Novela Literária - Recomeço - Capitulo 2


Recomeço - Capitulo 2 - Classificação +15

Nayra deu outro sorriso malicioso e pensou não precisava de amiga e muito menos uma irmã, o que ela achava que iria colocar uma espiã para relatar tudo que ela fazia não Nayra estava muito na defensiva, não acreditava nas boas intenções de Stefanny, estava achando que aquilo tudo era fingimento e queria descobrir o que ela estava pretendendo, pois estava tudo muito estranho. Camila apareceu na entrada toda sorridente e Nayra ficou a encarando toda séria...
Camila: Olá! Bom dia Nayra, eu sou a Camila.
Nayra: Oi Camila!
Stefanny: Camila mostre o quarto dela e a casa eu vou precisar sair agora e estarei de volta para o jantar ok, deixe a Nayra super a vontade e se quiserem sair fiquem a vontade, a Nayra foi roubada e levaram todas as suas coisas, então ela está precisando de roupas ajude ela está bem?
Camila: Pode deixar madrinha ela está em boas mãos.
Nayra: Eu não quero sair, só quero ir para o meu quarto, eu tenho uma muda de roupa na minha frasqueira.
Stefanny: Tudo bem imagino mesmo que você está cansada, bom mais tarde estarei de volta para o jantar.

Nayra virou as costas e disse pra si mesma: “mas não vou esperar ela mesmo” e foi interrompida por Camila que disse...

Camila: Então está feliz??
Nayra: Porque estaria?
Camila: Mudança de vida.
Nayra: Preferia a minha antiga com o meu pai vivo de preferência.
Camila: Entendo a sua dor, perdi minha mãe faz um ano e ainda dói muito.
Nayra: Eu perdi meu pai em uma semana e tive que largar toda a minha vida pra morar com uma estranha.
Camila: É normal, você não cresceu perto dela se fosse comigo eu também me sentiria assim.
Nayra: Olha eu quero ir para o meu quarto pode ser?
Camila: Claro, por aqui.

Elas subiram a enorme escadaria de mármore e Nayra realmente ficou maravilhada com a casa, pensou que ela deveria ter muito gasto pra manter aquilo tudo e ficou imaginando o quanto de dinheiro que ela tinha, no meio do caminho Eduardo apareceu, fazendo os pensamentos de Nayra evaporar...

Camila: Oi Eduardo!!
Eduardo: Oi Camila...
Camila: O que aconteceu? Porque essa cara?
Eduardo: Nada de importante...
Camila: Então depois a gente se fala.
Eduardo: Vai ser difícil agora né? Tem que cuidar de sua irmã.
Nayra: Não seja por isso, Camila por mim você pode ficar a vontade, só preciso saber onde é meu quarto.
Eduardo: Não se engane Camila essa garota é irritante, chata e mimada de educada ela não tem nada.
Nayra: Olha cara não sei o que eu fiz pra você ou o que está acontecendo na sua vida, desde o aeroporto você me trata mal e sem motivos, não gosto disso, não desconto minhas frustrações em outras pessoas inocentes, então veja direito como você me trata.
Eduardo: Porque se não você vai reclamar com a senhora Stefanny pra ela me mandar embora?
Nayra: Não, pois não costumo ser injusta com as pessoas por mais que elas mereçam.

Eduardo se calou e saiu, deixando Nayra satisfeita, enfim ela tinha conseguido colocar ele em seu lugar, nunca tinha topado com alguém tão atrevido.

Camila: Não ligue pro Eduardo ele é marrento assim, mas é gente boa, logo você vai ter a oportunidade de conhece – lo melhor.
Nayra: Eu não quero conhece – lo melhor, só quero ir para o meu quarto.

Elas chegaram ao quarto de Nayra e Camila abriu a porta pra ela, quando Nayra entrou mais um vislumbre diante de seus olhos, seu quarto era enorme e tinha uma cama imensa que parecia muito mais confortável do que a sua. O pai de Nayra também tinha muito dinheiro, mas eles gostavam de viver com simplicidade, nunca tinha faltado nada pra ela, só que ela não estava acostumada com tanto glamour, sua vida seria bem diferente naquela cidade e naquela casa, ela gostou também do desenho de fada que tinha em sua cabeceira e pensou como a Stefanny sabia que ela gostava de fadas? Como ela sabia que a sua cor preferida era lilás? Nayra estava muito confusa e se virou pra Camila e disse...

Nayra: Obrigada por me trazer, mas eu preciso ficar sozinha.
Camila: Tudo bem, se precisar é só chamar.

Camila saiu e Nayra sentou em sua cama ficou olhando ao redor do quarto, resolveu ir até o banheiro e ficou mais maravilhada ainda com a banheira, ela também tinha uma banheira no seu banheiro, mas era menor, Nayra resolveu preparar um banho relaxante e entrou na banheira. Ela não sabia o que seria e nem como seria  a partir dali, mas de uma coisa ela tinha certeza estava tudo muito estranho, pois uma pessoa que nunca se importou com sua existência Não podia dar esse tipo de tratamento pra ela, será que era remorso? Não a Stefanny estava fingindo e ela tinha que descobrir que segredo tinha por trás de todo esse tratamento, mas ela não queria nenhum tipo de contato com ela o mínimo possível, parecia mentira tudo isso que estava acontecendo em sua vida, Nayra fechou os olhos e a primeira imagem que veio na sua cabeça foi a do seu pai sorrindo foi ai que percebeu o quanto estava cansada, o quanto seu corpo estava pesado e o quando a dor estava forte, ela começou a lembrar até das broncas que ele lhe dava, das vezes que saiam juntos para dançar, pois seu pai foi um dançarino muito famoso e ensinou várias coisas para ela, mas enfim ele nunca quis obriga – la a nada, queria que ela fizesse suas escolhas, além de nadar Nayra amava dançar dois ritmos, Raga e Salsa, mas tinha um pouco de medo e timidez os últimos anos tinha sido cruéis com ela e ela ainda se sentia marcada por um passado muito triste. Nayra abriu os olhos e percebeu que pegou no sono, pois seu corpo estava enrugado, ela se levantou vestiu o roupão e daí foi que se lembrou que não tinha nem seu pijama pra vestir, mas quando entrou no quarto viu umas roupas e um bilhete em cima de sua cama e começou a ler...

Nayra: Oi... Nayra sei que está sem roupa e sei também que não quis dar o braço a torcer na frente da madrinha, trouxe um pijama pra você e essas roupas creio que vestimos o mesmo número, deixa de orgulho bobo e use, mas decida – se em comprar roupas você precisa, não adianta dizer que vai conseguir viver com 4 peças de roupas, se precisar me chame sem medo, Camila...

Nayra deu um sorriso e pensou “Puxa essa Camila parece ser uma pessoa legal” Mas ela ainda não confiava nela ainda acreditava que ela estava a espionando a pedido da Stefanny, mas achou legal sua gentileza e tinha que concordar que precisava de roupas ainda bem que ela se lembrou de por calcinhas a mais em sua frasqueira. Ela vestiu seu pijama foi daí que reparou que já era noite, mas não iria descer, não queria ficar diante da falsidade da Stefanny, queria ficar ali debaixo das cobertas quentinha e sozinha, pois precisava pensar sobre o que fazer de sua vida durante esse ano que iria passar nessa cidade e principalmente nessa casa, ela nunca foi cheia de amigos principalmente depois do que aconteceu com ela, mas naquele momento estava se sentindo tão só sem ter ninguém para conversar, seu pai era seu melhor amigo, ela contava tudo pra ele até sobre garotos, mas e agora? Quem teria a paciência de ouvi – la, quem poderia dar um puxão de orelha quando ela realmente precisasse? A Stefanny é que não seria mesmo, então de repente ela escutou alguém batendo na sua porta e fechou os olhos fingiu dormir, Camila abriu de leve a porta, chamou pelo nome de Nayra não recebeu retorno e fechou a porta novamente, Nayra tinha certeza que alguém foi chama-la pra jantar e ela nem quis saber de nada, apenas começou a chorar até pegar no sono. Camila desceu e disse a sua madrinha que Nayra estava dormindo e Stefanny não quis incomodar, mas pediu a Camila pra ajudar ela no que fosse preciso, queria que ela se sentisse bem enquanto estivesse na casa, Camila embora não dizendo a sua madrinha queria que ela contasse logo a verdade dos fatos para Nayra, pois não gostava do jeito que Nayra falava e que mais tarde ao saber da verdade se arrependeria, mas enfim isso era com sua madrinha.

Xero... Ótimo final de domingo para vocês...

**Esta é uma obra de ficção original. Todos os fatos ocorridos no desenvolvimento da história provém da mente da autora e suas inspirações artísticas  nenhum fato é real, assim como os presentes personagens. Não plagie, copiar o conteúdo dessa obra é burlar a lei nº 9.610/98 dos direitos autoriais. Qualquer semelhança com nomes e personagens é mera coincidência.**

5 comentários

  1. Gente mais que texto viu.
    Vai ter mais por aqui né? haha me conte por favor viu?
    Me desculpa a demora de passar aqui viu.
    Tem um enorme tempo que não posto meus textos e também me falta tempo as vezes rsrs.
    Beijos
    Tamires C.
    http://de-tudo-e-um-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Magina Tami sempre que der você pode voltar e sim teremos continuação todos os domingos... Xero!!!

      Excluir
  2. Kkkkk ate parece que a Nayra nao quer conhecer melhor o Eduardo! HUAHAUHAUAH olha que ja to shippando hein? Veremos! Flor, voce vai postar aqui com uma frequencia certa? Tipo, todo domingo ou algo assim? Pra eu ja saber quando sai novos!

    Beijos querida
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hum.... muitas coisas para acontecer rsrsrsrsr. Bom éum romance bem legal... eu amei fazer.... Será todos os domingos por enquanto... xero!!

    ResponderExcluir
  4. Wow! Você atiçou minha curiosidade ^^ Que mistério é esse que a Camila insinuou?

    Amando seu romance Dih...Bjs!

    ResponderExcluir

Bem vindo ao blog Minhas Escrituras...
Fique a vontade para comentar aqui a sua opinião pessoal, sempre com respeito é claro!!! ;)
Você pode deixar o link de seu blog, que faço a retribuição com o maior prazer, mas não retribuo em postagens de promoção, ou seja, não comento.
Mensagem pra pedir que siga o blog, são automaticamente deletadas. Comenta no blog e deixa o link,farei uma visita no seu ok.
Quero agradecer a vocês que passam por aqui e deixam suas marquinhas, isso é muito importante... sintam-se a vontade...
Xero!