Resenha #306 - O Garoto do Cachecol Vermelho - Ana Beatriz Brandão


Título: O Garoto do Cachecol Vermelho
Autor (a): Ana Beatriz Brandão
Editora: Verus
Páginas: 294
Nota: 4/5

A sensação  de saudade de algo que nunca chegou  a ser meu. Não sabia o que era, mas aquilo me perturbava havia semanas, como se me preparasse para aluma coisa que estava por vir. A antecipação de um vazio futuro.
Olá pessoas!!!

Estava com muitas saudades de trazer resenhas para vocês. Espero que isso não se prolongue, porque é tão difícil querer algo e em determinados momentos, não poder fazer. Mas aqui estou quebrando um jejum de quase um mês.  

Eu sempre tive vontade de conhecer a escrita da fofíssima Ana, porém demorei muito pra adquirir um de seus livros. Mas a bienal foi certeira, porque comprei dois, mas este eu escolhi para começar. Mas a fama dela de ser uma insana a precede, mesmo escrevendo romances rs. 

Eu não sabia o que esperar da leitura. Eu fui totalmente as cegas. Fui ler com base em alguns elogios e movida por essa capa linda. Quando comecei a ler, simplesmente não consegui parar, mesmo com a protagonista intragável que ela criou. 

Melissa está na faculdade, tem uma vida de glamour, adora as festas, é popular, vive cercada de amigos, mas tem uma mãe ausente e mesmo que ela não confesse, isso cria um peso imenso dentro dela, fazendo com que ela crie um escudo e viva uma vida superficial, carregada de rótulos e preconceito.

[...] eu sempre conseguia o que queria. Não sabia o que era um não.

Ela é bem egoísta, só pensa em seu bem estar, vive de status e de aparências. Melissa tem um único sonho. Ir para Julliard, uma das melhores escolas de balé do mundo e ela é capaz de fazer o que for preciso para chegar lá. Desde que se entende por gente ama dançar balé e é uma das coisas que realmente ela sabe fazer bem e estudar nesta faculdade é apenas o caminho para chegar onde ela deseja. 

Sua mãe é medica e além do seu trabalho habitual no hospital, ela ainda viaja para ajudar outras pessoas mais necessitadas gratuitamente pelo Brasil inteiro. Mas sua ausência por conta de seu trabalho solidário, transformou Melissa em um ser humano complexo, solitário e muito egoísta. Porque ela não enxerga o próximo, ela não tem compaixão e ela é extremamente preconceituosa. 

Mas  ela não sabia que as coisas poderiam mudar, quando na madrugada de ano novo, ela conhece um rapaz. Um rapaz comum, que fazia sua arte, que ela grosseiramente apelidou de vândalo, mas que tinha um charme peculiar. Ele usava um vivo cachecol vermelho. Aquilo chamou sua atenção, mas a sua raiva gratuita por ele estar "destruindo" um patrimônio da cidade com suas pinturas, fez com que ela discutisse com ele.

Melissa achava que nunca mais fosse ver o tal carinha do cachecol vermelho, até as aulas na faculdade começarem e ela topar justamente com ele. Ela não acreditou que aquilo estava acontecendo e o tratou  com mais grosserias. Mas notou o cachecol vermelho apesar da imensa raiva que sentiu.

Entre desentendimentos e o bom coração de nosso garoto, eles terminaram se aproximando e um acordo foi selado. Daniel, o garoto do cachecol vermelho, tinha dois meses para mudar a vida de Melissa. Será que ele iria conseguir? Só lendo para descobrir. 

Ana é uma garota de 16 anos... uma prodígio, para ser bem sincera. Ela tem o dom da escrita e isso fica bem evidente  durante toda a leitura do livro. 

Eu gostei muito de ler, adorei a mensagem que Ana nos deixou neste enredo. As pessoas por mais egoístas que sejam tem seu lado bom ou ruim, mas  podem escolher viver assim ou aflorar seu lado bom e reconhecer que a vida é mais do que uma coisa supérflua.  

Podemos nos tornar pessoas melhores, o caminho pode ser árduo, mas o resultado é compensador. Muitas vezes o orgulho nos impede de ver que existe outros caminhos que podemos percorrer e trilhar, mas  se dermos uma chance, podemos perceber que as pessoas tem muito mais a oferecer, precisam apenas de alguém que acredite nelas e de uma oportunidade. 

Nossa me senti envolvida com a cada página, mesmo quando eu queria dar uns tapas em Melissa e fazer com que ela acordasse para a vida. Tinha coisas que ela fazia, que seu egoísmo era tão intenso que chegava a me dar enjoos, sério. Que menina insuportável. Não sei se eu teria tanta paciência. De verdade. 

Daniel, o que falar desse mocinho encantador? Do quanto ele é generoso. De como ele ama as pessoas. Do quanto o bem estar delas o faz bem. Ele é o tipo de pessoa que você se encanta e admira sem precisar conhecer profundamente. Sua luz é tão intensa que transborda amor em seu coração e você quer sorrir sem medo. Cara eu fiquei completamente apaixonada por este personagem. E não só por ele ser um lindo por fora, mas principalmente por ser incrível por dentro.  Eu conheço pouquíssimas pessoas assim com esse coração grande e cheio de bondade que emana paz e alegria aonde chega. 

Gostei muito como Ana desenvolveu os personagens, como ela criou um enredo rico que fez transbordar em mim, principalmente nas partes finais do livro e foi ai que entendi porque ganhei uma caixa de lencinhos no dia do lançamento na bienal. Chorei em dois momentos, achei que isso não fosse acontecer, mas não consegui segurar, quando percebi elas rolavam em meu rosto. Porque os acontecimentos foram intensos e os personagens pareciam tão reais no que estavam vivendo, que é como se eu os conhecesse e tivesse vivendo lá com eles. 



A diagramação do livro está simples, mas com um trabalho muito bonito. A arte da capa está linda. Fiquei toda apaixonadinha. As páginas são amareladas, a fonte de um tamanho um pouco menor, mas que não atrapalha a leitura. Encontrei raros erros de revisão. A narrativa é em primeira pessoa, então dá para conhecer bem os pensamentos egoístas da Melissa. Quero deixar os meus parabéns para a Verus em apoiar a literatura nacional, porque temos talentos incríveis, prova disso o livro lindo da Ana. 

Eu amei a leitura, percebi que a nossa prodígio realizou algumas pesquisas, além de um trabalho social lindo e admirável que ela se propôs, afinal ela fala da ABRELA  (Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica). No enredo conhecemos (no meu caso) essa doença, que faz com que o corpo vai se paralisando. O cérebro funciona perfeitamente bem, mas essas informações não vão para o corpo. Ana não traz uma profundidade sobre o assunto, mas fala sobre no decorrer do livro e o mais importante é que parte das vendas do livro é revertido para doação para o projeto ABRELA. Para saber mais sobre este projeto lindo acessem: http://www.abrela.org.br/

Essa leitura foi muito especial, porque ela me fez refletir bastante e me fez olhar para o meu próximo bem mais do que eu já fazia. As vezes perdemos tempo nos lamentando e não olhamos para o nosso lado, onde existe pessoas, que dariam de tudo para ter um terço da vida que temos. Claro que não dá para generalizar tudo, mas o fato de fazer um pouco já é um começo. Tente procurar algo que possa fazer para os outros, faça o bem sem olhar a quem, isso traz engradecimento e alivia a alma, podem ter certeza. 

Eu recomendo essa leitura simples e gratificante. Eu recomendo porque mudanças ela vem de dentro e muitas vezes a pessoa precisa de alguém para olhar por ela e ajudá-la, as vezes o grito de socorro, vem do silêncio. Observe. Esteja atento. E jamais negue auxilio para alguém, mesmo que você ache que a pessoa não mereça. Depois que li este livro, a minha falta de paciência com Melissa se tornou insignificante e me fez ver, o quanto é mais fácil desistir e deixar pra lá. São poucas  pessoas que insistem, passei a olhar melhor e persistir. Isso fez um bem tão grande que me sinto renovada. São leituras assim que traz enriquecimento para dentro de nós. Leiam!

Então era isso? Era assim que iria terminar? A última lembrança que eu teria dele seria aquela? Encostei a testa na parede, colocando as mãos na cabeça enquanto tentava acalmar a respiração.

Espero que tenham curtido, fico muito feliz em fazer essa resenha, de trazer um pouco da história e juro que me segurei para não sair spoilers rs, porque não canso de falar dessa história. Foi uma leitura maravilhosa. Gostei muito!

Xero!!!!

4 comentários

  1. Oi, Di!
    Eu quero muito ler esse livro, mas sei que vou penar por conta da Melissa. Boa parte do livro irei odiá-la, pode ter certeza.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de seis anos de Caverna Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi, Di! Eu também amei a leitura desse livro, mesmo com toda a chatice da Mel, que infelizmente fazia eu querer abandonar o livro o tempo inteiro. Mas fora isso, eu simplesmente fiquei apaixonada pelo Dani, pela capa do livro e claro, chorei horrores com a história quando seguia para o final. Amei!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Que resenha linda, anjinha! Fiquei muito feliz em saber que a história do nosso vândalo e nossa bailarina quase insuportável, tocou seu coração. Obrigada pelo carinho e pelas lindas palavras! <3

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!