Resenha #229 - As Melhores Histórias da Mitologia Chinesa - Carmen Seganfredo

Olá, tudo bem? Talvez muitos não saibam que eu AMO mitologia, entretanto, essa é a primeira vez que faço resenha de um livro com mitologia pura e não uma história que envolve o tema como acontece em Starlin (resenha do livro 1 aqui e livro 2 aqui). E ainda esse ano, espero trazer mais resenhas desse tipo para vocês.


Título: As Melhores Histórias da Mitologia Chinesa
Autora: Carmen Seganfredo
Editora: LP&M Editores
Páginas: 256
Livro adquirido pela resenhista
Classificação: 3.0
Trecho da Introdução:
O livro que você tem em mãos contém, além de fascinantes e misteriosas aventuras, a milenar espinha dorsal da civilização oriental. Ao folhear estas páginas, você encontrará as principais raízes dos mitos antigos, que se originaram a partir do movimento dos Cinco Elementos da Natureza: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água.
As versões quanto à procedência deste incomparável mundo são múltiplas e se alternam de acordo com os locais e mesmo as etnias que se propagaram. Fazem parte dele contos providos das três maiores crenças da China: o taoísmo, o confucionismo e o budismo – foi da doutrina taoista que derivam praticamente todos os mitos da criação.
Ponto Negativo:

  • Não espere que a Mitologia Chinesa (MC) se assemelhe a Romana ou a Grega em linha do tempo e na homogeneidade. É difícil acompanhar a MC e por consequência o livro, pois há várias versões para os mesmos eventos, cujos deuses são diferentes em cada uma delas, há histórias que envolvem os mesmos deuses, mas de formas diferentes.
  • O livro não segue uma apresentação cronológica, a história vai e volta, alguns nomes se repetem, entretanto, não significa que são o tempo ou o personagem seja o mesmo que foi relatado anteriormente. Preste atenção, caso contrário você ficará mais perdido que cego em tiroteio.
  • Sempre tive muita curiosidade em conhecer as histórias do famoso Rei Macaco, porém uma parte grande do livro (XX páginas) dedicada apenas a ele deixou a leitura cansativa, pois essas histórias não eram bem o que eu esperava encontrar. O Rei Macaco – pelo pouco que conhecia – me remetia a palavras como: brincalhão, inteligente, astuto... Enfim, que seria uma leitura agradável, entretanto não poderia imaginar que ele pudesse ser tão arrogante e de certa maneira egoísta, essa foi a parte do livro mais difícil de terminar de ler.
Trecho da Introdução:
Esta mitologia é composta, enfim, de deuses duros, mas não tiranos, tampouco de criaturas que se perdem em orgias  e bacanais como na mitologia grega, por exemplo. O que chama em especial atenção aqui é a capacidade dos deuses, reis e imperadores de ouvir com humildade os seus conselheiros, ponderar e criar estratégias seguras antes de agir, mesmo em questões simples e muito mais em tempos de guerra, uma constante neste mundo chinês até mesmo entre o panteão de deuses, que guerreavam em batalhas épicas, como foi a de Zhu Rong, o deus do Fogo, contra seu filho Gong Gong, o demônio dracônico negro, deus da Água.
Ponto Positivo:


Em algumas histórias você irá encontrar referências - ou se preferir, pode chamar de previsões - bem atuais como o aquecimento global e alguns outros problemas do mundo moderno. É interessante como algo que exista há tanto tempo, possa continuar mantendo certo tom de atualidade.

Assim, Di Jun procurou seus filhos, incitando-os a voltarem aos galhos da árvore e pararem com o aquecimento global. Mas se deu conta, o soberano celeste, de que sua autoridade havia diminuído ante a libertação dos seus filhos astros.


 Quem lembra de Dragon Ball Z? E do Shen Long, o dragão que realizava um desejo quando as esferas eram reunidas? Bem, ele existe de verdade na mitologia chinesa e foi muito bacana encontrá-lo no livro. Claro que a história não tem nada a ver com o mangá/animê, mas foi legal do mesmo jeito.
— Há! Pois aposto 90 mil bolinhos de arroz de minhas oferendas que Zhu Rong evaporará com Gong Gong do palácio! E você Shen Long, arrisca em quem? - perguntou o deus Erlang Sheng, segundo filho do Rei Celestial do Norte, concentrando toda a sua atenção no seu terceiro olho da testa, aquele que via a verdade nua e crua.
— Sinceridade por sinceridade, não vou apostar droga nenhuma - respondeu Shen Long, que era um dragão com poder de controlar os ventos e as chuvas. — Meu cérebro se recusa a juntar duas palavras quando se trata de uma luta em que eu não passo de um simples espectador.
Outro ponto bem interessante foi ver como as classes sociais foram criadas, assim como o primeiro político do mundo, o casamento, o leque, entre outros.
Curioso de se ver que, nesta mitologia, quem criou o sexo foi uma mulher, Nu Wa, e o casamento, um homem, Fu Xi.
A capa é muito bonita, as páginas são brancas e a fonte tem tamanho médio. A margem poderia ser menor, para uma melhor utilização da página, assim poderiam ter deixado um pouco mais de espaço entre as linhas sem que acarretasse em um aumento na quantidade de páginas. Infelizmente, encontrei alguns erros, mas nada muito drástico.

Em minha opinião, foi uma leitura válida e com histórias muito legais, porém cansativa e confusa. Indico para apreciadores de mitologia e cultura oriental. 


Entrevista com a autora:

 Pessoal, gostaram? Deixem seus comentários, se já leram essa obra e o que acharam dele, etc.



5 comentários

  1. Olá!
    Também gosto muito de mitologia, principalmente a nórdica, e não sabia da existência desse livro sobre mitologia chinesa. Parece ser bastante interessante!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Ninah,

    não conhecia o livro, mas fiquei louca para lê-lo! Adoro mitologia e esse livro seria bacana para conhecer um pouco da chinesa, que parece ser bem diferente e única!

    Beijos!
    Participe do Sorteio de Carnaval
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  3. Acredita que esses dias estava procurando livros sobre mitologias?! Sua resenha veio em boa hora adorei. Anotado para comprar.

    ResponderExcluir
  4. oi, tudo bem?
    Eu gosto muito de mitologia, mas meus conhecimentos se restringem a grega, romana, e um pouco da celta. Nunca li nada da chinesa, e me parece que para quem tem conhecimento zero, como eu, o livro pode ser um pouco confuso, por essas idas e vindas, e várias versões para um fato, rs.
    Não leria agora, mas é uma boa dica para o futuro
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bom?
    Não sei muito sobre mitologia porque li poucos livros com o tema, mas tenho curiosidade com o assunto. Nossa, achei muito interessante que seja sobre mitologia chinesa, assunto que não sei praticamente nada. Gostei da dica.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!