Novela Literária - Recomeço - Capitulo 8


Recomeço - Capitulo 8 - Classificação +15

Elas foram todas animadas para o quarto de Camila, Eduardo ficou só olhando da janela da cozinha, ver Nayra sorrindo o deixou bem apesar de tudo não queria vê – la triste pelos cantos, ele estava a esperando pra leva – la ao restaurante. As garotas fizeram uma bagunça no quarto e enfim encontraram algo que combinaria a ocasião, daí Camila ficou fascinada com o estojo de maquiagem de Nayra que disse que sempre gostou de maquiagem e foi um presente de seu pai ela cuidava dele com o maior amor do mundo. Enfim Nayra estava pronta estava vestida formalmente, uma saia até os joelhos com uma blusa meio transparente de flores e uma sandália salto curto e fino, cabelos soltos e com uma maquiagem leve ela não estava gostando daquela roupa porque não era seu estilo, mas por causa do lugar teria que ir assim, pelo menos foi o que a Camila disse então ela desceu as escadas e saiu, quando Eduardo a viu  a achou linda, apesar de perceber que aquele não era seu estilo, mas que ela estava vestida para impressionar alguém então ele deduziu que ela estava indo em um encontro, mas pensou como ela já tinha um encontro sendo que ela  mal sai de casa? Então deduziu mais uma vez que era suas idas ao parque então parecia que realmente era um encontro e ele não entendia porque aquilo não o deixava contente...
Nayra: Por favor me leve no restaurante Malbec.
Eduardo: Ok.

Eduardo entrou no carro e ele de vez em quando olhava pra Nayra pelo espelhinho do carro, Nayra não percebeu nada ficava apenas apreciando os prédios da cidade e pensando no que a Camila disse sobre ela se acostumar com a alta sociedade, ela sempre teve conforto, pois o seu pai tinha dinheiro devido os anos que ele tinha dançado e os projetos que ele tinha realizado, mas sempre viveram uma vida simples na Bahia e parece que aqui seria tudo diferente e talvez ela tivesse que se acostumar com mais isso também, mas sem perder a sua essência...
Eduardo: Chegamos Nayra...

Nayra olhou com espanto pra Eduardo porque ele não a chamou de senhorita e seu nome soou pela sua voz como se fosse música e ela não entendeu essa sensação que sentiu ele que por sua vez não entendeu porque que ela olhou ele daquele jeito sendo que foi ela que pediu pra ele a chamar pelo nome...

Eduardo: Fiz algo errado?
Nayra: Não, é que soou estranho você me chamar pelo nome, mas prefiro assim mesmo.
Eduardo: ok, preciso esperar?
Nayra: Não, peço que vá me buscar as 18:00 no parque ok!
Eduardo: ok.
Nayra: Você tem aula hoje não é?
Eduardo: Sim, mas só as 19:00 dá tempo de deixa - la em casa.
Nayra: Ok então.

Nayra ficou nervosa porque não sabia direito como se comportar, não estava acostumada com esse tipo de situação, ao chegar a porta do restaurante respirou fundo e entrou, daí um homem todo de terno perguntou...

Pablo: Boa tarde senhorita, bem  vinda ao Malbec.
Nayra: Obrigada.
Pablo: A senhorita tem reserva?
Nayra: Não, na verdade eu vim almoçar com um amigo, mas não sei se ele já chegou.
Pablo: Me diz o nome e o sobre nome dele
Nayra: Olha eu só sei o primeiro nome.
Pablo: Talvez a reserva esteja em nome dos dois me diz seu nome e o dele.
Nayra: ele é Leandro e eu sou Nayra.
Pablo: Bom aqui tem reserva para Leandro de Capri e Nayra.
Nayra: Pode ser ele sim, ele já chegou?
Pablo: Sim, me acompanhe, por favor.

Nayra ficou super nervosa achando que o cara estava desconfiando dela, mas enfim deu tudo certo, ela encontrou Leandro que estava muito bonito vestido casualmente com uma calça jeans, uma blusa pólo e sapatos pretos ele se levantou pra ela sentar e fizeram o pedido, enquanto isso eles conversavam...

Leandro: Você está bonita.
Nayra: Obrigada, são roupas da minha prima, fui roubada quando cheguei aqui rsrs.
Leandro: Nossa que sorte ein, mas roubaram alguma coisa de valor?
Nayra: Não, só minhas roupas...
Leandro: Então, você está bem?
Nayra: Na medida do possível sim, hoje discuti com a minha mãe.
Leandro: Que chato.
Nayra: Sabe é obvio que sabemos que não ficaremos com nossos pais para o resto da vida que um dia eles vão nos deixar, mas eu não esperava que ele fosse tão cedo assim.
Leandro: Nunca estamos preparados não é mesmo?
Nayra: Nossa é uma dor que parece que não vai ter fim, eu fui criada só com meu pai minha mãe não queria que eu nascesse e quando eu nasci me abandonou com meu pai e sumiu, você não tem noção de como eu sofri e ainda sofro.
Leandro: Imagino como deve se difícil pra você.
Nayra: o pior de tudo isso foi que meu pai me deixou uma herança que eu só tenho direito depois de cumprir com uma cláusula, que seria conviver com ela por 1 ano completo, eu poderia largar tudo isso e esquecer, mas tem um quadro nessa herança que eu não posso deixar para trás é um retrato pintado de mim e do meu pai.
Leandro: Entendi, então quer dizer que faz pouco tempo que você está em São Paulo?
Nayra: Sim, exatamente um mês.
Leandro: então deve estar mais difícil pra você.
Nayra: Na verdade eu fui até pega de surpresa como ela nunca quis saber de mim durante esse tempo todo eu achava que ela seria super rígida comigo que seria por obrigação ter minha permanência na casa dela e  pelo contrário ela me trata até bem, não sei qual é a estratégia dela ou o que ela quer realmente, mas estou com medo.
Leandro: Será que ela não se arrependeu de ter te abandonado?
Nayra: depois de 18 anos? Logo depois que meu pai morreu e lhe deixou uma herança?? Acho que não.
Leandro: Olha você tem todos os motivos para desconfiar de sua mãe, mas não seria melhor você dar uma chance a ela de se explicar?
Nayra: Desculpe Leandro nesse momento não, hoje eu estava indo tomar café e sem querer eu ouvi uma conversa dela com Madalayne que é a governanta da casa e ouvi a Madalayne dizendo que meu avô tinha morrido ela tinha cumprido perfeitamente com a promessa dela, ou seja, ela me abandonou por causa de outro homem, porque se ele descobrisse esse tropeço na vida dela ele a deixaria, na verdade acho que ela nunca amou meu pai.
Leandro: Entenda não estou querendo defender a sua mãe, mas como seu amigo gosto de ser sincero  e nem sempre vou dizer aquilo que quer ouvir, ainda acho que você se precipitou, primeiro você ouviu metade da conversa, segundo tirou conclusões sem ao menos dar a ela a chance de se explicar.
Nayra: Ela disse que mais tarde eu entenderia que tudo que ela fez foi por amor a mim. Eu não quero esse amor Leandro, não quero mais sofrer por causa dela chega de estragos na minha vida, tenho tentado esquecer todos esses problemas pra seguir com minha vida porque é isso que meu pai quer.
Leandro: Você acha que vai conseguir seguir em frente com essa pendência com sua mãe?
Nayra: Eu vivi sem ela desde que nasci não vai ser agora que vou precisar dela.
Leandro: Você já precisa dela Nayra, mas com o tempo você vai entender isso tudo.
Nayra: Porque todos vocês colocam culpa no tempo, seria mais prático e evitaria sofrimentos ela falar tudo agora, pra quê deixar para o tempo resolver, no final ele nunca resolve nada.
Leandro: Você está triste, com dor e eu entendo o seu sofrimento, mas você não pode ficar na defensiva, se não ninguém vai conseguir chegar perto de você e poder te ajudar.
Nayra: Eu não quero ninguém perto de mim principalmente ela, o que eu mais quero é que esse ano passe rápido, pra que eu possa ir embora daquela casa, não agüento ficar lá.
Leandro: Mas está tão ruim assim?
Nayra: Bom não, eu não posso mentir, eu faço de tudo pra não topar com a Stefanny, mas tem a Camila ela é um amor e me conquistou já gosto pra caramba dela, mas não pretendo voltar pra Bahia quero ficar por aqui, mas bem longe da Stefanny.
Leandro: Stefanny, Camila esses nomes não são estranhos seria coincidência demais, eu conheço pessoas maravilhosas com esses nomes...
Nayra: Quanto tempo você namora com a Débora?
Leandro: Vai fazer 1 ano.
Nayra: Você acha que a ama?
Leandro: Amor não sei, mas gosto muito dela.
Nayra: Você seria capaz de dizer a ela que a ama pra deixa – la feliz?
Leandro: Porque está perguntando isso?
Nayra: Curiosidade quero saber de você também.
Leandro: Não, sempre fui muito sincero com ela e ela sabe dos meus sentimentos.
Nayra: Você parece ser um bom namorado, estou gostando do seu lado amigo.
Leandro: Apesar de ser tudo muito recente na sua vida, quero que saiba que pode contar sempre com minha amizade que você pode falar do que quiser comigo, não importa qual seja o assunto eu sempre vou te ouvir.
Nayra: Obrigada Leandro isso vale pra você também.
Leandro: E então resolveu fazer as aulas?
Nayra: Sim e preciso de sua ajuda pra mais uma coisa.
Leandro: O quê?
Nayra: Resolvi me inscrever e tentar entrar na academia de dança Professora Patrícia Morgado.
Leandro: Nossa!! Eu estudo lá.
Nayra: Sério??
Leandro: Sim, pois vou te ajudar, mas não é fácil entrar é muito concorrido.
Nayra: Não importa, eu quero tentar mesmo assim.
Leandro: Como ficou sabendo da academia?
Nayra: Através de minha prima postiça, ela tem me dado muita força também e me disse que vai abrir umas vagas no meio do ano.
Leandro: É verdade a minha namorada também vai se inscrever, já é a segunda tentativa dela.
Nayra: Nossa, ela tem mais chances já faz tempo que ela ensaia né?
Leandro: Sim.
Nayra: Você vai poder me ajudar?
Leandro: Claro, mas não poderei ser teu parceiro porque já sou da Débora, posso te dar algumas aulas, mas a coreografia infelizmente não vou poder te ajudar porque estou montando uma para a Débora.
Nayra: Ok, amanhã eu vou com minha prima fazer a inscrição vou ver o que eles pedem para minha audição, de repente pedem até um solo.
Leandro: Não vão pedir geralmente eles dão a lista dos nomes dos alunos e você tem a opção de escolher quem pode ser o seu parceiro é um regulamento.
Nayra: nesse caso eu tenho que escolher um aluno que já faz aulas na academia pra dançar comigo?
Leandro: Sim, serve para eles testarem esses alunos mais avançados, pois conta notas.
Nayra: Então eu já tenho pra onde correr.
Leandro: Queria poder te ajudar de verdade como parceiro, mas não posso.
Nayra: Não tem problema, você me dará as aulas e o resto eu me viro, eu vou correr atrás e vou entrar.
Leandro: Vou torcer pra vocês duas.
Nayra: quero poder ter a oportunidade de conhecer sua namorada.
Leandro: Hoje na aula você vai conhece – la.
Nayra: são quantos anos de faculdade na academia?
Leandro: 3 anos e mais 1 ano de especialização.
Nayra: Entendi. Nossa a comida aqui realmente é muito boa.
Leandro: Eu disse que você iria gostar.

Eles ficaram conversando e depois seguiram para o parque, chegando lá Débora viu os dois chegando juntos na maior alegria, e apesar dele nunca dar motivos pra ela desconfiar, ela não estava gostando do que estava vendo. Então resolveu ir até eles se realmente não tivesse nada a esconder ele não teria que ficar constrangido...
Débora: Oi amor...

Leandro deu um sorriso para ela e deu – lhe u selinho e Débora realmente percebeu que ela estava com minhocas na cabeça por parte de Leandro, mas que ainda iria ficar de olho em Nayra...

Leandro: Então Nayra essa é a Débora minha namorada.
Nayra: Oi Débora, prazer em conhecer, até que enfim te conheci.
Débora: Por quê?
Nayra: O Leandro fala de você e fiquei com vontade de te conhecer.
Débora: Então você também é famosa porque ele também fala de você, diz que você tem potencial.
Nayra: Dessa parte eu não sabia.
Leandro: Mas é verdade, eu vejo em você um grande potencial. 
Nayra: Obrigada, espero que eu não o decepcione.
Leandro: Não vai, amor ela também vai fazer a audição na academia.
Débora: Que bom!!!! Espero que você entre.
Nayra: Eu também espero que você entre, você tem mais preparo do que eu, mas torço por você.
Débora: bom você tem 6 meses se você tem potencial como o Leandro disse e ensaiar muito você também consegue, e depois que estiver dentro se prepare é um sonho maravilhoso, com muito trabalho, mas gratificante.
Nayra: Obrigada pelo apoio, tem algum lugar aqui onde eu possa me trocar?
Débora: Claro, ali naquele quartinho verde.

Nayra foi se trocar e Débora disse...

Débora:Vocês vieram juntos?
Leandro: Hoje eu fui almoçar com ela.
Débora: Porque não me disse nada?
Leandro: Estou dizendo agora amor, lembra que te falei que ela está passando por problemas?
Débora; Lembro
Leandro: Então, conversamos sobre isso e realmente essa garota precisa de ajuda.
Débora: Entendi, o que eu não entendi é porque você só está me dizendo isso agora.
Leandro: Você sabe que eu sou honesto e não gosto de esconder as coisas.
Débora: Por isso que eu perguntei por que você só me disse isso agora se esse almoço já estava marcado.
Leandro: Ataque de ciúmes agora? 
Débora: Você precisa ver o jeito que ela olha pra você, confio demais em você, mas não confio nela.
Leandro: O que um não quer dois não fazem.
Débora: Você vai ajuda – la na audição?
Leandro: Sim, vou dar aulas pra ela aqui, mas já disse que sou seu parceiro e que não vou poder ajudar nas coreografias.
Débora: Desculpa amor é ela me faz mesmo sentir ciúmes...
Leandro: Sem motivos, mas eu te entendo. Não se preocupe só sinto amizade por ela, uma vontade de proteger como se ela fosse uma irmã que não tenho.
Débora: Eu acredito em você, vou tentar me controlar, desculpe vou me trocar.

Débora saiu e Leandro não conseguia entender esses ciúmes de Débora em relação a Nayra, ela nunca teve ciúme de nenhuma garota e agora estava dando essas crises. Enquanto isso Eduardo conversa com Camila na cozinha...

Eduardo: E ai preparada para a apresentação do final do mês?
Camila: Quase eu e o Paulo estamos ensaiando bastante.
Eduardo: Bem que vocês poderiam me deixar ver o número de vocês.
Camila: Daí não vai ter graça no dia né Eduardo.
Eduardo: Nossa por pouco eu também sou sorteado.
Camila: De repente na próxima vez ou quem sabe uma caloura te chama pra ser parceiro dela nas audições de julho.
Eduardo: Pode ser, bem que eu queria contaria pontos pra mim.
Camila: Sabia que a Nayra vai fazer a audição?
Eduardo: sério?
Camila: sim e está super decidida.
Eduardo: Mas ela sabe dançar?
Camila: Bom ela me disse que dançava com o pai e que não passa vergonha.
Eduardo; Hum quero só ver rsrs.
Camila: Bem que você poderia deixar seu orgulho de lado e se oferecer para ser o parceiro dela.
Eduardo: Isso jamais Camila, nós não nos damos bem imagine ter que dançar junto eu perderia pontos e ela nem entraria na academia.
Camila: Pois eu acho que vocês ficariam bem como parceiros.
Eduardo: Olha esquece esse assunto ok, porque você não fala com o Paulo?
Camila: Ele está ocupado comigo.
Eduardo: é mais no vai ser para sempre.
Camila: Pois fique sabendo que a Nayra é um doce e ela só reagiu a você porque você falou mal do pai dela.
Eduardo: Eu errei falou, mas ela também me humilhou.
Camila: Você queria que ela te agradecesse por ter ofendido a memória do pai dela?
Eduardo: Não.
Camila: E então quem está errado?
Eduardo: Ok Camila você está certa vou pedir desculpas pra ela, mas só isso.
Camila: Já é um passo.

Eles ficaram conversando enquanto isso Leandro começa a dar aulas. Débora fica com a turma que já freqüenta as aulas só auxiliando nos passos com os outro tutores e Leandro fica com Nayra...

Leandro: nas primeiras aulas eu vou ficar com você e depois você vai se misturar ao pessoal, pra você ir se identificando com outras pessoas ok
Nayra: ok.

Leandro e Nayra se alongaram e começaram, Débora de vez em quando olhava e Nayra estava se divertindo, pensava que seria mais difícil, mas até que estava pegando rápido os passos e estava adorando, Leandro percebeu que realmente ela tinha potencial e que seria uma ótima dançarina e com certeza já tinha vaga garantida na academia, existiam pessoas nesse mundo que já nasciam com um dom pra algo e Nayra era uma dessas pessoas assim era o pensamento de Leandro a respeito dos movimentos de Nayra. Terminou o ensaio e pela primeira vez após a morte de seu pai Nayra estava se sentindo feliz por alguma coisa...
Nayra: Ai Leandro obrigado por tudo.
Leandro: Gostou da sua primeira aula?
Nayra: Sim, achei que seria mais difícil.
Leandro: Eu disse que você leva jeito e você já tem certa experiência, aprendeu direitinho com o seu pai.
Nayra: Meu pai era um homem maravilhoso, tudo que eu sou hoje eu devo a ele sempre. Bom, mas, agora tenho que pensar como vou fazer pra arranjar um parceiro.
Leandro: Já tem alguém em mente?
Nayra: Bom como você sabe não conheço ninguém aqui ainda, mas tenho um colega da minha prima vou ver com ele, afinal segundo minha prima ele dança muito bem rs.
Leandro: Bom o que eu posso fazer é falar com um amigo meu, ele dança muito é super esforçado e gosta de ajudar de repente ele topa.
Nayra: Você faria isso por mim?
Leandro: Claro, hoje mesmo eu falo com ele ok.
Nayra: Valeu.
Leandro: Bom agora vou ter que ir hoje tenho aula, até amanhã.
Nayra: Até.

Quando Eduardo deixou Nayra na entrada disse...

Eduardo: é Nayra, preciso te dizer uma coisa.
Nayra: Pode dizer
Eduardo: Eu... Bom eu estou atrasado e amanhã eu falo.
Nayra: Ok então.

Eduardo ficou super sem graça diante de Nayra e não entendeu o porque ela o deixava nervoso daquele jeito, Nayra sorriu da situação e se lembrou da vergonha que sentiu pela manhã ao praticamente dizer em outras palavras que reparou no corpo de Eduardo e ela não tinha como reparar sempre o viu de terno e nunca de shorts e regata, viu que ele não era fortão, mas que tinha um corpo legal na medida certa e resolveu parar de pensar nisso, não queria admitir que Eduardo era atraente e até perceber isso viu que ele também era bonito a até aquele momento não tinha olhado para ele daquele ângulo, mas logo expulsou isso de seus pensamentos porque namoro era uma palavra que não existia mais no seu dicionário, ainda que sentisse falta de vez em quando procurava tirar isso de sua vida, ainda mais se fosse com Eduardo eles não se deram bem desde o início talvez fosse um mal entendido, mas talvez amigo ele nem se tornariam, apesar daquela raiva que ela sentia já ter passado e percebeu que ele poderia ser legal quando ele queria.

Na academia eles estavam na sala de aula, e Leandro chamou Eduardo pra conversar enquanto o professor chegasse...

Leandro: E ai Eduardo quais são as novidades?
Eduardo: nenhuma cara.
Leandro: e ai como está no trabalho?
Eduardo: Tudo bem, agora sou motorista da filha da Stefanny.
Leandro: Eu nem sabia que ela tinha filha.
Eduardo: Até ela chegar eu também não.
Leandro: A garota é bonita?
Eduardo: Sim é meio desengonçada, mas parece muito com a Stefanny, faz jus ser filha dela.
Leandro: E como ela é?
Eduardo: Meio maluca e a gente não se deu muito bem desde que nos conhecemos.
Leandro: tinha que ser né deve ser mimada até umas horas.
Eduardo: No início também achei que fosse, mas agora vejo que é apenas sofrimento, ela tem um jeito tímido de ser que eu acho engraçado, acredita que eu apareci na cozinha de short e camiseta e ela ficou toda atrapalhada, nossa foi muito engraçado.
Leandro: Cara você está gostando dessa garota?
Eduardo: Como assim gostando?
Leandro: Gostando como mulher.
Eduardo: Claro que não nem se eu quisesse olha só de quem ela é filha eu jamais teria alguma chance com ela e outra não nos damos muito bem jamais daria certo, não cara de jeito nenhum.
Leandro: Sei não do jeito que você fala dela.
Eduardo: cara eu já disse que não rola nada.
Leandro: Ok, e então alguma menina já te chamou pra ser parceiro?
Eduardo: Não.
Leandro: Então eu conheço uma garota que vai se inscrever amanhã, eu até queria muito ajuda – la porque ela está passando por uns problemas familiares e anda meia triste com a vida e de repente se animou pra dança só que eu sou parceiro da Débora e quero saber se você quer ser o parceiro dela.
Eduardo: Ah cara pode ser, preciso muito de uma atividade dentro do que eu gosto realmente, eu também gosto de ser motorista, mas preciso estar envolvido em alguma coisa, quando vou conhecer a garota?
Leandro: Então ela não está acostumada a dançar há algum tempo, mas pega as coisas muito rápido tem um talento escondido, você sabe que consigo perceber essas coisas, então vou falar com ela e ai vejo como marcar de vocês dois se conhecerem ok.
Eduardo: Sem problemas eu fico no aguardo.

No outro dia Nayra acordou disposta a ir fazer compras estava esperando Camila acordar pra irem juntas, ela tinha algum dinheiro guardado de algumas coisas que vendeu, sorte dela que estava no banco se não teria ficado sem nada, estava cansada de vestir os trapos que Camila lhe deu, não era seu estilo, então quando penteava seu cabelo ouviu uma batida na porta e Stefanny disse...

Stefanny: bom dia posso entrar?

Quando Nayra viu quem era sentiu um frio na barriga, mas teve que a deixar entrar....

Nayra: Pode.
Stefanny: Tudo bem com você?
Nayra: Na medida do possível sim...
Stefanny: Então ontem o advogado de seu pai me telefonou dizendo que seu pai deixou uma pensão pra você numa conta, vai cair R$ 800,00 pra você todo o mês para suas despesas básicas, ele conseguiu tirar isso do inventário, sem mexer na clausula do testamento.
Nayra: Obrigada por me avisar.
Stefanny: Aqui está o n° da sua conta e este é um cartão de crédito que fiz para você sem limite.
Nayra: Não precisa eu não tenho muito com o que gastar e esse dinheiro que meu pai deixou de pensão pra mim é o suficiente.
Stefanny: Quando você começar a se acostumar com essa nova vida você vai ver que é tudo muito diferente do que você pensa.
Nayra: Sabia que mesmo com tanto dinheiro ainda podemos ser simples?
Stefanny: Claro que sei, não quero que você seja uma dondoca inútil, mas que você possa ter oportunidade de fazer o que tem vontade sem tantos sacrifícios.
Nayra: Tudo bem não vou recusar dinheiro, mas precisa ser sem limite?
Stefanny: Nós mulheres sempre ultrapassamos os limites, preciso falar outra coisa pra você.
Nayra: Pode falar.
Stefanny: Vai ter um baile de mascaras na academia Patrícia Morgado e gostaria que você fosse só vai ter jovens de sua idade e você vai conhecer várias pessoas.
Nayra: A Camila vai?
Stefanny: Com certeza é lá que ela estuda.
Nayra: é verdade.
Stefanny: Qualquer coisa de que precisar avise a Camila, aproveite o cartão e compre uma roupa bem bonita para a ocasião.
Nayra: Ok.

Nossa Nayra não pode deixar de ficar surpresa, seu pai sempre colocou limites em seu cartão e agora ela tinha uma pensão de R$ 800,00 reais mais um cartão de crédito sem limite e isso seria uma tentação pra qualquer pessoa, fora o dinheiro que ela  tinha guardado no banco. 

Beijinhos meus lindos e um ótimo final de semana para vocês. Ah agora estou indo fazer mais umas visitinhas... :D

top photo participedotopcomentarista1.png

15 comentários

  1. Estou adorando e curiosa para saber no que vai dar!! rs
    Parabéns, a história é realmente envolvente.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Adorei o capítulo e os diálogos.Parabéns!

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, adorei o capítulo e achei os diálogos bem diferente, porém gostei.
    Beijocas no coração e uma maravilhosa semana.
    http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Vixe, tenho mais de 13 anos então nem pude ler esse capítulo, rsrsrs. Vou aguardar um em que a classificação seja pra mim. Mas parace que está fazendo o maior sucesso!

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Mais um capítulo! hehe
    Estou adorando Dih!

    Imaginei isso tudo junto, em um livro escrito pela minha linda amiga Dih Paula!! Pensa só que peerfeito!! rsrs
    Aaah, aproveitando o embalo da minha fértil imaginação, eu iria te perturbar muito com a seguinte frase: Oi Dih, aceita firmar uma parceria com meu blog?! KKKK

    Beijos Dih *-*
    .
    GeraçãoLeitura.com (http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/) passa lá ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ownnn Dri adorei... muito obrigada pelo seu carinho lindo :)

      Excluir
  6. Nossa, isso está cada vez melhor! Estou amando e mal posso esperar pelo próximo..
    Você realmente escreve muito bem, está de parabéns!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Uau Dih! Você estava inspirada! Poxa, nem tenho mais o que falar: simplesmente amando aqui! Fico ansiosa por cada capítulo novo! Bjs flor!

    ResponderExcluir
  8. A Nayra tem que ficar com o Leandro, pronto falei! Eles saíram para jantar... que liindo. Quero eles juntinho viu e que a Débora se separe logo dele, hahahaha.

    ResponderExcluir
  9. Estou lendo aos poucos os capítulos anteriores, então achei melhor não ler este... Estarei por "dentro" em breve!!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  10. Olha a Nayra querendo aprender a dançaaar!! Adoorei o almoço e claro, o casal <3
    Gente, a Nayra ficou com uma parte legal todo mês da herança, R$800,00 dá pra um monte de coisa!

    ResponderExcluir
  11. Hey flor!

    Desculpa não ter comentado ainda, só tive tempo de ler hoje! Com o ENEM semana que vem, estou estudando pakas! A cada capítulo gosto mais do Leandro, e tô vendo já no que isso de parceiro vai dar... Kkkk imagino a cara deles quando descobriram quem são!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Gostei =D

    Nossa, 800, cartão sem limite ainda? KKKKKKKK
    Bom, vamos ver o que a aguarda no próximo capítulo, rs.

    ResponderExcluir
  13. É o segundo capítulo que leio e está conseguindo me manter presa na história!
    Quero um cartão sem limites! hehehehe

    Beijinhos

    As Leituras da Mila

    ResponderExcluir
  14. Eu gostei bastante dos personagens e a maneira com que a história é desenvolvida. Ainda estou me situando com os personagens, mas acho que esse romance tá precisando de uma agitada!

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!