Resenha #251 - Mar da Tranquilidade - Katja Millay


Título: Mar de Tranquilidade
Autora: Katja Millay 
Editora: Arqueiro
Páginas: 368

*Resenha por S.M.*


Olá, pessoa, tudo bem? 

Bom, hoje irei falar sobre um livro que me deixou encantada, mas em certos momentos, triste. Triste de uma maneira positiva, pois é uma leitura comovente e muito, muito intensa. É um romance intenso e rico em construção de amizade, companheirismo e amor. Não é sobre sexo, mas sobre o amor, diga-se de passagem. 

Nastya é uma garota de 17 anos que resolveu não falar mais com ninguém após sofrer um trauma terrível em sua vida. Para ela, se calar foi mais fácil do que enfrentar o mundo e as consequências dele. 

A garota se muda de cidade e está determinada a manter seu passado bem longe das pessoas e seu jeito inusitado as mantém bem distantes dela. E é assim que ela gosta ou pelo menos gostaria que fosse. 

Na escola, um garoto chamado Drew passa a querer ter algo com ela, porém todos pensam que ela não fala por ter uma deficiência. Mesmo assim, esse garoto passa a ir atrás dela e Nastya acaba se tornando uma espécie de colega dele.

Só ele fala, para deixar bem claro aqui. mas Drew não será nada mais do que um amigo, um grande e verdadeiro amigo. É lindo de viver essa transformação dos personagens. Bom...



Josh é um garoto com 17 anos e sua vida nunca foi fácil, sempre perde alguém que ama e é tão antissocial quanto a garota. Seus mundos se cruzam quando Nastya vai se esconder na escola e o vê sentado em um canto no pátio. Ninguém o incomoda, pois todos sabem que chegar perto de Josh trará má sorte. Só que a garota o olha e fica intrigada do porque ninguém chega perto dele. E isso a faz ficar inexplicavelmente atraída por ele. 

De início os dois não conseguem se comunicar, haja vista que Nastya não fala, mais ao longo do enredo, Josh passa a suportar a conviver com a garota que sempre vai à garagem da casa dele e fica lá por horas sem abrir a boca. O que no começo era um incômodo, ao longo do tempo se tornou algo confortável. 

Ela não fazia perguntas e Josh a deixava ficar lá com ele. Apenas o observando a trabalhar. Josh é carpinteiro, faz seus móveis e os vende, não porque precisa de grana, mas porque precisa continuar aquilo que seu pai lhe ensinou desde pequeno. Nastya observa tudo e de repente...

-Por que você tem tantas serras? 

Juro, se fosse eu a conviver com uma pessoa que não fala e de repente, assim do  nada ela me vem com essa pergunta? Paraliso na hora. Mas não foi assim com Josh. Ele simplesmente conversou como se ela não ficasse horas e horas ali há meses sem abrir a boca. Porém, após passado o susto ele perguntou:

-Quem mais sabe que você fala?
-Ninguém.
-Você  falava antes?
-Sim
-E  vai me dizer porque fez esse voto de silêncio?
-Não.

Nãããoooo? Como assim?

Bom, a partir desse momento, a amizade dos dois vai se tornando em  algo mais sólido, porém não pense que essa garota irá contar seu passado assim à toa. Há muita água para rolar debaixo dessa ponte. E confesso: a cada página virada eu me angustiava mais para saber o tal segredo de Nastya. Eita garota calada. Sim, mesmo após soltar algumas frases, não pensem que ela desembestou a falar. Isso continuava entre os dois. E somente de vez em quando. Garota difícil. 

A garota tem medo de tudo, não confia em ninguém, embora tenha o amor da sua família, está sempre se escondendo atrás de roupas curtas e vulgares. Essa não é ela. E onde foi parar a verdadeira Nastya? 

Aliás, há um segredo bem difícil de ser descoberto...

A atração fica inegável entre Josh e Nastya, mais a garota vive  escondendo seus sentimentos. Ela não quer amar, diz que o amor nunca vem de graça, as pessoas sempre querem algo. 

-As pessoas gostam de dizer que o amor é incondicional, mas isso não é verdade. Sempre vem acompanhado de uma expectativa. Todo mundo quer algo em troca.

Bom, aos poucos, Josh vai derrubando as muralhas que Nastya construiu ao longo desses dois últimos anos, afinal, ela sofreu muito e precisará aprender a confiar nas pessoas que a amam. Ela precisa perceber que sim, o amor pode ser benigno e nem sempre pede algo em troca. Estamos nesse mundo para aprender. Perdas são difíceis de aceitar, mas porque viver trancado em seu próprio mundo, tendo ele em  preto e branco se podemos ter a beleza das cores? 



Nem sempre é fácil confiar nas pessoas, mais viver trancada em nosso próprio mundo não nos aliviará em nada. Às vezes o que que precisamos é encontrar alguém que nos ouça com o coração, apenas com o coração. 

Se você gosta de ler romances com personagens com certo grau de complexidade, irá amar Mar da Tranquilidade. Pois além de ser uma linda história, é um romance sensível e de uma poesia fantástica. 

Eu sou suspeita para falar desse livro, pois me cativou logo nas primeiras páginas. Se tornou um dos meus favoritos de 2016. 

Quantas estrelas darei? 5, claro. 

Beijos e até a próxima. Ah, leiam o livro. Deem essa chance para Mar de Tranquilidade. 

S. M.


9 comentários

  1. Oi Diana!
    Desde que fui marcada em uma TAG, há muuuuito tempo atrás, que venho querendo ler esse livro! Adorei a premissa dele. Sua resenha me deixou com mais vontade de ler!
    Eu adorei o seu cantinho, viu.
    É a minha primeira visita, e já gostei do que vi.
    Espero te ver lá no meu cantinho tb!

    Beijos!
    Fabi Carvalhais
    Pausa Para Pitacos | Participe do TOP COMENTARISTA | Promoção PQ SIM!

    ResponderExcluir
  2. Olá Diana, adorei a resenha...o enredo parece ser super fofo. Adquiri essa obra recentemente através de uma troca e estou louca pra ler, ainda mais depois de conferir suas considerações.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi, como vai? Acho que sua resenha cativou meu coração! Tento evitar ao máximo livros com personagens com certo grau de complexidade porque sempre acabo me envolvendo demais e chorando horrores durante a leitura, mas com essa resenha acabei me interessando e vou procurar ler.
    Além disso, acho que o título do livro tem tudo a ver com o enredo da história.
    Ficou perfeito!
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada. Leia e me diga depois o que achou dele.

      Excluir
  4. Eu entendo um pouco (bem pouco) de trauma e também fiquei sem falar por determinado tempo (coisa de 2 semanas), mas é praticamente impossível não me comunicar. Eu falo ate demais!... Nem imagino passar meses, anos sem dizer uma besteirinha...! Achei bacana que o livro apesar de ter personagens adolescentes, parece bem maduro, tratando de amor e amizade de um jeito mais analítico. Gostei mesmo! beijos!

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros que me deixam tristes por serem comoventes, e isso só me fez ficar mais interessada nesse. Estou de olho nele há tempos, desde que foi lançado, já que me apaixonei instantaneamente pela capa. Além disso, amo quando os personagens têm mais complexidade, é outro motivo para eu não deixar de ler. Espero ter a oportunidade de fazer isso logo!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Amo romances leves e bem sensiveis e esse parece ser bem assim pelo que li na sua resenha. Ainda não tinha lido nenhuma resenha dele e curti muito a história, a capa é linda e as suas fotos ficaram lindas. Anotei a dica com certeza e espero lê-lo em breve.

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá, estou louca atrás de uma promoção desse livro para ler, muita gente com críticas pessoas, as palavras chaves para me atrair: sensível e poético! Amo livros assim, são sempre recheados de lágrimas e sorrisos.
    Quero muito ler!!
    Beijos e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!