Suas Escrituras... Marcio Santos... A Rua...

Olá leitores... Tudo bem com vocês??

Como foram de natal? O meu foi simples, mas dormi bastante, estava muito cansada e precisava repor o sono rsrsrs. 

Depois de muito tempo sem postar algo dessa coluna que gosto muito hoje volto com ela com um texto peculiar a qual eu gostei muito. Nessas minhas viagens pela blogsfera encontrei esse autor paraense e ananindeuense. Vamos conferir?

Imagem retirada do google.

A Rua
Por: Marcio Santos

Minha visão passa despercebida e só consigo enxergar a pobre rua escura em meio ao tempo com suas linhas brancas e amarelas, seus tracejados finos e ásperos, suas lombadas duras, altas ou fundas a esbarrar no fundo dos veículos circulantes.

Passo os dias olhando, um após o outro, intinerantemente.

É mais uma noite, sigo calmamente o meu destino, vislumbrando a pista com suas vozes mudas sim...bólicas. Cada uma falando em minha visão como devia proceder em meio a escuridão, linhas brancas contínuas nas laterais externas e amarelas pontilhadas internamente, vez por outra placas surdas aparentes ou não, tentam informar-me o que devo atentar. O tempo passa e a noite faz-me lembrar das oportunidades ofertadas a meus pensamentos durante todo o tempo decorrido de minha andança. As vezes sou surpreendido por grandes clarões brancos a frente, que na maioria chegam a ofuscar meus olhos.

Após tantas e tantas horas ininterruptas de meu deslocamento, a mente totalmente fechada a tudo que rodeava meu ser, sentia-me totalmente nulo em detrimento de minhas expectativas, minha simplória visão cansada de enxergar sempre o velho pinche pintado de branco e amarelo, deixava-me cada vez mais cansado, e por vezes o piscar dos olhos era mais demorado. Forçava-me o olhar, mas atento na rua para não perder o foco do deslocamento de mim próprio. De repente comecei a ver quase que sem querer um novo horizonte acima de minha cabeça. Via com clareza as pequenas luzes brilhantes em meio a escuridão daquele momento noturno, não se fazia, mas necessário tanto esforço para dirimir meus olhares, tudo estava mas facilitado, fixava-me num céu tão estrelado e límpido que mal se fazia necessário os faróis dos carros para iluminar a agora doce floresta em meu redor. Conseguia calmamente entender todo deslumbramento do orvalho a cair paulatinamente em meu para brisas, era o excesso de suas gotículas a molhar o vidro transparente de minha vida proporcionando o pensamento sensato de minhas escolhas. 

A noite passou com tranquilidade. A partir desse momento conseguia concatenar com mais prudência todas as minhas decisões, analisava com mais atenção às tomadas e retomadas de aceleração de meus destinos e não esquecia mais a origem de todos os meus dilemas, anseios e sonhos retóricos. Passei a ver com mais tranquilidade as coisas, comecei a enxergar o verde das árvores a passarem ora ao meu lado ora em meu redor, não via o asfalto como um medo a ser vencido, via agora como meu aliado, aquele que me ajuda na busca de meu destino.

O dia amanheceu calmo, o brilho incessante do sol clareava as colinas que agora via em meio à serração. Abri a janela do carro para sentir o ar fresco circular em meu corpo, o vento forte devido a velocidade tocava minha pele e o frio gelado trocava o calor do meu ser. A solidão daquele momento era benéfica, sentia que tudo que existia não importava, pois estava completamente pleno em meus poucos pensamentos. A vida passava em meio a inúmeras turbulências, mesmo assim sentia-me completamente livre e tranquilo, sabedor e mantenedor de todas as vontades de minhas poucas vontades sentidas na minha pequena esfera vivente.

Neste momento a pequena rua parecia pra mim exatamente da forma já descrita. Sinto-me cansado devido tanta imaginação. Paro. Olho para os lados e sinto realmente um frio absurdo a me rodear, então seguro as rodas de meu carro com minhas mãos pequenas e o desloco em direção a minha casa. Subo a rampa, entro, fecho a porta e volto a admirar o vento frio a soprar a rua de terra vermelha, com suas pedras soltas e a poeira torpe a se misturar com o forte vento durante essa minha manhã imaginária.

Recosto-me ao banco de meu carro e adormeço para quem sabe noutro dia começar a imaginar tudo de novo.


E ai pessoas o que acharam? Deixem seus comentários... 

Para quem tiver interesse de ver seu escrito publicado no blog, mande um e-mail para diana.canaverde30@gmail.com me sentirei honrada em publicar com seus devidos créditos!!!

Xero no coração de todos!!!


25 comentários

  1. Lindo o texto!! E adorei a sua ideia de postar escritos, tanto autores ótimos ai nas sombras
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Amiga, eu também estava muito cansada e ainda estou um pouco!rsrsrs
    Graças a Deus foi tudo bem, com saúde e harmonia!
    Estou sentindo sua falta no meu blog!
    Sua ideia é ótima de postar escritos dos que não são renomados ainda!
    Bjus e FELIZ ANO NOVO!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  3. O texto é bem leve e flui facilmente. Meus parabéns ao Marcio Santos por sua escrita, e espero ver mais textos dele por aqui... De fato, demorei mais tentando pronunciar "ananindeuense" do que lendo o texto dele. Hahaha.
    Mais uma vez, parabéns ao autor.

    http://discodivinil.blogspot.com.br/

    Feliz 2015 e grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Oi Dih, tudo bem?

    Lindo o texto do Márcio. Gosto de observar a vida também. Mas acho que muitas vezes a gente precisa ir de cabeça naquilo que queremos.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  5. Diii!!!

    O meu natal só não foi como o seu porque não estava em casa, mas descansei um pouco. Gosto muito dos espaços dados pelos blogueiros para outros autores.
    Parabéns Marcio, belissimo texto!

    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Diana! Eu também precisava descansar no Natal, mas não foi isso que fiz! hehe... Achei o texto muito bom, principalmente porque não é daqueles que a gente vai pulando linhas pra chegar logo no final, ao contrário, ele é gostoso de ler do começo ao fim! Tb gostei da sua ideia de postar esse tipo de texto aqui no blog. Parabéns pela iniciativa!

    PS: tá rolando um sorteio do livro A Garota que Eu Quero, lá no blog! Pra participar é bem simples: basta ser seguidor! Corre lá!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/2014/11/promocao-ano-novo-livro-novo.html

    ResponderExcluir
  7. Olá Dih tudo bem? Acho que a maioria de nós somos grandes observadores né?! Adorei o texto! Lindo!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  8. Di (olha a intimidade hahaha), meu Natal foi parecido com o teu. Acho que meu corpo estava programado para descansar tudo de uma vez só quando chegasse o feriado. hahaha

    A ideia de abrir espaço para que as pessoas enviem seus escrito é brilhante, eu pelo menos acho muito legal esta iniciativa.
    Em relação ao texto, só posso deixar meus mais sinceros parabéns, pois o autor escreveu muito bem e em nenhum momento se tornou repetitivo ou cansativo. \o/

    beijos
    www.confraria-cultural.com

    ResponderExcluir
  9. Oiee Dih ^^
    O meu Natal também foi bem simples, aproveitei para tirar o atraso de algumas leituras...haha'
    Gostei bastante do texto, o Marcio escreve muito bem.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Dih! Meu natal foi corrido... kkkkkk mas valeu a pena! ;)

    Mulher, tava com saudades dessa coluna! E voltou com tudo heim? Adorei o texto! Parabéns ao autor!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  11. Oi Dih!
    Em primeiro lugar parabéns pela coluna! Acho super importante, nós blogueiros, abrimos portas para os escritores, tem muitos por aí esperando para serem descobertos.
    Excelente texto! De uma simplicidade e leveza incríveis e ao mesmo tempo profundo e intenso.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi Di!! Meu Natal é sempre uma bagunça, rs, minha família é bem animada! Foi muita estrada em pouco tempo, tô cansada até agora, precisando dormir urgente! hehe...

    Não estava entendendo nada do texto, até que cheguei ao fim e descobri que não era mesmo necessário que tudo fizesse sentido... rs... adoro essa coluna!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Oi Dih, tudo bem? Passei meu Natal descansando também, o que é ótimo, porque daqui a pouco a rotina volta com tudo. Enfim, não conhecia essa coluna, mas gostei bastante, e espero ver mais textos assim. Achei bem legal a leitura que a gente pode ter, também gosto de ficar imaginando e observando as coisas também, mas não dá só para observar e deixar a vida passar.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bom?
    Adoro essa coluna de textos. No meu entendimento, o ser humano está sempre observado a seu redor, captando sons, luzes e mensagens.
    Beijos!!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Meu Natal foi bom, aqui em casa não é muito animado porque não passamos com muita gente, mas ainda sim foi algo bom, afinal eu estava ao lado da minha família *-* Quanto ao texto, eu o achei bem bonito, acredito que eu não o conheceria nunca se você não o apresentasse aqui no seu blog kkk Enfim, achei o texto ótimo, o autor está de parabéns.

    Beijos :*
    Larissa - http://srtabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá Diana, acho essa coluna bem legal, já acompanhei alguns texto e são sempre muito bons como este <3

    Visite o blog "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  17. oi, tudo bem?
    Meu natal foi ótimo, bem em família.
    Gostei muito desse texto. Acho que todos temos essa mania de observar as coisas a nossa volta, e às vezes me perto em pensamentos e a imaginação vai longe
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Di, tudo bom?

    Meu Natal foi tranquilo, fomos viajar para um termas aqui de São Paulo mesmo. Muito bom! Uau! Que texto demais!! Confesso que na maioria das vezes sou desligada para isso, mas quando esqueço meu livro, por exemplo, tenho mania de observar tudo. Personagens são criados assim, na rua! É muito engraçado né?! HAHAHAHHA


    Beijos, Rob
    http://estantedarob.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá querida. Amei o texto do autor Marcio Santos, ele escreve muito bem e fico muito feliz com esta coluna. Acho muito importante divulgar escritores nacionais.
    Adorei e feliz 2015.
    Beijos e sucesso.
    http://chuvaelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  20. Natal aqui foi parado rsrs Ano novo vai passar na mesma ^^
    Legal o texto :D é bom ter um espaço para poder divulgar o trabalho :)

    Gabriel - http://umpapoentrepaginas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oi, Dih
    Achei super legal esse texto. Fiquei impressionado como a escrita do Marcio é envolvente e foi cativando o leitor ao mencionar essa rua e esse narrador tão peculiar. Criei uma ambientação muito bacana conforme fui lendo.
    Amei *-*

    Abraços
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Diana-linda!
    Espero que o seu sono reparador esteja rendendo até hoje, haha.
    Adorei essa partilha... Nesses momentos, quando leio algo escrito com tamanho talento, percebo como a literatura é uma arte primorosa. A simples observação de uma rua rende tanta poesia e magia! Adorei cada linha desse conto. Parabéns ao autor e ao seu blog por divulgá-lo.

    Beijos, querida.
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Oiii
    Meu natal foi tranquilo também, aproveito para te desejar um ótimo 2015!
    Adorei o texto, e adorei ainda mais a coluna!
    Parabéns!

    Beijos
    http://www.sacudindoaspalavras.com.br/

    ResponderExcluir
  24. oi Diana,
    gostei muito do texto do Márcio, e achei bem interessante, não sei se ele teve ou não essa intenção, mas dá pra ver que o ritmo da leitura parece muito com o ritmo do carro, todo o texto teve um ritmo, até ele terminar do mesmo jeito que vc desliga um carro. consegui sentir até o frio do vento dentro do carro. muito bom mesmo.

    um abraço,

    Antonio Henrique Fernandes
    www.navioerrante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Que legal seu escrito, Diana! Gostei do conto, você publica mais no blog? Tem outros seus aqui? Achei bons de verdade. :)

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!