou, mas gostaria que elas tivessem sido respondidas neste livro. Para vocês terem uma ideia, quase enlouqueci com tantos mistérios, acho que Juliana fez de propósito, pra prender o leitor na história e não querer largar até o fim. Muita maldade rs.



A diagramação do livro está linda demais. A começar por esta capa maravilhosa e totalmente condizente com o que a história propõe. As letras são em tamanho médio e totalmente confortáveis a leitura. Os capítulos estão bem divididos  e com um desenho incrível dos personagens  principais e até mesmo quando se trata do capítulos do livro que a Verônica escreve e isso ajuda e muito para uma boa percepção do que está lendo. As folhas são amareladas  e a leitura de fácil entendimento. A editora Arwen, fez um trabalho incrível com esta obra.

Como o livro foi narrado em primeira pessoa, temos uma dimensão dos pensamentos de Verônica e conseguimos identificar seus anseios, frustrações, medos e toda a sua desconfiança. Quando não sabemos em quem confiar ficamos perdidos, nada do que se é dito é levado em crédito. nada do que se é medido, é levado em consideração e muitas vezes vi a Verônica, perdida nesse mundo real e imaginário e muitas vezes quis estar lá para dizer que acreditava nela e que sabia que não era paranoia.

Eu recomendo demais esta leitura, para quem gosta de mistério e algo sombrio. Não temos um romance meloso, aliás quase não temos romance aqui, para quem curte um enredo assim, pode se aventurar. Aliás é mais uma obra nacional de ótima qualidade e que encheram os meus olhos, Claro que ano que vem, que está logo ali, Submersão, será uma de minhas primeiras leituras.

Caminhei dois passos com os braços encolhidos, mesmo que não estivesse sentindo frio; de alguma forma, minha alma estava. Em meio às curvas do meu cérebro, buracos se alargavam na estrada e tomavam conta de todo o caminho. Minhas dúvidas, paranoias, emergindo com o bater dos dias que insistiam em amanhecer cada vez mais confusos.

Xero no coração de todos!!!



3 comentários

  1. Oi, Di! Fico muito feliz que tenha gostado do livro. Infelizmente, esse gênero não é meu favorito, por isso eu nunca me sinto muito a vontade para ler, mas adorei conhecer sua opinião sobre a história!
    Beijo, http://leitoraencantada.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Minha querida! Saudades de ganhar um zero pessoalmente, hein! hahahahahahahahhahah
    Muito feliz que mergulhou no Lago Negro finalmente! Espero que na próxima leitura possa saciar suas curiosidades, mas já adianto que tem mais mistérios vindo por aí.
    Em Fevereiro tem Profundezas Sombrias! 💜
    Obrigada pela resenha, sua linda!!!

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!