Resenha #304 - Algo de Infinito - Vivian Lopes


Título: Algo de Infinito
Autor(a): Vivian Lopes
Editora: Amazon
Páginas: 475
Nota: 5/5
Favorito!

Era como um quarto escuro. Não havia janelas. Não havia luz elétrica. O piso era frio e o ar úmido. 

Que leitura foi essa que eu tive gente! Eu demorei um pouco mais para ler, porque se trata de e-book e pra mim é mais complicado de ler, porque leio no celular e o meu tempo já anda meio escasso, mas eu fui firme.  

Inicialmente a leitura me pareceu um pouco parada e até arrastada, mas digo que só bem no inicio, porque depois a história me pegou de jeito, que chegou em um momento que eu simplesmente não conseguia parar. A exemplo disso é que fui almoçar sozinha umas duas vezes, porque precisava continuar a ler, porque os personagens martelavam em minha mente ávidos a me mostrarem mais de suas histórias. 

A história é contada em terceira pessoa, então dá pra você ter uma amplitude de todos os cenários e como os personagens vão reagindo em cada momento. O mais incrível dessa história é como as coisas vão se encaixando e vão se interligando. Eu não consegui me afeiçoar em apenas um personagem. Todos foram tão bem escritos e cativantes cada um em sua personalidade, que amei praticamente todos. 

Me senti como se estivesse lá vivendo com eles. Eles pareciam tão reais, tão palpáveis. Com problemas familiares. Com soluções. Pensamentos em seu futuro. Amizades, confiança, amor... que fiquei com a sensação tão boa dentro de mim, que sinceramente me senti bem leve quando finalizei a leitura e juro, foi tudo maravilhoso, mesmo com uma temática mais densa. 

Uma família marcada pela perda de uma filha. Um falecimento totalmente inesperado, que quebrou a todos em vários pedaços. 

Alice, não demonstrou nenhuma tristeza, não derramou nenhuma lágrima. Ela tinha uma raiva dentro de si. Acusou a irmã de ser egoísta. Ela queria ir para bem longe, onde ninguém a conhecesse. Onde ninguém soubesse quem ela era. Ela precisava recomeçar. 

-Ela está morta, é simples assim. - concluiu Alice, ainda olhando nos olhos do irmão e levantando-se em seguida.

Matthew, se sentiu perdido. Confuso, Quando soube de Samantha. A culpa começou a consumi-lo, porque ele poderia ter evitado. Quando ele foi a sua casa naquele dia, ele precisava contar o que iria acontecer. Ele precisava que ela não fosse ao baile. Mas, jamais imaginou que não contando, tudo isso poderia acontecer. Ele poderia ter evitado, mas não o fez. Isso o consome a cada dia. Isso mexe com ele a cada dia. Mesmo depois de tanto tempo. A lembrança ainda é vivida em sua mente. 

Precisava sair dali, precisava de ar, precisava voltar ao tempo até aquele 14 de Outubro. Um vento gelado bateu em seu rosto e preencheu os seus pulmões, comprovando que, ao contrário do que tanto desejava, aquilo não era um pesadelo e ele não acordaria um mês antes. O vento bateu mais forte e ele foi tomado por uma súbita vontade de chorar.

O tempo passou  e as pessoas foram seguindo em frente, principalmente a família de Alice. Agora ela era caloura em Yale, optou em ir para lá, por ser mais perto de sua cidade natal. Ela estava fazendo o curso de seus sonhos, biologia marinha. Matthew, estava no quinto período de Artes em Yale,  ele sempre amou a pintura e as formas. Quando soube que um dos pintores que ele mais admirava dava aulas lá, não pensou duas vezes em optar a estudar lá. 

Alice estava se sentindo bem em Yale. Lá ela conheceu a sua colega de quarto. Fez novas amizades, começou a trabalhar em um café super fofo e as coisas estavam caminhando. Definitivamente aquele momento era somente dela, sem a sombra de sua irmã.

Matthew, era um dos melhores alunos de sua turma de artes. Porque ele fazia tudo com muito amor e dedicação. Pintar para ele não era somente uma arte, era trazer vida. Luz. Paz em seu coração. Quando ele estava trabalhando em uma tela, sua mente ficava fazia e aquilo o deixava bem.

Os caminhos de Alice e Matthew se cruzaram em uma destas festas que aconteciam na faculdade. A amizade entre eles foi instantânea. Ele se deram muito bem. A afinidade entre os dois foi uma delícia de se ler. Junto a eles, entraram os amigos de Matthew. Principalmente Jenkinson, que amava a Sophie Kinsella, para quem é fã da autora, fica a dica para apreciar essa leitura também, pois fala-se muito nela e o Jenks, fala muito nela e faz as outras pessoas lerem também, parecendo nós leitores viciados em leitura.

Muita coisa acontece. Percebi que para falar de artes,  a Vivian deu uma boa pesquisada, ela não falou de forma infundada e entendia muito bem do que estava falando. Quando ela descrevia em detalhes das obras que Matthew pintava, eu conseguia visualizar na minha mente, mas juro que amaria ver essas obras em uma tela de verdade. 

Quando ela falou da história de Van Gogh, eu fiquei impressionada. Porque conheço ele só de falar, mas nunca me aprofundei sobre o assunto e quando Matthew fala de sua obra de arte favorita dele "Noite Estrelada sobre o Ródano", eu fico muito impressionada com a sua visão do quadro e claro como uma pessoa curiosa que sou, fui atrás para tentar chegar a sua visão sobre o quadro. Eu fiquei paralisada, porque o observando você pode ter várias perspectivas sobre ele, e pode achar várias definições, porque ele é tão presente, parece tão vivo, que você sente como se estivesse lá dentro, observando e namorando a paisagem. Sem palavras para descrever, o quanto amei as partes em que Matthew falava desse grande artista. 

Noite Estrelada Sobre o Ródano - Van Gogh

Eu poderia ficar falando e falando muito, mas posso acabar soltando spoilers e eu não quero isso. O que posso dizer é que amei a história. Amei a forma como Vivian descreveu os personagens com seus defeitos e qualidades. Como alguns eram mais fortes e outros tinham mais dificuldades para seguir em frente. Em como a confiança pode ser conquistada, mas quando quebrada pode ser fatal. Como uma amizade pode ser intensa e verdadeira e  mesmo sendo quebrada pode ser reparada. Como as relações familiares são fortes e intensas. Como podemos achar um refúgio neles. Em como a união pode ser o centro de tudo. E como o amor... supera qualquer dificuldade.

Essa história mexeu comigo de uma forma que eu jamais pensei que fosse conseguir. Ela me inspirou e me fez refletir. Me colocou em um lugar que eu precisava estar em meu íntimo e que eu recusava ir. Me fez perceber as pequenas coisas e como eu posso valoriza-las mais do que já faço atualmente e por mais que seja difícil, porque somos seres humanos. Temos que acima de tudo nos valorizar, para poder olhar para o lado e valorizar alguém.

Não há nada melhor e mais gratificante do que aceitar a si mesmo, do que sentir-se confortável em sua própria pele, do que ser quem você realmente é e não quem você pensa que deve ser ou quem os outros querem que você seja. Há uma beleza singela, porém intensa, em simplesmente ser você mesmo.

Não tenho como falar da diagramação, porque li em e-book, mas posso dizer que a escrita de Vivian neste livro está mais madura e com mais riqueza de detalhes, bem do jeito que eu gosto. Encontrei alguns errinhos de revisão. Nada que atrapalhe a leitura é claro. O espaçamento estava muito bom e o inicio dos capítulos estavam harmônicos com seus títulos condizentes. 

Eu recomendo demais a leitura, por tudo isso que citei na resenha e muito mais. Aqui não encontramos apenas uma história. Aqui encontramos vidas. Frases. Sentimentos. Confiança. Intensidade. Podemos compartilhar aqui de vários sentimentos, eu compartilhei. Lágrimas rolaram e eu acho que é um dos melhores livros dessa temática que li neste ano e o melhor de tudo, porque ele é nacional. 

Obrigada Vivian, por me apresentar essa história linda, simples, intensa e que me encheu os olhos e que me levou para uma viagem no mundo das artes e do amor. Quando se é verdadeiro, nada mais importa.

Sabe o que espero uma vez que começo a ter esperança, espero que a família seja para você o que a natureza é para mim, os montes de terra, a grama, o trigo amarelo, os camponeses. Ou seja, que você encontre no seu amor pelas pessoas algo não só pelo que trabalhar, mas algo que te console e que renove suas forças quando você precisar.

Desejo a todos uma excelente semana e que busquem realizar seus sonhos. Valorizem-se mais... e busquem seus momentos de felicidades. Xero!

2 comentários

  1. Oi, Di!
    Menina, realmente você gostou desse livro hein. Fiquei bastante curiosa, lendo sua resenha.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi!! Eu amei sua resenha e eu iria julgar o livro pela capa se não a tivesse lido até o final. Gostei da forma como o livro te fez sentir, acho que irei sentir o mesmo assim que lê-lo. Não vejo a hora!
    Beijo, Leitora Encantada

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!